Busca e emissão das passagens

Para ir aos Estados Unidos, usei o Smiles, que hoje considero o melhor programa para este tipo de resgate com a menor quantidade de milhas em classe executiva para os EUA. E como a Delta opera todos os voos saindo de GRU e GIG com assentos flatbed, eu já sabia que o conforto era garantido.

Custo: 37.500 milhas = Uberlândia ✈ Guarulhos ✈ Atlanta ✈ Newark (Gol + Delta)

Bom, como meu intuito era voar no SQ021 da Singapore Airlines, eu só tinha 2 alternativas para poder conseguir um lugar neste vôo usando milhas. A primeira é usando o KrisFlyer, o próprio programa da cia que é parceiro do Membership Rewards da American Express, ou usando a opção do LifeMiles que é o programa de fidelidade da Avianca, que dos demais membros da Star Alliance é o único que tem acesso exclusivo a assentos restritos em classes premium na Singapore Airlines.

Optei por usar o LifeMiles pois já estava querendo gastar umas milhas que tinha comprado na promoção da Avianca no inicio do ano. Usei a opção de milhas + dinheiro que é uma ótima forma de comprar as milhas mais baratas do que da própria promoção da cia. Se eu não quisesse usar a opção de dinheiro, o total ficaria 65.000 milhas.

Custo: 26.000 milhas + U$614.64 = Newark  ✈ Cingapura (Singapore Airlines)

E pra minha volta vou novamente usar o Smiles, gastando 75.000 milhas para um trecho em executiva da Ásia para América do Sul com a Air France. Inclusive vou experimentar os dois aviões da cia que ainda não tenho relato no blog, o B777-300ER e o B777-200.

Custo: 75.000 milhas = Cingapura  ✈ Paris  ✈ Guarulhos (Air France)

Total: 138.500 milhas + U$614,64 para toda a viagem (esqueci de anotar o valor das taxas de embarque dos resgates da GOL, mas foram baratas).

Existia sim métodos mais baratos para poder chegar a Ásia usando pontos, como por exemplo usando o Dividend Miles por apenas 120k (ida e volta), mas como era uma questão de honra estar no vôo da Singapore antes dele ser extinto dia 23/11, esta foi a opção mais “econômica” que encontrei.