Por que o voo entre Brasil e Israel é operado pela Latam Chile

Notícias

Por Alexandre Zylberstajn

Semana passada descobri o motivo pela qual o voo entre São Paulo e Tel Aviv é operado pela Latam Chile e não a Latam Brasil:

Pela Lei dos Aeronautas, o limite que um tripulante Brasileiro pode voar é de 14 horas. Segue o artigo da LEI com a restrição:

Seção V

Dos Limites de Voos e de Pousos 

Art. 30.  Denomina-se hora de voo ou tempo de voo o período compreendido desde o início do deslocamento, quando se tratar de aeronave de asa fixa, ou desde a partida dos motores, quando se tratar de aeronave de asa rotativa, até o momento em que, respectivamente, se imobiliza a aeronave ou se efetua o corte dos motores, ao término do voo (“calço a calço”).

III – 14 (catorze) horas de voo.


Duração dos voos para Israel

O voo de ida para Tel Aviv está programado para ter 13h15 de duração, dentro do que a Lei permite.

Por conta de correntes de ar, o voo de volta é mais demorado e programado para 15h10, fora do que a lei permite.

 

Por conta da restrição e apesar da vontade da Latam Brasil de operar o voo, a matriz Chilena acabou sendo a responsável pela rota. O voo se inicia em Santiago, para em São Paulo e uma nova tripulação Chilena assume o serviço até Israel.


Faz sentido?

Por mais que tenhamos aviões mais modernos e de maior alcance ou autonomia, nenhuma empresa brasileira vai poder operar voos mais longos do que as 14hs previstas na lei. Enquanto isso, empresas Chilenas, Americanas, Turcas, Australianas e muitas outras podem.

Algum leitor sabe o motivo do Brasil ser diferente do resto do mundo? acham que faz sentido?

Se for por questões relacionadas a saúde, não tem o que falar – mas ficaria surpreso, dado que muitos outros países permitem.

 

 

 

Tudo sobre Programas de Fidelidade
As melhores avaliações de cabines de Primeira Classe e Classe Executiva do mundo
Luxuosas suítes de hotéis