Ainda é possível fazer stopover em bilhetes emitidos pelo Smiles

Em um passado distante, o Smiles permitia que o cliente fizesse stopover em bilhetes emitidos com milhas sem pagar adicional por isto, ou seja, o valor do bilhete permanecia inalterado, mesmo você parando por mais de 24 horas no destino e continuando a viagem depois de 1 semana por exemplo.

Logo que o sistema do Smiles mudou e as emissões passaram a ser exclusivamente online, eles deixaram de oferecer este benefício e hoje, a emissão é feita totalmente pelo site – sem a possibilidade de adicionar um stopover —— bom, mas não é bem assim!

Teoricamente (em 90% dos casos) em bilhetes onde envolvam 2 voos internacionais da mesma cia, o Smiles precifica o resgate somando as duas regiões, vamos exemplificar.

São Paulo p/ Kuala Lumpur com a Qatar Airways – 160.000 milhas em executiva 

Porém há uma forma de você emitir os 2 trechos em um único bilhete utilizando o campo “+Adicionar um Trecho” na home principal do Smiles.

Depois de clicar, vai abrir um segundo campo, e desta forma você coloque os trechos separados, vejam:

Notem que eu coloquei GRU-DOH dia 17/07 e DOH-SIN dia 23/07, ou seja, um stopover de 6 dias em Doha.

Na página de resultados, vou ter o preço por trecho:

São Paulo p/ Doha – 110.000 milhas em executiva

Doha p/ Cingapura – 55.000 milhas em executiva

Como ambos os trechos são da mesma cia, ele vai emitir tudo em um só bilhete e neste caso em específico, não sei se notaram, ficou 5.000 milhas mais caro do que se você emitisse GRU-SIN direto (sem parada) que tarifou 160.000.

Porém há casos, em que não há diferença de valor, vejamos:

São Paulo p/ Shanghai – 170.000 milhas em executiva

Desmembrando os trechos, você irá ter São Paulo – Doha por 110.000 milhas.

E Doha – Shanghai por 60.000 milhas.

Ou seja, neste caso, o stopover saiu gratuito – não houve diferença em quantidade de milhas – 170.000 no total.

Lembrando que se emitido no mesmo bilhete (mesma cia) a franquia de bagagem é honrada até o destino final – mesmo com a parada intermediária – o que já ajuda também. Caso você opte por cias diferentes, serão emitidos 2 bilhetes separados, portanto franquias também individuais.

Esta mesma “regra” do stopover se aplica para vôos de outras parceiras como TAP, Emirates, Air France, Etihad etc – novamente frisando – quando envolver 2 trechos internacionais. Então vale a pena pesquisar pra saber se fica mais caro/barato ou se dá na mesma.

Caso envolva voos domésticos, nem sempre vale a pena. Se você comprar com a Delta – São Paulo p/  Miami com conexão em Orlando vai ser cobrado o valor de 85.000 (2 trechos), se comprar São Paulo – Orlando (stopover) e Miami – vai ter que pagar 2 trechos – custo mais alto.

Portanto pessoal sempre sugiro procurar os 2 trechos separados antes de emitir ORIGEM vc. DESTINO FINAL, assim você consegue otimizar sua viagem, adicionando um stopover. E além disto, você não encontra uma passagem por milhas porque não tem conexão em tempo imediato (aí o sistema não monta), e procurando separado, pode ser uma forma de resolver este problema.

Alguém já utilizou desta mecânica? Conseguiu bons resultados? Compartilha com a gente nos comentários!