Quanto vale uma milha? Quanto vale um ponto? Minha visão!

Pessoal, é o Ale!

Apresento para vocês a minha visão de como se precifica um ponto/milhas. Esta é uma análise que julgo MUITO importante e que usarei o racional como base para postagens no futuro.

Espero que ajude os iniciantes na avaliação das diversas promoções de compra pontos, adesão de Clubes, entre diversas outras promoções que temos vivenciado.

No final, convido a todos para um debate saudável e construtivo nos comentários.


Quanto vale uma milha? Quanto vale um ponto? 

Essas são as perguntas que mais recebemos no Passageiro de Primeira. Antes que possamos respondê-las, é importante esclarecer que milhas ou pontos são a mesma coisa: só o que muda é a denominação que recebem, a qual difere de um programa para outro.

Mas voltando à pergunta de um milhão de dólares: sinto-lhes informar que não existe uma resposta certa para ela. A precificação de uma milha é totalmente subjetiva e pretendo neste artigo demonstrar-lhes o que isso significa, de forma que cada um possa traçar seu próprio caminho e chegar na sua resposta ao final (sim, na SUA resposta, pois ela muito provavelmente será diferente da minha!).

A chave da precificação de um ponto é o uso que será dado a ele, ou pelo que ele será trocado. Todos acumulamos pontos para usá-los de alguma forma: seja em emissões de passagens em classe econômica, em executiva, na compra de produtos, nas estadias em hotéis, em créditos na Uber ou até mesmo para venda. E é justamente por usarmos nossas milhas de maneiras distintas que surgem as diferenças de valor.

Para que fique mais claro, à seguir demonstro os valores atribuídos a um ponto com base em diferentes formas de uso:


Trocando por Serviços:

Exemplo: crédito para usar na Uber

Para se obter um crédito de R$100,00 na Uber, o Smiles cobra 6.600 milhas – o que equivale a dizer que cada milha utilizada vale R$0,015.


Trocando por Produtos:

Exemplo: uma SmarTV de 55” (Modelo: 55MU6300) custa numa rede varejista R$3.499,00, conforme imagem abaixo:

  • Na TudoAzul, você consegue comprá-la por 309.527 pontos.
  • Na Livelo, por 260.000 pontos.
  • No Smiles, por 202.942 milhas.
  • Na Multiplus, por 172.740 pontos.

Assim, chegamos nos valores/milha demonstrados na tabela abaixo, com uma média igual ao valor atribuído no caso do crédito da Uber, mas com variações já relevantes entre os programas (os pontos Multiplus valendo quase o dobro dos TudoAzul):


Vendendo:

Apesar de algumas empresas coibirem o comercio de pontos de pontos em larga escala, é possível também vender suas milhas em portais na internet. Cada um funciona de uma forma distinta: no caso abaixo, você informa aos compradores o preço no qual deseja vender suas milhas e, caso alguém aceite sua oferta, o negócio é feito. Ainda assim, os sites costumam recomendar um valor médio e, com base nele, fazemos a análise do valor atrelado às milhas.

Exemplo: venda de pontos Amigo: nesse caso, começamos a aumentar levemente o valor, chegando a R$0,025/ponto:


Trocando por Passagem em Econômica:

Exemplo: uma passagem entre São Paulo e Miami para voar de 1 a 7 de outubro, em classe econômica, custa (no momento em que escrevo) R$2.861 no site da Latam:

Pela mesma passagem, a Multiplus está cobrando 70.000 pontos:

Nesse caso, o valor do ponto já começa a ficar um pouco mais interessante…

Mas o potencial é ainda maior – e isso se tornará evidente ao comparar a precificação em difentes classes em um mesmo voo.


Trocando por Passagem em Executiva:

Vamos comparar a emissão de uma mesma passagem em classe econômica X executiva.

Exemplo: uma passagem entre São Paulo e Nova York para voar Delta de 1 a 7 de outubro, em classe econômica, está custando (no momento em que escrevo) R$3.787:

Pela mesma passagem, a Smiles está cobrando 115.000 pontos – o que resulta em um valor/ponto de R$0,03:

Já a mesma passagem, em classe executiva, custa R$12.902:

No Smiles, é possível emiti-la por 180.000 pontos – finalmente chegando a um valor/ponto mais do que duas vezes maior em um mesmo voo (e quase 5x o valor atribuído ao trocar por crédito na Uber!!!):

Moral da história: foi possível extrair um valor muito melhor ao trocar pontos por passagem em classe executiva. E isso é uma constante nos programas de fidelidade.

Mas não paramos por aqui. Ainda temos outra oportunidade de maximizar o valor de uma milha: arbitrando entre os diferentes programas.


Trocando por Passagem em Executiva: escolhendo a programa que maximiza sua emissão

Vamos comparar a emissão de uma mesma passagem por diferentes programas de milhagem.

Exemplo: uma passagem entre São Paulo e Madrid para voar Iberia de 5 a 14 de novembro, em classe executiva, está custando (no momento em que escrevo) R$10.367:

Pela mesma passagem, o programa AAdvantage está cobrando 175.000 pontos:

Já o programa Iberia Plus está cobrando 85.000 pontos:

Fica claro que nesse caso extraímos um valor muito maior por ponto no resgate pelo Iberia Plus. No entanto, vale lembrar que, como cada programa tem um valor de resgate específico para determinado destino, seus pontos também passarão a ter um valor diferente de acordo com a situação. A escolha do programa certo para cada emissão tambem é FUNDAMENTAL:

As milhas American Airlines são excelentes, mas o valor máximo não é extraído em emissões para Europa.


Trocando por Passagem em Primeira Classe:

Exemplo: uma passagem entre São Paulo e Frankfurt para voar Lufthansa de 18 a 26 de setembro, em primeira classe, está custando (no momento em que escrevo) R$25.980:

Pela mesma passagem, o Amigo cobra 200.000 pontos (ida e volta):

Se, além disso, você aproveitar as promoções de transferência (que são constantes no mercado), como essa de 100% de bônus entre o Banco e o Programa de Fidelidade Aéreo, poderá emitir essa mesma passagem pela metade dos pontos.

Nesse caso, bastaria ter 100.000 pontos no programa certo, na hora certa, para emitir a passagem em primeira classe e chegar a um valor/ponto inacreditável!


Analisando Tudo:


Conclusão da nossa visão:

O valor de uma milha é subjetivo e vária de acordo com a maneira que cada um de nós a utilizamos. O mesmo ponto pode ser resgatado na troca de um serviço, produto ou passagem de primeira classe e a diferença no valor atribuído entre eles supera os 2500%!

  • CADA PERFIL TEM UMA ANÁLISE/PRECIFICAÇÃO DIFERENTE!
  • CADA TROCA/RESGATE/EMISSÃO ENFRENTA UMA CONDIÇÃO ÚNICA!

Com o atual dinamismo do setor, a análise feita acima está em constante mudança. Promoções, bônus, alterações nas condições tornam exatamente difícil para as pessoas amadoras acompanharem a garantirem que estão usando os pontos da melhor maneira possível, inclusive na COMPRA DE MILHAS. Nós do Passageiro de Primeira nos esforçamos ao máximo ensinar de forma didática como maximizar o acumulo e resgate de seus pontos!

Espero ter dado os elementos para que vocês consigam tirar suas próprias conclusões e adoraria que dividissem as respostas nos comentários. Afinal, Quanto vale a SUA milha? Quanto vale o SEU ponto?

Um abs,

@Ale_Zylberstajn.