Classe Executiva da Delta no A350 – Seoul para Detroit

Minha animação estava à MIL – tanto é que fui pro portão faltando ainda meia hora pra hora do embarque – ansiedade demais, rs.

Como cheguei cedo, ainda pude ver o avião estacionando no gate – esta máscara do cockpit no A350 é simplesmente demais né?

Vôo Delta Airlines DL158 – 22/11/2017
Seoul (ICN) ✈ Detroit (DTW)
Assento: 2D – Classe Executiva
Partida: 11:15 / Chegada: 10:06 / Duração: 13h25
Aeronave: A350

Coincidentemente a mesma tripulação que me trouxe de Detroit no B747 foi a que estava me levando de volta. Então ao embarcar já estava familiarizado com a grande maioria deles e achei curioso que alguns que trabalharam na executiva no voo de ida, estavam na econômica agora – acredito que seja pelo fato da quantidade de assentos ser bem menor neste avião aqui.

Neste vôo também estava 1 funcionária da Airbus treinando os comissários e auxiliando eles na operação do avião – pelo visto era a estréia desta tripulação nesta aeronave.

A nova cabine está presente somente no A350 e conta com 32 assentos em um layout 1-2-1 – muito similar ao do B767 – só que bem mais moderno, mais privativa e com portas.

Os assentos são no layout staggered – ou seja, desalinhados. Isto permite que todos os passageiros tenham acesso ao corredor independente de onde estará sentado.

Para quem voa nos assentos centrais há uma pequena divisória que desliza para você se “fechar” no próprio casulo e não ter nenhum contato com o colega ao lado.

O corredor é bastante estreito e apertado por causa das portas – mas isto pouco importa afinal só precisamos do espaço suficiente para entrar e sair da aeronave, concordam?

Os assentos nas laterais também são alternados – metade tem o console perto da janela e a outra perto do corredor – os meus preferidos.

Não há compartimento superior de bagagem para quem senta nas poltronas centrais o que é um ponto negativo sendo assim a disputa pelos bins acaba sendo maior.

Eu optei por sentar no 2D – que tem o console próximo à janela pois eu fiquei com medo do descanso dos pés afunilar conforme no B767.

Mas se eu soubesse que não seria o caso, eu teria sentado no assento logo atrás já que o console fica pro lado do corredor te dando mais privacidade e consequentemente você fica mais próximo à janela.

A “suite” é super bem acabada, na medida do possível espaçosa e garante um conforto ideal tanto para descanso quanto para trabalho.

O acabamento da poltrona é impecável e as cores – baseadas na logo da delta – foram harmonicamente utilizadas.

O assento é mais largo que nos B767 e apesar de aparentar na foto, pode confiar, você não se sentirá apertado dentro da suite.

A poltrona é total flatbed e se transforma em cama quando reclinada. E quando você fecha a porta tem seu mini cubículo para relaxar durante o vôo.

Um overview da cabine vista da parte de fora com o assento reclinado.

Eu fiz questão de registrar todos os detalhes, afinal não é todo dia que você pega um avião “cheirando à novo”.

Eu gosto bastante deste couro todo trançado que a Delta usa nas poltronas – ele evita o fato dos sinais de uso do couro aparecerem com o decorrer do tempo.

A logo da Delta One – nome dado à classe executiva da cia – também está bordada na cabeceira da poltrona.

Os assentos também possuem luzes e saída de ar individuais.

Como esta cabine é novidade para todos, os clientes ganharam um folheto explicando as facilidades da suite.

O descanso dos pés não afunila e é quadrado – portanto você não terá problema em se movimentar – nem na largura e nem na altura.

O controle do assento era feito através deste painel touchscreen de fácil acesso.

Embaixo da mesinha você tinha alguns botões rápidos como iluminação da cadeira, posição cama e posição pouso/descolagem – facilitando assim a vida do passageiro.

O console onde ficava o joystick do IFE escondida também um espelho – ideal para você se maquiar, espremer espinha ou até mesmo ver o tanto que você está feito e desarrumado depois de um vôo de 14 horas, rs.

O fone de ouvido é o mesmo usado nos demais aviões da cia – LSTN de ótima qualidade.

Embaixo do suporte do fone você encontra tomada universal, saída e áudio e porta USB – todas estrategicamente posicionadas e de fácil alcance.

O amenity kit foi o estojo “molinho” da TUMI – com os mesmos produtos que sempre recebemos ao voar com a Delta.

A suite ainda oferece uma luz ambiente na parede lateral que achei super elegante e futurista.

Logo abaixo estava a alavanca para abrir e fechar a porta – porém a mesma só funciona depois que o vôo estiver em altitude de cruzeiro pois as comissárias passam destravando. Então se quiser portas fechadas no pouso e decolagem – esqueça – não vai funcionar.

Curiosamente o cinto de segurança é daquele de 3 pontas – só não entendi o motivo já que todos os assentos são virados para frente. Alguém sabe explicar o porquê?

Do meu lado direito estava o colete salva-vidas e um mini compartimento para objetos menores.

O monitor era uma maravilha, 18″e full HD.

Além de touchscreen a programação era super vasta, completa e com bastante opção de música, séries, filmes etc.

O IFE falhou diversas vezes durante o trajeto – no meio do filme ele desligava e ligava – voltando ao ponto original.

O avião também oferece wifi mas infelizmente ele não funcionou durante todo o trajeto. As comissárias resetaram umas 100x, mas sem sucesso – uma pena pois em um vôo desta duração o wifi é essencial.

Ainda em solo foi servido espumante – só eu que detesto este guardanapo de papel da coca? Acho feio, simples e acaba estragando a apresentação do drink.

Também ainda em solo foi distribuído o cardápio – que seguindo o modelo da vinda tinha opções ocidentais e orientais.

As comissárias já me conheciam então o atendimento foi bem familiar – optei por Ginger Ale + Whisky para começar. O mix de nuts veio aquecido e bem servido.

A apresentação da salada estava muito boa – folhas, nozes, maçã e um molho cremoso de maçã. A entrada era salmão enrolado em uma abobrinha e um pedaço de peito de frango – que tava seco – impossível de comer. A sopa estava OK – mas nada de extraordinária.

Em contrapartida do voo de vinda, o serviço agora foi BEMMMM lento – não sei se foi pelo fato da tripulação estar se adaptando com a galley, com o avião e o layout das poltronas. Meu prato ficou “sujo” na minha mesa por vários minutos antes de eu precisar acionar a chamada de comissárias para elas recolherem.

Pedi um peixe com crosta de parmesão e cuscuz marroquino – estava ótimo – mas eu tive que cavar para achar o peixe nesta bagunça que veio o prato, rs.

Por fim passaram o carrinho com as sobremesas, queijos e sorvete.

Optei tanto pelo sundae quanto por uma tortinha – que estavam ótimos.

A Delta não oferece turndown service (abertura de cama), ela somente fornece o duvet para o passageiro com os travesseiros. Eu recebi 2 travesseiros mas agora não lembro se os demais clientes também.

A poltrona reclinada é super confortável, te oferece espaço o suficiente e garante o máximo de conforto na hora de dormir. As luzes indiretas em LED (azul e vermelho) dão um toque especial à suite.

O nível de privacidade com as portas fechadas é surreal – você realmente se isola na cabine não tendo contato nenhum com o “mundo externo”.

O fato da poltrona estar próximo da galley não me incomodou – consegui dormir por várias horas sem ser incomodado – mas eu também uso tapa-ouvido e tapa-olhos – o que já ajuda.

Desta vez como eu estava muito cansado não pedi o lanche que é servido durante o trajeto, portanto só comi a primeira e a segunda refeição.

Quase chegando em Detroit foi servido café da manhã – omelete com legumes e presunto, frutas e croissant – o omelete estava fresquinho. O croissant não estava tão bom e o kiwi foi um dos mais azedos que comi, rs.

Este winglet/sharklet é simplesmente demais né? Não canso de admirar!

Foi uma pena o voo durar somente 11 horas pois eu queria ficar mais tempo curtindo este novo assento do A350. Resumindo a experiência: O atendimento foi super cordial e especial principalmente porque a tripulação que assumiu este voo em Seoul também estavam estreando o avião – então era novidade para todos.  Uma pena que o wifi que é da nova geração 2ku da gogo não funcionou – mas acontece né? O assento é MUITO bom, para lá de confortável e satisfatório e extremamente competitivo para uma business class – nota 10!

Para quem quiser saber: atualmente somente nos novos A350 da cia existem este assentos. Pelo o que eu sei as rotas que este avião opera no momento são de Detroit p/ Tokyo e Seoul. A partir deste ano a cia começou (também de Detroit) Beijing [17-JAN], Amsterdam[18-MAR], Shanghai [18-ABR] além de Atlanta p/ Seoul [18-MAR]. Infelizmente a cia não tem planos de voar com este avião para o Brasil por enquanto.

Eu jamais pensei que uma cia americana iria investir em um produto mais upscale em uma classe executiva. Então tenho que deixar registrado os meus parabéns para a Delta, que tomou esta decisão após ouvir a opinião de diversos passageiros e suas reais necessidades de conforto em uma business class.

Avaliação

  • Check-in:
  • Embarque:
  • Poltrona:
  • Atendimento:
  • Refeição:
  • Entretenimento de bordo:
  • Amenity Kit:
Média
8,1