Temer veta voos na primeira classe para membros do governo!

Notícias 25

Por Equipe | Passageiro de Primeira

O presidente assinou dia (6) o decreto que membros do governo federal, até mesmo ministros, não poderão viajar de primeira classe. Portanto, só poderão viajar de classe econômica, seja para viagens em território nacional ou exterior.

Segue explicação do site do Governo:

COMO ERA:

Antes do decreto, era possível adquirir passagens na primeira classe ou na executiva para viagens a trabalho, dependendo do cargo e posição na administração pública. Isso também valia para autoridades com 65 anos ou mais, com deficiência física e aos que realizassem viagens com trechos de duração superior a oito horas. 

COMO VAI SER:

A partir de agora, as autoridades e todos os servidores públicos federais só poderão viajar a serviço em voos da classe econômica. 

 

Vale lembrar que postei aqui sobre o assunto em jan/18!

E ai pessoal, o que vocês acharam da decisão? Apoiam?

Equipe PP

25 respostas para “Temer veta voos na primeira classe para membros do governo!”

  1. Marina J disse:

    Sempre eu e meus colegas viajamos pelas passagens mais baratas possíveis. O sistema do Gov Federal-Executivo sempre priorizou o preço em detrimento de tudo. Inclusive temos colegas q fizeram mais de 3 trocas de aeronaves/rotas só por causa do preço. Apenas ministros, e autoridades do legislativo viajam de exec/1ª. Comparar os milhares de servidores com algumas autoridades é muito fácil. Para nós não mudou absolutamente nada, só para os “chefões” mesmo.

  2. Julio disse:

    Super a favor da medida! Chega de mamata! Quem paga esta conta e o povo brasileiro. E se houver decisão importante a se tomar no dia da chegada, que saia um dia antes e tenha um dia de descanso. Melhor pagar uma diária de um hotel bom(99% dos locais vc acha bons hotéis a menos de 500 reais) do que 10-15 mil reais numa passagem de busines. Se nos países sérios funciona assim, pq aqui Tb não pode? As empresas que mais crescem tem políticas parecidas. Espero um dia ainda ver os deputados, prefeitos e senadores perderem isto. Não quer ir de econômica? Pague a diferença, oras!

  3. Taligadomalandragem disse:

    Certamente vai aumentar o número de ofertas e que vai pressionar para preços justos. Mas a nova política de leilão pode servir para analisar o real valor que os passageiros estão dispostos a pagar e assim voltar a movimentar a compra direta e os programas de milhagem.

  4. Jack disse:

    Seria legal se todos os posts voltassem a ter claramente o nome do autor.

    Fábio: adoro seus posts, adoro o PP e estou feliz com o seu crescimento. Desejo sucesso no crescimento, mas seria bacana identificar o autor.

    Sobre a matéria em si: economizar 5 mil Reais e deixar um negociador do Brasil fechar um negócio de milhões ou bilhões sem ter dormido a noite anterior? Não sei se é o mais inteligente. É o tipo barato que sai caro.

    • Fábio Vilela disse:

      Jack, a nova versao do site vai mostrar claramente quem escreve o post ok? Estamos trabalhando o quanto antes p/ resolver isto!

    • André Luís disse:

      5 mil reais? Bem mais. Não estão falando de tarifas promocionais.

      Uma diária de hotel a mais daria uns 500 reais em hotel padrão, comparar com com a diferença de dog pra biz é um abismo. E pior, as comitivas costumam chegar hoje com antecedência e mesmo assim viajam de biz e F. Essa justificativa de “descansar” não cola.

      • Jack disse:

        Tranquilo. Assunto polêmico. Respeito sua opinião. Porém se levado sua opinião ao extremo então para destinos nacionais (dependendo da cidade origem e destino) da para ir de ônibus… não precisa nem avião.

  5. Elga Salles disse:

    Bom começo! Quem quiser viajar com mais conforto, que o faça às próprias expensas. Ficará melhor se outros abusos em viagens também forem extintos.

  6. Denise disse:

    Demorou acontecer. Lembrando que quem paga a conta somos nós. Vamos aguardar o corte de hotéis 5 estrelas, restaurante luxuosos, carros de luxo, motoristas…e por ai vai. São pobres mortais, não concursados, como todos nós.

  7. Keyllon disse:

    Acho certíssimo…agora falta os senhores senadores e deputados perderem a boquinha de ir pro exterior de first, hospedar em hotéis 5 estrelas e pedirem reembolso por que a lei permite…esse corte já é um começo, parabéns!!!

  8. Tony disse:

    Me parece uma economia porca que não vai vingar. As “autoridades” (se é que podemos chamar assim) vão acabar burlando de alguma maneira. Muitas vezes uma tarifa de econômica cheia custa mais que uma tarifa de executiva com desconto. Essa regra tem que ser mais clara, determinando os postos e número de horas voadas.

    Nas empresas privadas cada uma tem sua regra. Numa norte-americana onde trabalhei muitos anos, todos gerentes e acima podiam viajar de executiva em voos acima de 5 horas e meia, que é um coast do coast nos Estados Unidos. Várias vezes tive que fazer bate-volta saindo do Rio 40 graus, chegando em NY na neve e mal tinha tempo de passar no hotel tomar um banho. Nesses casos não dá para encarar econômica.

    Uma solução que gosto, que era usada pela IBM (não sei se ainda é assim): sempre que possível o funcionário viaja na econômica e ao desembarcar tem um dia livre (na ida e na volta) antes de começar a trabalhar.

  9. Marcelo disse:

    Ok…. MAS!!!

    E o MP? E o Judiciário?? E O LEGISLATIVO???

    A medida só serve para servidores públicos… não atinge os outros Poderes…

    E AÍ????

  10. Pedro disse:

    Decisão aprovada!

  11. osso disse:

    Eles que paguem o upgrade. Afinal são cheios de milhas.

  12. Ney Duarte disse:

    Estou e de acordo e ponto final.

  13. Jorge Rangel disse:

    Acho exagero…
    Trabalhei em uma estatal e a regra era: gerentes executivos, diretores e presidente tinham direito à executiva, independente da duração.
    Outros empregados podiam utilizar executiva desde que a duração total fosse MAIOR que 13 horas, incluindo conexão, caso não houvesse voo equivalente direto com duração menor que 13 horas.
    Não dá para viajar para a Ásia, por exemplo, de econômica e com conexão imediata e chegar com condição de, sequer, raciocinar nas próximas 48 horas…

  14. Daniel disse:

    Vivendo em uma economia com metas deficitárias, essa medida é extremamente necessária e bem vinda.
    Política semelhante já é adotada em no setor privado. (Ambev, Amazon…)

  15. Gustavo disse:

    Na iniciativa privada, apenas grandes executivos tem acesso a passagem na executiva ou primeira classe. Acho perfeitamente compreensível adequar a viagem (chegando um dia antes, por exemplo) para que eles estejam dispostos para trabalhar em qualquer continente, como 99,9% dos empregados (públicos ou privados).

  16. luciano disse:

    Penso que pra quem vai trabalhar, precisa dormir. Imagine ir pra China, um dos nossos maiores parceiros, no camburão? Vai chegar moído.

  17. Andre disse:

    Então, complicado, como o cara que no caso é funcionário nosso, ganha alto salário vai chegar para “trabalhar” em uma reunião depois de uma viagem de 10 horas em classe econômica?
    Não sei dizer se essa é uma forma inteligente de economia, acho que tem buracos que escorrem mais aguas

    • Marcos disse:

      Estava achando que você estava sendo irônico até ler sua conclusão quando você afirma: “não sei dizer se essa é uma forma inteligente de economia”. Você tá de sacanagem ou tá falando sério? O fato de você achar que ” tem buracos que escorrem mais água” não significa que não tenhamos de fechar os buracos evidentes encontrados pelo caminho.

      • Andre disse:

        Concordo com você, tem que fechar todos. Mas qual será o rendimento que esse nosso funcionário terá em sua missão depois de uma longa viagem em economica em um fuso horário diferente?

Deixe uma resposta

Tudo sobre Programas de Fidelidade
As melhores avaliações de cabines de Primeira Classe e Classe Executiva do mundo
Luxuosas suítes de hotéis