Primeira Classe da Etihad no A340 – São Paulo p/ Abu Dhabi

Cheguei em Guarulhos no Terminal 3 e fui direto para o check-in exclusivo da First da Etihad para despachar minha mala. O funcionário que me atendeu foi super gentil por sinal e logo eu já estava com meu boarding pass em mãos. No check-in perguntei se eu ainda estava sozinho na First pois estava monitorando o load factor do voo e vi que só tinha uma poltrona vendida – a minha. O atendente disse que talvez eu não viajaria sozinho pois eles teriam que processar 2 upgrades da Business p/ a Primeira Classe por causa de overbooking – Enfim #FirstWorldProblems, rs.

Como eu iria pernoitar em Abu Dhabi precisei tirar o visto de turista pois eu queria sair do aeroporto para ir na mesquita fazer umas fotos por lá de noite.

img_0691

Fiquei surpreso e decepcionado de saber que clientes voando na Primeira Classe da Etihad – que custa uma pequena fortuna – tem acesso ao GRU Executive Lounge – uma das salas vip’s mais fracas do aeroporto. Acredito que pelo menos os clientes voando em First poderiam ter acesso ao First Class Lounge da GRU – o mesmo que a Air France usa e eu já fiz review dele aqui – afinal é um espaço muito mais exclusivo, não acham?

Aliás, aproveitando a deixa – alguém já voou de First da Emirates saindo do Brasil? Qual sala eles usam?

screen-shot-2016-12-05-at-11-16-59

Como o pessoal da Etihad já me conhece gentilmente eles se ofereceram para me embarcar primeiro que os demais passageiros para eu fazer fotos da aeronave – coincidentemente este era o primeiro dia que o A340 estava operando de volta pro Brasil pois até então a Etihad estava com um avião da Jet Airways – B777-300ER.

Vôo Etihad Airways EY 190 – 02/11/2016
São Paulo (GRU) ✈Abu Dhabi (AUH)
Assento: 2A – Primeira Classe
Partida: 23:30 / Chegada: 19:55+1 / Duração: 14h25 
Aeronave: A340-600

Passei primeiro pela classe executiva – o layout é 1-2-1 – o que garante acesso ao corredor à todos os passageiros. Nas poltronas do meio metade são juntas e metade são separadas. O mesmo acontece com as poltronas na lateral – onde é intercalado algumas ao lado da janela com o console no corredor e outras direto no corredor com o console da janela.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fui então para o meu assento 2A – acredito que tirando os A380, a maioria das cabines da Etihad seguem o mesmo layout, estofado e modelo – por isto vou dispensar muitos detalhes pois como já voei diversas vezes acredito que vocês já sabem o que irão encontrar. Apesar de muita gente ter falado que o couro parece envelhecido, não é o caso – é o modelo do material que a propósito é fabricado pela Poltrona Frau – ou seja, o mesmo da Ferrari. O assento não tem bin então é preciso que você guarde sua mala de mão embaixo do descanso dos pés.

Lembrando que na porta da poltrona tem um pequeno compartimento com cabides para você pendurar suas roupas.

A poltrona é super confortável, espaçosa e pelo fato de ter portas de garante uma ótima privacidade durante o voo. Antes de fechar as portas chegaram os 2 passageiros do upgrade, então ao total éramos 3. Logo na chegada fui super bem recebido pela chefe de cabine e também pelo chef à bordo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Você irá encontrar no ottoman (descanso para os pés) um cobertor de plush (para usar durante o voo enquanto a cama não está arrumada) e o fone de ouvido – que é noise cancelling e de ótima qualidade.

Além disto os passageiros voando na Primeira Classe recebem um amenity kit com produtos de higiene pessoal, pijamas e pantufas. O IFE é super completo e repleto de filmes, músicas, séries de TV, etc. O problema fica no joystick que é antigo e super lento para manusear – precisa de um upgrade.

O controle de todas as funções do assento é feito por um console touchscreen e lá você consegue personalizar a iluminação, posição, etc.

O avião oferece wifi e o custo é U$22 para uso ilimitado durante todo o trajeto – todas as classes devem pagar caso queiram usar.

img_0716

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ainda em solo como de praxe da Etihad você recebe a bebida de boas vindas, com tâmaras, champagne e café árabe além de uma carta de boas vindas assinada pelo chefe de cabine. Pode parecer um detalhe bobo mas acho este toque da cartinha super especial. O champagne no embarque era da Bollinger.

O chef veio então apresentar o menu e pegar meu pedido. Na Etihad não há carrinhos passando, ou seja, o serviço é dine-on-demand – você come o que quiser, a hora que quiser e o quanto quiser. Não há regras. O cardápio está ali como um guia apenas, mas você pode “teoricamente” pedir pro chef preparar o que quiser já que ele tem os ingredientes à bordo para personalizar um prato de acordo com a preferência do cliente.

Como éramos apenas 3 passageiros e o casal disse que não iria comer – perguntei se eu poderia fazer degustação de todos os pratos – ele prontamente disse que sim e falou que traria um por um pra mim combinando com os vinhos disponíveis. Woohoo!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para o início do serviço eles mudam o champagne para o Duval-Leroy que vem acompanhado de mix de nuts e azeitonas – aliás, será que só eu que acho as azeitonas da Etihad as mais amargas do mundo? Eita coisa ruim! Boas mesmo são as da Iberia que eles ridicaram pra mim no último vôo, rs.

img_0757

Bom, conforme eu falei pra vocês eu pude experimentar todos os pratos disponíveis no cardápio. O serviço foi super personalizado afinal só eu estava comendo.

Não gostei do camarão de entrada – estava com um cheiro forte de peixe. Os demais pratos estavam ótimos – principalmente o arabic mezze que eu adoro e o bife wagyu que estava no ponto ideal da carne. Ah para vocês terem uma idéia tinha até baião de dois no cardápio – rolem as fotos da galeria para ver a descrição e apresentação dos pratos. Por alguns momentos a comissária que estava servindo as bebidas me esqueceu e eu tive que chamá-la duas vezes para ir trocando os vinhos à medida que os pratos iam chegando.

Aliás, para ser bem sincero eu acho que algumas das refeições não estavam tão bem elaboradas, mas o sabor compensou em todas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quando terminei esta orgia gastronomica a comissária se ofereceu para arrumar minha cama. Ela forra o assento com um colchonete e além disto você recebe um edredon, travesseiro e aquele cobertor que mostrei no início do post. Detalhe para o bilhetinho desejando “Bons Sonhos” – outro pequeno gesto que faz a diferença.

A cama é super confortável e eu praticamente desmaiei por boas horas. O espaço para você se movimentar é satisfatório e caso você precise sair do assento é necessário abrir as portas (que são manuais). Enquanto as luzes ficam apagadas o céu da aeronave é todo estrelado com luzes de LED – eu amo este efeito.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Eu acordei no meio da noite com fome – sim acreditem se quiser – e pedi um sanduíche de carne que veio acompanhado de batatas. Nesta hora quem me atendeu foi uma comissária que eu não tinha visto ela ainda – por sinal super mal educada e mal humorada. Ela fez cara feia quando pedi o sanduíche e além disto quando falei que queria ketchup ela quase virou um monstro – bufou e trouxe depois de uns 10 minutos – demorou demais! Aff, paciência né?

O sanduíche estava ótimo e a carne bem preparada – só não sou muito fã de batatas chip’s, então acabei não comendo.

Este vôo é bem curioso pois ele sai de noite, depois percorre um bom trajeto durante o dia e chega em Abu Dhabi de noite. Durante um momento enquanto ainda tinha raios de sol, eu acordei para o café da manhã. Primeiro me serviram café com alguns doces enquanto eu escolhia no cardápio o que eu iria querer.

Optei pelos ovos pochés com batata rosti e cereal com frutas. Tudo estava uma delícia e preparado na hora – nota 10!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quase chegando em Abu Dhabi os funcionários entregam este papel que te dá direito a usar a Fast Track na imigração do aeroporto.

img_0919

Por fim a chefe da cabine veio agradecer a presença assim como o chef. O vôo realmente foi super agradável, no quesito atendimento deixou a desejar por causa de uma atendente mas no geral a experiência foi boa. A comida é saborosa mas acredito que possa melhorar um pouco na apresentação ou ter algumas iguarias mais requintadas como caviar por exemplo.

A poltrona cama é confortável e oferece um ótimo espaço para o passageiro relaxar, dormir ou até mesmo trabalhar. Ponto positivo para o wifi que funcionou corretamente durante o trajeto.

Como vocês puderam ver voar com a Etihad é uma experiência bacana e bem personalizada – a cia pode não levar 10 em todos os quesitos mas no critério atendimento ela está na frente de muitas de suas competidoras.

E aí, o que acharam? Já voaram com a EY? Como foi sua experiência – compartilha com a gente!

Avaliação

  • Check-in:
  • Embarque:
  • Poltrona:
  • Atendimento:
  • Refeição:
  • Entretenimento de bordo:
  • Amenity Kit:
Média
8,9