Classe executiva da Wamos Air no B747 – Santiago para Los Angeles

Cias Aéreas Classe Executiva

Por Fábio Vilela

Vamos começar com um review que todo mundo está esperando né? WAMOS AIR! Mas vocês devem estar se perguntando – “Mas Fábio, que cia é esta?” “Como conseguiu voar nela?”

Então como vocês sabem a LATAM está com alguns aviões B787 parados por causa das manutenções dos motores Rolls Royce (leia mais aqui) e uma das aeronaves “alugadas” e que estava operando algumas rotas da cia era um B747 da Wamos Air.

Quando eu vi que este avião iria parar de operar para a LATAM tratei logo de emitir uma passagem para poder experimentar, afinal seria uma chance única de conhecer uma aeronave tão “peculiar”.

Vôo LATAM LA602 (operado pela Wamos Air) – 17/06/2018
Santiago (SCL) ✈ Los Angeles (LAX)
Assento: 16A – Classe Executiva
Partida: 22:10 / Chegada: 06:25+1 / Duração: 11h15
Aeronave: B747-400

Quando fui escolher minha poltrona, me deparei com um mapa de assentos p/ classe executiva bem curioso. Notem que nas primeiras 5 fileiras o layout é 1-1 e depois o layout é 2-2 (ambos no upper deck). Como eu estava sozinho escolhi as poltronas individuais.

Aguardei na sala vip da LATAM em Santiago até o horário do voo. Fui um pouco mais cedo para não perder o momento do embarque (que ocorreu no horário previsto) e conseguir registrar algumas fotos da cabine ainda vazia.

Quando subi as escadas me deparei com o layout mais curioso que já encontrei em uma cabine para uma mesma classe. O upper deck era dividido em duas seções – a primeira com 2 poltronas e a segunda com 1 poltrona – conforme eu falei ali em cima. Mas o mais curioso é que as primeiras poltronas eram extremamente mais confortáveis (mas depois descobri que não) do que as demais.

Na parte onde a distribuição era 2-2 as cadeiras não eram flatbed’s, tinha reclinação super limitada, ou seja, aquele melhor estilo tobogã que vocês já conhecem.

Já na parte posterior eram cadeiras flatbed’s, proporcionando uma individualidade e conforto maior ao passageiro. E sabe qual é o fato mais curioso de tudo isto?! Tudo era vendido como executiva – o que eu acho injusto. Imagina você ter pago o mesmo valor, ou até mesmo mais que o outro passageiro para voar na mesma classe, mas por causa da disposição da aeronave, pega um assento inferior que o do colega no mesmo voo? Não é muito estranho?

Eu fui pesquisar um pouco mais a fundo sobre este avião e descobri que as cadeiras da frente eram vendidas como “First Class” da  Air New Zealand – uma das operadoras desta aeronave, e que as poltronas de trás eram executiva – por isto a diversificação. Porém, enquanto esta aeronave voou pela LATAM, tudo foi vendido como Premium Business.

 

Fui então dar uma analisada nas poltronas individuais que eram no formato espinha de peixe, ou seja, na diagonal.

A tripulação era da Wamos Air, e os dois comissários que atendiam o upper deck foram simpáticos – mas sem muito “requinte”. Toda a parte de catering/louçaria/roupa de cama/amenity kit eram da LATAM.

Depois de sentado trouxeram o espumante quente com castanhas murchas. As toalhas que eram para vir umedecidas vieram secas – vai entender!

A nécessaire é a padrão da LATAM – curioso que neste voo não veio escova de dente – não reparei se tinha no lavatório – me esqueci.

O fone de ouvido também era da LATAM.

A poltrona – apesar de aparentar confortável – é EXTREMAMENTE apertada, pequena e curta.

Eu tenho 1,85m e confesso que sofri para poder caber neste cubículo – não tinha posição favorável de forma alguma.

Em ambos os lados tem 5 assentos.

Sendo que todos possuem o “ottoman”, este banquinho para colocar os pés.

Aliás, vamos falar do estado de conservação dos assentos – DEPLORÁVEL ! Esta aeronave é MUITO antiga e a conservação ficou lá em 1900, rs.

Além de suja, mal cuidada e com várias partes mofadas, a maioria das funções da cadeira só funcionava na “porrada”, e logo mais conto mais sobre isto.

Couros rasgados, partes quebradas, descascados em toda parte – era um pouco do que você encontrava a bordo deste B747 da Wamos Air.

O descanso do pé afunilava, ou seja, o assento que já era apertado ainda tinha este agravante. Para uma pessoa com estatura/porte normal de adulto – é BEM complicado ficar confortável.

Mais detalhes do quão bem cuidado estava o estofado da poltrona.

O assento também tem entretenimento de bordo individual, porém só com 10 filmes e não é On Demand.  Apesar de não ter USB o avião tem tomada – que funcionou perfeitamente durante todo o voo.

Além do sistema ser extremamente lento, com tela pequena e travar toda hora  a variedade da programação é inexistente – ou seja, praticamente apenas um enfeite.

A qualidade do som era horrível – acredito que pela entrada de áudio do próprio assento, portanto mal conseguia escutar alguma coisa.

Vamos voltar pra época do MS-DOS?

Além de mal conservado, o assento estava MUITO sujo – resto de cabelo, castanhas e comida eram fáceis de encontrar em qualquer lugar e a olho nú.

O serviço demorou exatamente 2h10 para começar – e não foi por causa de turbulência ou nada do tipo – bom pelo menos que eu soubesse. Nisto eu já estava morrendo de fome! Não houve cardápio – os comissários já vinham com o trolley (carrinho) e te falavam as opções de comida – acabei optando pela massa para não ter erro. A comida estava OK – mas nada demais. Achei o macarrão um pouco oleoso. Os pães vieram quentes – diferente de quando você viaja na LATAM, rs. Curioso né?

Não teve carta de vinhos/menu de bebidas o que dificultava na hora de escolher o que beber, já que os comissários tinham que descrever tudo para o passageiro – serviço lento, nada prático e totalmente unprofessional. 

A sobremesa era variada – ou frutas ou doces – era na sorte – e como a business veio lotada não teve opção de poder trocar.

Detalhe para o sal do Himalaia – ponto positivo!

Agora vamos à mais uma curiosidade do assento – transformar ele em cama. Os botões “eletrônicos” praticamente não funcionavam direito e a única forma que conseguiram deitar minha poltrona foi segurando os botões e forçando – ou seja, literalmente dando uma “porrada” no encosto da cadeira para ela descer.

Porque achei este assento “curioso”? Ao invés da poltrona inclinar pra trás, ela inclina pra frente. Portanto, você dorme na verdade nas “costas” do assento – acho que esta foto consegue expressar um pouco do que estou tentando explicar.

Qual o ponto negativo? Você fica em cima de uma tábua dura e sem estofamento! Além de MEGA apertado para dormir, a tábua ops, cama era dura. Como a executiva estava lotada nem edredon extra tinha para poder forrar e deixar a cadeira mais confortável – ou seja, um lástima. E para piorar, como o assento inclina somente pra frente para ficar flatbed, você não tem um meio termo de reclinação – por exemplo eu não gosto de dormir totalmente reto, gosto de deixar as costas ligeiramente inclinada – mas neste assento isto é impossível.

Para se mexer também era complicado – você tinha que dormir em posição de defunto pois o espaço era tão limitado que qualquer coisa você esbarrava nas laterais do assento. Eu custei a conseguir descansar propriamente e ainda com entretenimento de bordo limitado – confesso que nunca quis tanto que uma viagem chegasse logo – parecia que não tinha fim!

Quase chegando em Los Angeles foi servido o café da manhã – bem típico e básico que a LATAM oferece em rotas internacionais. O omelete veio quente somente da metade pra baixo, acredito que pela posição que colocaram no forno. O bolo estava bom e os pães quentes novamente – ponto positivo!

Bom, como vocês puderam notar, ver e “sentir”, este voo foi muito desagradável no quesito cabine/conforto – mas como o meu intuito é de avaliar o máximo de cias diferentes por aí – minha meta foi atingida – mas confesso que não foi fácil não viu?!

Ainda bem que este avião não está voando mais pela LATAM pois eu imagino o tanto de reclamações que eles devem ter recebido.


Como comprei a passagem?

Não teve muito “segredo”, pesquisei pelo site da Multiplus que apresentava dois valores diferentes – um na aba e outro na hora da finalização. Como não consegui emitir online, liguei no call center, enviei o print e eles honraram o menor valor de 65.750 pontos + R$263,35 de taxa de embarque.

Achei que foi um excelente resgate – consegui sair de Uberlândia até Los Angeles, sendo que os trechos de São Paulo p/ Santiago e Santiago p/ Los Angeles foram em classe executiva – tudo no mesmo bilhete!


E aí, o que acharam desta cia aérea Wamos Air? Topariam encarar?

Avaliação

  • Check-in:
  • Embarque:
  • Poltrona:
  • Atendimento:
  • Refeição:
  • Entretenimento de bordo:
  • Amenity Kit:
  • Internet:
  • Pontualidade:
  • Limpeza:
Média
5.1

Tudo sobre Programas de Fidelidade
As melhores avaliações de cabines de Primeira Classe e Classe Executiva do mundo
Luxuosas suítes de hotéis