O IOF te impede de usar seu cartão de crédito no exterior?

Notícias Programas de fidelidade

Por Fábio Vilela

Muita gente me pergunta se ainda vale a pena usar o cartão de crédito no exterior e pagar o IOF de 6,38% para acumular milhas.

Bom, eu ainda uso com frequência, primeiro porque não gosto de ficar viajando com dinheiro em cash e segundo que o valor que acabo pagando de IOF consigo depois diluir nas minhas emissões.

Como eu não vou deixar de usar meu cartão nas viagens, optei por um que me desse uma vantagem a mais, que até já falei pra vocês diversas vezes aqui no site – que é o Mastercard Black AAdvantage do Santander . Ele pontua 3 pontos pra cada transação internacional (U$) que você fizer, e além disto os pontos que vão direto para a American Airlines nunca expiram desde que você tenha qualquer gasto no plástico todo mês.

Eu ainda estou no período de gratuidade de anuidade do cartão, então estou usando como meu método de pagamento principal. Agora quando chegar a dolorosa anuidade, vamos ver como vai ser pra negociar e se manterei ele comigo.

OBS: Aliás, se alguém souber de outro cartão de crédito no Brasil que dê pontos extras em compras internacionais favor colocar nos comentários.

Enfim, existem outros pontos que ainda me fazem ainda usar o cartão nas minhas viagens internacionais (já até fiz um post no passado sobre isto).

Vou tomar como exemplo os benefícios da bandeira Mastercard Black (independente do banco).

  • Comprei um Macbook Pro de U$2.800,00 ou seja, IOF U$178.64 saindo da loja, veio um cara e me assaltou e levou meu computador. Com o seguro “Proteção de Compra” tenho cobertura para reparar ou substituir os produtos, nacionais e importados, adquiridos com o MC Black e, que forem roubados, furtados ou danificados dentro de um prazo de 90 (noventa) dias a partir da data da compra. Ou seja, se eu tivesse pago em CASH ficaria sem os U$2.800,00. Neste caso o IOF de U$178.64 me garante um computador novo – em tese.
  • Aluguei um Porsche Cayenne na Hertz por uma semana por U$4,000.00, ou seja, IOF U$255,20. Não usei o seguro da locadora e infelizmente bati o carro e deu perda total. Como paguei com meu cartão de crédito, ele cobra até U$75,000 de danos no carro. Se eu tivesse pago a locação com dinheiro ou cartão de débito, não teria o seguro. Neste caro o IOF de U$255,20 me garante uma economia de pagar um carro novo para Hertz. Bom, eu nunca precisei utilizar, então não sei até que ponto seria fácil resolver este pepino, rs.

Agora no caso específico do Mastercard Black AAdvatange:

  • Gastei em torno de U$10.000 na viagem toda, totalizando um IOF de U$638,00 e o que vai me render 30,000 pontos no cartão (tomando base a conversão que é 3 pontos por cada U$ em transação internacional). Veja que o preço da milha aqui saiu a U$0,021 que é praticamente o mesmo valor que o próprio AAdvantage vende milhas em promoção de 50% de bônus – portanto um “deal” até que aceitável.

Confesso que pagar IOF me dói e não é sempre que compensa, afinal é um dinheiro perdido, mas sabendo maximizar o acúmulo combinando com emissões em cabine premium, você consegue diminuir este “prejuízo”, concordam? E o fato (no meu caso) de pontuar em um programa americano que não tem constantes depreciações de valores e alterações de tabela, me deixa confortável em manter a fidelidade por lá.

E vocês – como é seu perfil de gasto no exterior? Cash? Cartão pré-pago? Ou você também usa o cartão de crédito como eu? Qual a opinião de vocês a respeito?

Tudo sobre Programas de Fidelidade
As melhores avaliações de cabines de Primeira Classe e Classe Executiva do mundo
Luxuosas suítes de hotéis