Multiplus lança seu próprio cartão de crédito. Vale a pena?

Pessoal, o Itaú e a Multiplus acabam de lançar a sua primeira linha de cartão de crédito co-branded, resultado da parceria anunciada em julho de 2016 pelas duas companhias. Com a bandeira MasterCard, e em breve Visa, o cartão estará disponível nas versões Internacional, Gold, Platinum, Black e Infinite para correntistas ou não do banco.

screen-shot-2017-01-24-at-09-48-02

Todos os cartões Multiplus Itaucard terão desconto de 30% na compra de pontos Multiplus, parcelamento de até 10x sem juros em qualquer passagem aérea da LATAM e Acelerador de Pontos com custo diferenciado. Ao longo do ano, os portadores dos cartões terão acesso a promoções exclusivas e outros benefícios mas por enquanto as vantagens são baseadas na categoria, vejam:

screen-shot-2017-01-24-at-09-47-43

E para celebrar o lançamento, a promoção “Super Pontos” dará 100 mil pontos para o cliente que contratar a versão Black e tiver um gasto de R$ 60.000 reais entre 1° de abril e 30 de setembro de 2017 e 30 mil pontos para quem contratar a versão Platinum e tiver um gasto R$ 30.000 reais no mesmo período.

screen-shot-2017-01-24-at-09-51-26

A promoção é válida para as aquisições de cartões realizadas até o final de março. Ah, e outro grande diferencial para as versões Black e Platinum é que, a partir da ativação do cartão, todos os pontos acumulados no cartão e nos demais parceiros da rede Multiplus terão validade de 36 meses.

Bom, mas e aí, vale a pena? Vou focar exclusivamente no MC Black que é um produto de alta renda e praticamente vai de encontro com o que discuto aqui no site.

Tirando os benefícios da própria bandeira como Sala VIP em GRU, Assistência em Viagens, etc, o cartão vem com uma anuidade super cara de R$1.200,00 – praticamente a mesma cobrada pelo The Platinum Card da AMEX – que é na minha opinião o melhor cartão de crédito do Brasil com inúmeros parceiros aéreos. Esta anuidade praticada também é mais cara que o Masterblack Unlimited do Santander (R$890) que vem com o Priority Pass (até 5 adicionais gratuitos), pontos que nunca expiram e uma conversão de 2,2 por dólar gasto – além de claro, também transferir para mais cias aéreas.

OBS: O LoungeKey anunciado pela Multiplus como um benefício gratuito (na adesão) para acesso às salas vips pelos aeroportos pelo mundo é pago por acesso – portanto não é vantagem.

Agora, vamos levar em conta a oferta de 100k – você precisaria gastar R$10k por mês até Setembro para poder ganhar os pontos – ou seja, na verdade você teria um custo de R$120,00 para cada 10k pontos o que é um bom valor. Mas como eu já pago anuidade no meu MBlack Unlimited do Santander não vejo necessidade de investir somente pelos pontos, ainda mais com a quantidade de parceiros e dificuldade de resgate em cabines premium que o Multiplus impõe, concordam? A conversão de 2,5 pts por U$ é interessante, em contrapartida fica pra trás quando a Multiplus faz promoção dando até 60% de bonus nas transferências dos cartões. E outra fator (ainda falando do MC Black do Santander), são as constantes promoções que o banco faz, onde eles concedem até 6,6 por U$ não tem nem como colocar os dois no mesmo patamar de comparação.

Bom, não posso deixar de salientar que pela primeira vez um cartão de crédito veio com um “sign up” (bonus de aquisição) tão generoso no Brasil – quanto à isto não tenho como negar que foi uma jogada de mestre e a Multiplus está de parabéns seguindo uma tendência muito comum nos EUA onde as pessoas abrem cartões todos os anos, atingem as metas e refazem tudo outra vez no ano subsequente e assim acumulam milhas apenas com estas transações.

E aí, o que acharam da novidade?