Vale a pena pagar IOF e usar o cartão de crédito no exterior?

Diversos 87

Por Fábio Vilela

Muita gente tem me perguntado aqui no blog se vale a pena usar o cartão de crédito no exterior e pagar o IOF de 6,38% para acumular milhas.

Hoje eu vou expor alguns pontos que me fazem ainda usar o cartão nas minhas viagens internacionais.

Credit card terminal

Vou tomar como exemplo meu cartão Visa Infinite Bradesco Prime:

  • Comprei um Macbook Pro de U$2.800,00 ou seja, IOF U$178.64 saindo da loja, veio um cara e me assaltou e levou meu computador. Com o seguro Super Protegido tenho cobertura para reparar ou substituir os produtos, nacionais e importados, adquiridos com o Cartão Bradesco Prime Visa Infinite, que forem roubados, furtados ou danificados dentro de um prazo de 90 (noventa) dias a partir da data da compra. Ou seja, se eu tivesse pago em CASH ficaria sem os U$2.800,00. Neste caso o IOF de U$178.64 me garante um computador novo.
  • Aluguei um Porshe Panamera na Hertz por uma semana por U$4,000.00, ou seja, IOF U$255,20. Infelizmente bati o carro e deu perda total. Como paguei com meu cartão de crédito, ele cobra até U$75,000 de danos no carro. Se eu tivesse pago a locação com dinheiro ou cartão de débito, não teria o seguro. Neste caro o IOF de U$255,20 me garante uma economica de pagar um carro novo para Hertz.
  • Gastei em torno de U$10,000 na viagem toda, totalizando um IOF de U$638,00 e o que vai me render 22,000 pontos no cartão (tomando base a conversão do infinite que é 2,2 pontos por U$ gasto). Compensa? Talvez, com 20.000 pontos na TAM você ja tem um trecho de ida e volta dentro do Brasil. Para comprar passagens de ultima hora, em que alguns trechos costumam custar mais de R$2.000,00 vale a pena, caso contrário o IOF neste caso não vai compensar.

cc-foreign-transaction-feesA milha pelo Bradesco Visa Infinite adquirida junto ao IOF vai ter um custo de U$0.029. É um valor baixo, tendo base por ex. que a US Airways vende milha por U$0,035.

Bom pessoal, usar ou não o cartão no exterior é muito relativo e depende do perfil de cada viajante. Eu sempre uso e vou continuar usando, pois por mais que eu gaste mais com o imposto, pelo menos sei que to ganhando algo com isto.

Acho que tem hora que compensa, e pode ter horas que não.

Para quem não quer pagar de jeito nenhum há inumeras soluções no mercado como cartões pré-pagos (Visa, Mastercard e American Express) que você pode comprar créditos e usar no exterior a vontade sem a incidencia do imposto de 6,38%, voce irá pagar apenas os 0,38% pela operação financeira.

E qual a opinião de vocês a respeito?

87 respostas para “Vale a pena pagar IOF e usar o cartão de crédito no exterior?”

  1. Valeria Lima disse:

    Valeu pela informaçao ! Tenha um bom dia !

  2. Luiz disse:

    Seguro de cartão de crédito não cobre carro de luxo…

  3. Paulo disse:

    Apenas pra lembrar que o IOF para os Cartões de Débito aumento, agora também é de 6,38%

  4. Eliane K disse:

    Fui informada que na compra de credito no cartão pre pago também paga 6.38% de imposto . Por favor pode me esclarecer? Antes não precisava pagar este imposto mas agora é mandatários.Obrigada!

  5. Bruno Oliveira disse:

    Fala Fábio.. ótimo post!
    Minha situação é a seguinte: Faço muitos pagamentos (de pequenos valores) internacionais com cartão pré da mastercard, por volta de mil dólares/mês no montante….

    A questão é:, existem alguns serviços lá fora que simulam ser uma conta americana, como o Pyoneer (payoneer.com) e o Perfect Money (payoneer.com). Esse segundo faz transações em várias moedas.

    A dúvida é que eu não sei qual seria o serviço ou forma de conseguir fugir desse IOF de 6,38% usando algum desses serviços, uma vez que conta em algum banco no exterior me é impossível.

    Conhece esses serviços que citei? acha que existe uma maneira de eu podder realizar esses pagamentos sem o IOF alto?

    Obrigado

  6. Felipe disse:

    escapava do iof meu amigo agora tudo é 6,38%

  7. Dan disse:

    Seguro é um direito da cartão de credito. No meu pais o seguro é oferecido por qualquer tipo de transação internacional. Compra de equipamento eletrônico e geladeiras etc (2 anos proteção contra quebra o mal-função), seguro de viagem (perdas, roubos e gastos medicos), locação de carro etc etc etc…. Nós não pagamos nenhum IOF por estes benefícios.

  8. Germano disse:

    Amigo, vc é muito azarado mesmo rs, brincadeiras a parte, vc tem razão, eu também acho que vale a pena pagar um pouco mais e ter segurança do que chorar mais tarde por querer economizar um pouco.

  9. Paulo disse:

    Olá pessoal.
    Viajo no fim do mês para NY e após alguns estudos decidi utilizar majoritariamente meus cartões de crédito. Claro que vou levar também algum dinheiro em espécie, mas na maior parte do tempo vou utilizar o cartão de crédito mesmo. Ainda não decidi se levo um Travel Card, mas se for será um valor menor. Minha decisão está baseada no custo X benefício do cartão de crédito. Para comprar dólares em especie ou carregar um Travel Card, a cotação média que consegui até agora foi de 2,45 (hoje). Se aplicar os 6,38% ao dólar turismo (cotação de hoje) que é o utilizado pelo meu banco, o valor vai a 2,47. Ok, vou pagar um pouco mais, mas pelo menos terei todas as seguranças que o cartão de crédito proporciona (sempre usei em viagens internacionais) e a maior vantagem que é a pontuação. É claro que estarei sujeito à variação cambial, que pode ser uma desvantagem ou uma vantagem, dependerá da cotação do dia.

  10. Vitor disse:

    Fiquei preocupado… o cartão de débito do Bradesco Prime rede Visa não funciona lá fora? Vou ao Chile mês que vem e será minha primeira experiência offshore com o Bradesco (sempre usei Itaú mas acabei trocando de banco)…

    • Felipe Camocardi disse:

      Vitor, não sei como é no Chile, mas nos EUA, débito do Bradesco é praticamente estar sem nada nas lojas, Mas dizem que para saque em ATM’s funciona.
      Dica, leve outros cartões e tenha planos de contingências com dinheiro vivo.

      Abraços
      Felipe

  11. Juliana de Lourdes disse:

    Excelente postagem e os comentários melhores ainda. Parabéns ao blog pela interatividade. Sei que não é o foco, mas gostaria de saber mais sobre compras feitas com cartão de credito em sites do exterior, mas no Brasil IOF e impostos em geral. Obrigada

  12. enetto disse:

    Uma ajuda boa é um aplicativo que tem no google play. Procure por “Quanto no cartão” com as aspas mesmo. Este APP já faz todos os cálculos e com a cotação mais atual, é uma beleza.
    Segue o link: http://play.google.com/store/apps/details?id=com.quantonocartaolittle

  13. Giuliano disse:

    Infelismente a cotacao do dolar do cartao de credito que a maioria afirma ser proxima do dolar comercial ( mais baixo ) nao vem acontecendo comigo. Toda vez a fatura fecha o mais proxima possivel do dolar turismo ( hoje a 2,36 ) . No me caso, como utilizo mais o TPC , liguei para a central de atendimento e me informaram que eles obram a “taxa amex” . Que fica entre o comercial e turismo, mas que nao saberia me informar a formula. Hoje, se realmente fosse cobrado pelo dolar mais baixo ( comercial ) daria uma diferenca para menos de 3% na media. Como o iof é de 6%, na verdade e matematicamente eu deveria pagar apenas 3% a mais para ter toda a comodidade, beneficios, milhas etc por estar utilizando o credito ao pre-pago. Mas nao estou conseguindo entender o porque dessa cottacao tao alta. Percebi que nesse mes, meu cartao do santander tambem teve a cotacao do dolar proxima ao do amex. Os amigos podem confirmar isso pra mim ? Um abraco a todos

  14. Marcelo disse:

    Fábio e demais, muito legal o artigo e a troca de idéias e informações que ele gerou. Vou deixar a minha experiência. Quem sabe contribuo.

    Em fevereiro fui a Las Vegas e Orlando com minha esposa. Evitei ao máximo usar o cartão de crédito (o meu é Bradesco Prime Visa Gold), mas levei ele para o aluguel do carro e economizar no seguro, já que concluí que mesmo com IOF de 6,38% a economia em não ter que pagar o seguro da locadora vale a pena.

    Para o restante da viagem, usei majoritariamente cash e um cartão pré-pago adquirido na Action Cambio em SP (o cartão é do Banco Rendimento).

    Carreguei o cartão com US$4.000,00.

    Para minha surpresa depois de uma semana usando o cartão e possuir ainda uns US$1.500 de saldo ele foi bloqueado. Liguei na central deles e a justificativa do banco rendimento é de que foi bloqueado por segurança. Estranho por se tratar de um pré-pago, mas tudo bem. Pedi para desbloquear e aí tive a infeliz surpresa!

    Eram 16:30 em Orlando, 18:30 em São Paulo. O “setor” de desbloqueio só atende no horário comercial! Como pode um cartão pré-pago internacional ser bloqueado e a administradora/banco não dar a opção do cliente desbloquear a qualquer hora? Não tem hora para bloquear não pode ter hora para desbloquear. Um absurdo. No dia seguinte liguei e solicitei então o desbloqueio. Ok, a pessoa confirmou todas as despesas e 20min depois disse que desbloquearia. Não desbloquearam. Liguei então no dia seguinte (2 dias após o bloqueio) e a pessoa falou que eu teria que aguardar mais 24h para o desbloqueio ser efetivado e que era para eu retornar a ligação no dia seguinte para confirmar!

    Não preciso falar mais nada. Quem viaja bastante já entendeu o drama. Agora imagine se eu não tivesse levado meu cartão de crédito comigo e tivesse pouco cash? Paguei o hotel com meu cartão convencional e poderia ter usado o saldo do pré-pago. Se eu não tivesse levado o convencional eu estaria lavando pratos em Orlando!

    Resumindo, mesmo que você opte por usar cash e um pré-pago, é importante levar um cartão convencional com limite adequado porque ele pode ser o seu backup nesses casos.

    Ah, e fujam dos cartões Visa Travel Money desse banco Rendimento. Fujam da incompetência! É furada e pode estragar a sua viagem! Eu aprendi. Cartão pré pago agora só de bancos de primeira linha com atendimento e central de desbloqueio 24h.

    Abraços
    Marcelo

    • Fábio Vilela disse:

      Marcelo que bom que voce compartilhou do seu relato e que chata a situação toda.
      Realmente em viagens não dá para ficarmos somente dependendo de um cartão, pois emergências e imprevistos sempre acontecem.
      Grande abraço

  15. Moreno disse:

    Muito interessante este artigo e, tão quanto, os comentários… vou deixar a minha pesquisa aqui também, que é APENAS teórica, pois ainda vou realizar a minha viagem… mas já demonstra a dificuldade de saber COM CERTEZA sobre os fatos que acontecerão nas compras/saques. Bom, vamos lá…
    Tenho duas contas: uma no Banco do Brasil (cartões Visa e Master Ourocard Gold) e outra conta no Santander Van Gogh (cartões Visa e Master Platinum). Vamos aos relatos da dura empreitada!!!
    Liguei 10x somando os dois canais de atendimento e obtive diversas respostas… compilando tudo, entendi que:

    Conclusões para os dois bancos:
    – Qualquer função no crédito, seja compras ou saque, IOF de 6,38%;
    – Qualquer função no débito, seja compras ou saque, IOF de 0,38%;
    – Seja para compras ou para saque na função débito, há um limite diário de uso;
    – Para a função crédito o limite é o do cartão;
    – O cartão de bandeira VISA não funciona no DÉBITO (Visa Electron), apenas a bandeira MASTER (Maestro) permite fazer compras no débito;

    BB:
    – A taxa para saques é de R$ 12,00 por saque (mais IOF da função débito/crédito utilizada);
    – O limite diário, para saques ou compras no débito, é de R$ 1.200,00;
    – Para crédito ou débito, se for moeda estrangeira que não seja o dólar americano, haverá cobrança da taxa de conversão que é de 1%;
    – O pior de tudo foi saber, antecipadamente, qual o (MALDITO) câmbio utilizado para conversão: se dólar comercial, dólar turismo, média dos dois etc… juro que obtive todas estas respostas, ou seja, não sei qual será o câmbio cobrado para uso dos cartões do BB… e em uma das ligações ainda obtive a resposta que depende do que está no contrato do meu cartão de crédito que fiz ao adquiri-lo 

    Santander:
    – A taxa para saques é de R$ 15,00 por saque (mais IOF da função débito/crédito utilizada). Clientes Van Gogh tem direito a 2 saques gratuitos por mês ;
    – O limite diário, para saques ou compras no débito, é de $ 600,00 dólares;
    – TODOS os atendentes do Van Gogh que conversei me confirmaram que o câmbio utilizado na conversão de compras/saque, seja no débito ou no crédito, é o TURISMO. Fiz algumas compras no ebay mês passado, utilizando o meu cartão de crédito internacional, e confirmei que é cotação do dólar turismo. Todos os atendentes me disseram que, para saque na função débito, também será o câmbio do dólar turismo;

    RELEMBRANDO: Todas estas informações eu obtive pelos canais de atendimento dos bancos, ou seja, ainda não tenho a confirmação, pois minha viagem é no próximo mês!
    Se eu lembrar mais alguma coisa, volto a postar! Abs

  16. Sisão disse:

    Todas as formas de pagamento são válidas, porém, o melhor é ter um cartão de crédito de segurança sempre, você nunca sabe o que vai acontecer e por qual emergência vai passar. Por tanto um cartão de crédito é sempre bom ter na carteiradesco é muito bom. Cobra o valor do dolar um pouco abaixo do turismo, dá 2.2 milhas por dolar, e ainda te bancam o seguro do carro, fora que eles tem uma parceria com diverso hotéis, através do visa luxury hotel, com descontos em estadia, iinternet, valet parking, e outras coisas. Uma outra vantagem do cartão de crédito é poder comprar na amazon.com, e com isso você evita o TAX (imposto sobre compras) , que nas cidades mais baratas é de 6,5% chegando até 10%, ou seja, já vale o IOF de 6,38%.

    • Fábio Vilela disse:

      Isto mesmo Sisão, boas observações.

      • Felipe disse:

        Sisão,

        Estou hoje no Texas e essa “moleza” de comprar sem pagar taxa ( Tax como vc citou ) está acabando.
        Ao comprar alguns produtos cujo vendedor é a AMAZON ( ex. Computador/ HD e etc ) já estão colocando o imposto local. Ou seja, se comprar no site da amazon e o vendedor for a própria Amazon, já estamos pagando imposto. Agora se comprar de outro vendedor, realmente não tem o imposto.

        Infelizmente dou preferência quando o vendedor é a própria amazon pois acho mais seguro.

        Fica ai mais uma informação.

        Abraços

  17. Felipe disse:

    Ola a todos,

    Como já visto acima, cada um tem um perfil. No meu caso levo todos os cartões de crédito que tenho e ando somente com 1 na carteir, no caso o que me dá mais milhas (2.2 do Infinity ). O restante fica no cofre do Hotel. Para caso tenha problemas com qualquer um deles.

    Ando com o cartão de débito e pago tudo com ele se aceitar, pois pago o dollar mais barato e IOF mais barato. A única desvantagem é não receber as millhas. Mas tb não dou 1 centavo pro governo fdp com 6,38%.

    Sempre que preciso de dinheiro em espécie saco com cartão de débito o máximo por dia (U$560 hoje) e pela minha conta no banco não pago taxa nenhuma, só o dollar mesmo. Show!! Só pago o valor que o banco do USA cobra por saque. No caso sempre saco no American Bank que cobra só 2 dolares por saque. Ai já saco bastante para caso sobrar, vender/ guardar no Brasil. Geralmente o dollar cobrado no Brasil no paralelo comparado com o dollar sacado fica com 2 centavos a mais de diferença. Ou seja, dá pra fazer um dinheiro ainda!rs…
    Tenho o cartão pre pago AMEX, onde infelizmente tenho que ter para comprar Online nos EUA sem pagar os 6,28%. Infelizmente é um assalto o dollar cobrado, mas pelo menos não pago taxa de recarga nem nada. Só o dollar quase 9 centavos mais caro que no cartão.

    Ou seja, acho que é válido ter os 3 tipos mais comuns de dinheiro no exterior. Crédito/Débito e Moeda local. E para cada caso, comprar conforme preferir:
    Exemplo…comida e etc com débito.( Não precisa de seguro).
    Passagens aéreas e produtos caros com crédito, pelo seguro e milhas.
    Compras Online com o Pré pago, menos pior.

    Obs: O seguro do Infinity Visa deixa claro que aluguel de carros de luxo ou antigos não é coberto pelo seguro!!rs…Então não adianta alugar uma ferrari!!!heheheh

    Lembrando que: Comprar dollar no paralelo, corre-se o risco de comprar dollar falso e ter dor de cabeça. Sacando no exterior, em teoria pelo banco, esse risco diminui !!

    Abraços
    Felipe

  18. Douglas disse:

    Belo post pessoal. Viajei recentemente, e fazendo as contas acho que a melhor opção no momento é o visa travel money, pelo menos vc se livra do tal IOF este cartão esta sendo aceito em todos os lugares.

  19. Mel disse:

    Esse topico é bem detalhado porem é teórico ,.
    Oprocedimento prático é uma complicação .
    Ou vc acha que entrega uma ferrari na locadora com perda total, mostra o cartao e sai andando . Todos os envolvidos querem pericia para tentar se safar do prejuizo. Sua viajem virou um cursinho de procedimentos de seguradoras .kkkkkk
    Usar os cartoes top dos bancos tem uma anuidade salgada .
    IOF de 6.38% é por uso , ou seja cada compra tem 6.38% e nao sob o total.
    Vc paga o dolar loteria que so Deus sabe o valor no dia da fatura . Pode ser um prejuizo se pegar uma queda do R$ por uma manobra governamental . Lembrando que os 6,38 eram 2,38 e motivado pelo aumento do turismo no exterior veio o aumento do IOF , parece nada mas foi perto de 150% .
    Agora convenhamos amigo, se esta podendo alugar PORSHE , FERRARI , deve estar cagando e andando para o imposto. kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Concluindo leve todos os tipos:
    Papel moeda (notas de 5 e 10) para gorjetas cafezinhos e etc..
    Travelers (notas de 50) para troca em moeda local sem comissao ou taxas absurdas
    tem seguro e se for roubado , sua viajem nao para , porque foram algumas notas e nao a unica fonte de dinheiro no caso do cartao .
    C Credito , compras de valor elevado requerem liberação previa ou antes da viajem vc tem que comunicar ao banco e a operadora que vai viajar

    Ah nao esqueça de fazer um seguro saude decente , custa 50 dolares por 30 dias , pois vc vai precisar se der PT no carro.kkkk
    E esse eu já usei e te digo , na hora do atendimento médico é transparente , até mesmo para quem nao fala ingles . Voce vai preencher um envelope como se estivesse enviando correspondencia para sua casa , Dias depois chega a nota fiscal com o boleto para pagamento em dolar . Voce paga e depois vai receber do seguro. com cotação corrigida .Sem falar que o `PS de um vilarejo lá é melhor equipado que os melhores hospitais das nossas metropolis .
    A esposa torceu o pé , ficou sem por no chao uns 10 dias e saiu do hospital com um par de muletas de aluminio na caixa , e qdo perguntei para a enfermeira , onde eu devolvo as muletas depois que não precisar … ela falou “poe no armario ” , kkkka muleta não se aluga nem empresta …é sua … leva para casa , custo toal 500 dolares
    Outro tio embarcou na Florida em um cruzeiro, e no meio do passeio teve um infarto , em 2 dias voltou em um jato UTI com medico e acompanhante . custo 55.000 dolares , coberto pelos 50 do seguro

  20. Carlos disse:

    Prezados, este é meu primeiro post aqui. Chequei ao site por acaso e estou gostando das matérias que li até o momento. Parabéns! Acho que esta matéria já está antiga, mas se ainda tiverem interesse no assunto…o que eu pessoalmente tenho feito é sacar no exterior em moeda local do crédito no Santander Elite Van Gogh. Para estes cartões (e para o black deles tb) não há cobrança de de juros ou IOF pelo saque em crédito no exterior, apenas uma taxa de R$ 15. Poderia como outro colega que postou sacar de graça da minha conta, mas a vantagem de fazer assun é que além de ter o dinheiro em mãos de forma barata para os gastos miúdos do dia a dia vc ainda acumula os pontos como um lançamento de gasto em crédito no cartão e pode pagar a fatura deste cartão com um infinit/black de outro banco e acumular ainda mais milhas em cima do mesmo saque em dinheiro.

    • Fábio Vilela disse:

      Carlos seja bem vindo ao Passageiro de Primeira.
      Você tem certeza que saque computa pontos no programa do Santander? Pois geralmente em todos os cartões de crédito no Brasil a regra é clara – juros, encargos, saques e outras despesas que não contabilizem compra não serão aceitos para acumulo de pontos.
      Veja a regra postada no proprio site do Santander.
      http://www.santander.com.br/document/wps/regulamento_partir_09112012.pdf

      5. As transações realizadas com o seu cartão são convertidas em bônus, EXCETO para:
      (i) SAQUES À VISTA OU PARCELADOS; (ii) OPERAÇÕES DE CRÉDITO; (iii) TRANSAÇÕES NA FUNÇÃO DÉBITO; (iv) JUROS, MULTAS, ANUIDADES E TARIFAS; (v) TAXAS, IMPOSTOS E TRIBUTOS; (vi) SEGUROS, TÍTULOS DE CAPITALIZAÇÃO E ASSISTÊNCIAS VINCULADOS AO CARTÃO; E (vii) VALORES PAGOS A MAIOR E CRÉDITOS LANÇADOS NA FATURA.

      Grande abraço e obrigado pela contribuição.

      • Carlos disse:

        Olá, Fábio. Vou tentar verificar faturas de 2012 pois o último saque que fiz assim foi no meio do ano passado. Mas no segundo semestre de 2011 eu fiz saques assim quase todos os meses devido a várias missões e recebi pontos. Pode ter sido erro/sorte de terem sido lançados como crédito pelos bancos locais (a maioria em países da África). Agora fiquei na dúvida também e como tenho viagem próxima vou conferir…

      • Mel disse:

        ou seja converte em bonus só se não usar o cartão “”!!!!kkkk
        Pontos no cartão , são uma comédia , faz as contas no papel e veja que gastou milhares de doilares em faturas com um imposto e taxas absurdas para ganhar uima cafeteira , ou um aspirador de pó . ta brincando
        E as milhagens restritas a voos domesticos , naquela promoção que se vc adquirir com 3 meses de antecendia sai por menos de 10% do preço cheio .É cheio de restriçoes mas vc voa e chega lá. Vc ganha um bilhete de 600 dolares (preço cheio) mas tem que se encaixar na condiçoes da super promoção , onde o mesmo bilhete é vendido a 45 reais. E se vc perder o voo perde o bilhetre e ainda paga multa de 100% , é mole ?
        Quando as empresas de cartao dao brindes e premios , parece que é não é ´para atrair clientes , mas na dura o lucro é tanto , o juros é o maior absurdo mundial que devem ficar com a consciencia pesada e ai devolvem umas migalhas pra clientela em forma de bonus e etc ….

  21. karaokebox disse:

    Eu sempre guardo alguma coisa da última viagem, tipo uns 200 ou 300 dólares, só para ter no dia que chego até ter tempo de ir em algum banco sacar.
    Minha conta corrente do Santander permite 2 saques internacionais sem cobrar taxas (sem IOF) e o câmbio sempre é quase igual ao comercial (1 ou 2 centavos a mais no máximo). (ótimo viajar no final do mês, aí posso fazer 4 da minha / 4 da minha mãe – levo um cartão dela quando viajo – senão pago 10 reais por saque extra)
    Nos EUA na maioria dos caixas eletrônicos dá para sacar 800 dólares por dia dessa forma (meu limite do Santander é R$ 2000 por dia).
    Em Nova York sempre vou no TD Bank, que não cobra taxas também (outros como Citibank, HSBC, Bank of America cobram entre 2,50 e 3 dólares por saque).
    Pago tudo em dinheiro. Para compras pela internet deposito na conta do Citi que abri lá e uso o cartão de débito online ou paypal direto da conta.
    Deixo para acumular milhas usando o cartão no Brasil…

    • Fábio Vilela disse:

      Karaokebox, seja bem vindo ao Passageiro de Primeira.
      Eu também saco sempre usando meu cartao MC Black do Prime, que não cobra juros e somente uma tarifa fixa por saque (esqueci agora qual o valor).
      Quase não levo dinheiro em especie, até mesmo por questão de segurança.

    • samir disse:

      tenho o van gogh do santander, visa platinum. o banco me cobra r$15,00 por saque, voce pode sacar ate r$2500,00 por dia. como cobram a taxa , nao vale a pena vc sacar mais de uma vez por dia, tb faco us$800 por dia, a taxa como o kareokebox disse e = ou mto proxima ao do dolar comercial. ate agora nao vi forma melhor.
      e sinceramente, na florida nao tem problema ficar com $, nao conheço ngm q tenha sido assaltado. ja em ny e um problema…
      mas por segurança, uso um money belt por dentro da caça com uma copia autenticada do passaporte.
      solicitei um visa electron do bb. alguem sabe como funciona (taxas, cotaçoes)?? nao achei no site do bb, q por sinal e = a caixa, um lixo!
      abxx

      • Fábio Vilela disse:

        Também quando vou sacar já pego uma quantidade boa para não ficar pagando tarifa.
        Não tenho muito informação sobre o Visa Electron não.

      • ranerio disse:

        Nossa, não fale mal do BB, eu adoro o banco. Não entendi bem esse visa electron que você falou. O BB tem o Visa TravelMoney que é um cartão pré-pago que você carrega antes de viajar http://www.bb.com.br/portalbb/page3,114,2041,6,1,1,1.bb?codigoMenu=934&codigoNoticia=26918&codigoRet=13474&bread=1

        E cobra uma taxa de recarga, uma taxa de emissão do cartão e taxa por saque. Usa igual um cartão de crédito (inclusive nos EUA tem que mandar os caixas passarem como crédito e não como débito, senão não funciona). Eu tenho para ter uma segurança a mais se tiver algum problema com os cartões de crédito normal, mas não compensam, pq o dólar cobrado nele é alto, e tem taxa para sacar. Para sacar o melhor que acho é transferir da conta corrente do Brasil para a conta corrente EUA do HSBC e sacar lá, o HSBC tem uma política de não cobrar taxas por saque de $$ em lugar nenhum do mundo, mas sinceramente, tem 2 viagens que não saco $$ em espécie, o que levo em $$ miúdo dá para pagar o que não dá para pagar com cartão, o que é quase nada nos EUA.

        O BB também deixa sacar direto da conta corrente brasileira em moeda local (pode ser isso que vc esteja falando), fiz isso na Argentina, mas não acho algo muito fácil, porque varia demais a forma de fazer (e se é possível fazer) conforme o ATM que você for. A cotação do dólar foi praticamente o comercial, e paguei a taxa só do ATM, acho que tipo uns 5 dólares pelo saque, o BB não cobrou nada. É uma boa cotação para se ter dinheiro vivo, mas uso muito pouco, porque é complicado fazer a operação dependendo do caixa eletrônico, cada um tem uma nomenclatura e nem todos permitem a operação, alguns vão indicar que sacaram do débito, mas vai aparecer na sua conta como sacado do cartão de crédito. No BB a senha de débito e crédito é a mesma para o cartão, então nem dá para saber se foi certo ou não.

        E acho que o BB não emite cartão só com a bandeira Visa Electron, seria a bandeira Visa normal, porque os cartões dele são sempre múltiplos. Eu nunca vi um cartão BB só com a bandeira do Visa Electron.

  22. Polido disse:

    antigamente nas minhas viagens, ficava preocupado atrás de dólar, tentando achar melhor cotação pra comprar, hoje em dia levo uma quantidade minima em moeda e passo tudo no crédito. Não acho que valha a pena de forma alguma passar em debito ou esses cartões VTM. Como o Raneiro disse, dizem que realmente vale a pena abrir uma conta no exterior, que eu saiba no HSBC e no BB dá. Quanto ao seguro do carro, o pessoa que confia nos dos cartoes eu tenho um pé atras e uma desconfianca imensa que possa dar problema, sempre contrato com todos os seguros da locadora, pra mim valeu muito a pena já, estava dirigindo em los angeles e do nada o transito da freeway parou, eu consegui frear, mas um subaru arrebentou a traseira do carro que eu tinha alugado pela Alamo, um Genesis da hyundai, o carro virou um hatch. Simplesmente em 1 minuto chegou um puliça, fez um BO e fomos quase arrastando o carro pra alamo do LAX, chegou lá o cara anotou uns negocinhos no vidro e falou: ok, pode ir pegar outro carro, fui e peguei um infiniti G37, ou seja, como tinha todos os seguros não tive dor de cabeça ou encheção de saco alguma. Seguro é um mal necessário, vc paga para não precisar usar.

    • Fábio Vilela disse:

      Também sempre procuro pegar os seguros para poder evitar este tipo de dor de cabeça.

    • ranerio disse:

      Olha, seguro eu uso o do cartão ( O HSBC Premier americano). Ele explicitamente manda recusar a cobertura CDW/LDW no momento da contratação. Veio um folheto bem claramente explicando como é para fazer. E costuma ser mais caro o dia do seguro do que o dia da locação de carro nos EUA.

      MasterRental pays for damages to a rental vehicle due to collision, theft,
      and vandalism when the cardholder initiates and pays for the entire rental transaction with a MasterCard card.
      The kind of coverage you receive:
      > MasterRental will pay for covered damages on a secondary basis for which you are, or any other authorized driver is, legally responsible to the rental agency.
      > Covered damages include:
      > Physical damage to and theft of the vehicle, not to exceed the limits outlined below.
      > Reasonable loss-of-use charges imposed by the vehicle rental company for the period of time the rental vehicle is out of service. Loss-of-use charges must be substantiated by a location- and class-specific fleet utilization log.
      > Reasonable towing charges to the nearest factory-authorized collision repair facility.
      > If you have, or an authorized driver’s primary automobile insurance or other indemnity has,made payments for a covered loss, MasterRental will cover your deductible and any other eligibleamounts not covered by other insurance.
      > Coverage is secondary to any other applicable insurance or coverage available to you. Coverageis limited to only those amounts not covered by any other insurance or coverage benefit.

      What is NOT covered:
      > Mechanical failures caused by wear and tear, gradual deterioration, or mechanical breakdown

      O colega parece que caiu bem no caso do “mechanical breakdown”, mas pela descrição do item só se aplica em caso de falta de manutenção ou idade do veículo, estranho isso com um veículo alugado.

      Outra coisa interessante no HSBC Premier é que você pode emitir passagens de qualquer companhia com pontos, eles tem um sistema de atendimento que você liga, vê o valor da passagem e com isso desconta em pontos. É interessante para passagens que estejam com baixo valor em $$, e ainda pode-se acumular milhas aéreas na passagem , ela vai como “comprada com dinheiro”.

      • Fábio Vilela disse:

        Ranerio, é muito ambiguo esta clausula do Mechanical Failures, pois se você teve um acidente por causa disso, qual culpa você tem se o problema estava no carro né? Dificil entender as seguradoras.

        Quanto aos pontos do HSBC, é a mesma mecanica do Bradesco Fidelidade, ele emite a passagem com pontos e ainda pontua pois na verdade ela foi comprada pelo Submarino Viagens.
        E agora desde dezembro o Membership Rewards da Amex entrou com esta mesma modalidade.

        Abraço

  23. Medeiros disse:

    Não sei o que aconteceu, o itau platinem , há 2 anos atras a cotação que ele utilizava era praticamente a do dólar comercial, enquanto que a do credcard exclusive era quase 15 centavos a mais. Acho que seria muito interessante se agente consegui-se uma tabela para poder comparar em datas semelhantes ou talvez sobre a porcentagem a mais que o banco esta cobrando sobre a tarifa do comercial.

    • Fábio Vilela disse:

      Medeiros,
      Vou tentar fazer um post depois com a tabela dos cartões que possuo e a cotação do dolar de cada um deles.

      • Luiz De Freitas disse:

        … as cotac,oes mudam ao sabor deles … o esforc,o nesse sentido nao creio que compensa a eventual economia … merece, entretanto, ser considerado o cartao da CEF ….

      • ANDRE SGROTT disse:

        Os bancos nunca perdem, somente os clientes. Sempre fazem algo para ganhar mais. Eu fico louco com isso! Quando não é os bancos é o governo nessa taxa sem vergonha de IOF para o uso do crédito no exterior.

      • Felipe disse:

        Cartão de crédito da CEF é muito complicado.
        A pouco tempo comecei usar um. Me inscrevi no programa de fidelidade.
        Depois de 2 meses de uso ainda não computaram nenhuma milha. No internet banking não há informação alguma sobre fidelidade. Procurei a minha gerente que me pediu para ligar para central. Liguei e lá a atendente não soube me informar nada, depois de muita insistência ela abriu uma solicitação para verificar o caso. Me pediram para ligar alguns dias depois. Na prática ainda não tive tempo de ligar… pelo menos no meu caso o cartão da CEF foi uma experiência muito ruim. Já parei de usá-lo.

  24. ANDRE SGROTT disse:

    Ontem fiz uma simulação com eu gerente do CITI, para usar no débito o dolar seria R$ 2,16 (sempre será cotação do dia), daí liguei para Confidence e para colocar o credito no cartão, R$ 2,21.

  25. Roberto Pinheiro disse:

    Fabio
    Antes de saber qual a opção melhor precisamos observar diversos fatores.
    1 – Se vc vai pagar em Cash, certamente comprou o dolar no mercado paralelo, logo sua cotação foi das mais altas possiveis.
    2 – Se esta pagando com um cartão pré pago a cotação do dolar tambem não foi baixa.
    3 – Se vc pagar com cartão de crédito qual a cotação que o seu banco esta cobrando?

    A ultima questão considero a mais relevante de todas pra tomarmos uma decisão de qual a melhor. Pra vc ter uma idéia a Caixa que tem de longe a melhor cotação do dolar cobrou no ultimo mes algo em torno de 2,035 enquanto o Itau cobrou nada menos nada mais do que 2,21, ou seja um verdadeiro assalto a mão armada. Agora analizaremos em cima do dolar cobrado da CAIXA, ou seja, 2,035 + 6,38% = 2,16.

    2,16 pagando com cartão de crédito, gerando milhas, com toda a segurança ja mencionada no post. Ta caro? Não sei……..Quanto vc pagou no dolar paralelo pra levar ele em espécie com risco de ser assaltado, perder, etc etc??? Quanto foi a cotação que vc carregou ser cartão pré pago???? Quanto seu banco cobra nas compra no débito??????? Façam vcs mesmos a sua avaliação e decidam. Agora não vejo melhor hora pra que cada um coloque a data do fechamento da fatura e o valor cobrado de cada banco pra que possamos analisar quanto cada banco ta cobrando no dolar, pois hj, do jeito que esta, cada um cobra o que quer e como quer, não há uma regulamentação especifica pra isso, pelo menos eu não conhecço, e quem sai no prejuizo é quem não faz conta.

    Abraços a todos

  26. ranerio disse:

    Eu utilizo um cartão HSBC Premier emitido nos EUA, transfiro o $$ do Brasil pagando 0,38% de IOF sobre a transação e aí saio usando para as compras no exterior (pode ser outros países que não os EUA, não tem taxação sobre compra no exterior) e ainda ganho as milhas do HSBC EUA. Economiza 6%, mas a cotação do dólar do HSBC para transferir para a conta americana é praticamente o dólar turismo (geralmente 3% acima do comercial), então se o cartão brasileiro tiver cotação parecida com o dólar comercial (como o da caixa), ficaria mais vantajoso. Eu morro de vontade de ter cartões da caixa, mas também morro de pânico de lidar com o atendimento da caixa…

    • ANDRE SGROTT disse:

      Raneiro. Essa dica é ótima, emitir um cartão nos EUA, mas você precisa ter conta corrente ou tem como pedir somente o cartão de crédito. Sou correntista do Citi no Brasil e vou até ligar para minha gerente se existe essa possibilidade.

      • ranerio disse:

        Hmmm, e eu acompanho uns blogs do pessoal que faz “churn” de cartão de crédito nos EUA, tem ofertas interessantes do Citi de lá.Também sou correntista do Citi Brasil, mas acho um banco fraco. Se você se informar e souber algo sobre isso me avise também, me interessa.

    • Fábio Vilela disse:

      Atendimento da caixa é lamentável pelo o que ouço alguns relatos.
      A proposito, o seu HSBC Premier dos EUA pontua quanto?

      • ranerio disse:

        Tem uma promo de 3 pontos por dólar nos primeiros seis meses de abertura e depois 1 ponto por dólar. Mas eu abriria o quanto antes a conta, porque o processo no meu caso foi demorado por ex.

    • Ana Julia Lemes disse:

      Olá! Tenho conta na caixa. Em agostou vou estudar 1 mês na Itália… Nao posso gastar mto, mas não entendo nada dessas coisas de cartão e câmbio. Vc acha mais viável eu abrir uma conta lá? Será muito dificil? E ai posso transferir o dinheiro dá caixa pra minha conta dá Itália? Ai Deussss, oq faço ????

      • Ana Julia Lemes disse:

        Não será um mês, será. 1 ano!!! Escrevi errado, desculpe, estou no celular. Estou completamente perdida ao relação a como levar o dinheiro/cartão.

        • Fábio Vilela disse:

          Ana Julia,
          A melhor forma é voce levar um cartão Visa Travel Money (vendido em casas de cambio) se voce nao quiser pagar o IOF.
          Pois se voce for transferir toda vez da sua conta brasileira pra italiana vai pagar imposto.

  27. Luiz De Freitas disse:

    … pagando com o visa infinity bradesco vc ainda tera a possibilidade de pagar a fatura em outro banco adquirindo mais milhas a um custo menor que no computo geral irao baixar o custo medio total das milhas amealhadas … em contraste quando vc paga com o cartao de debito ou no visa travel money vc nao ganha milhas …

  28. Luiz De Freitas disse:

    …. Acho que vc cometeu um engano no custo das milhas ao pagar com o visa infinity: vc gastou US$638 de IOF num gasto total de US$10.000 que lhe rendem 22000 milhas a um custo (IOF) de 63800 centavos de dolar. Portanto o custo eh de apenas 2,90 cpm (centavos de dolar por cada milha) adquirida, ou seja muito mais barato que adquirir as milhas da USAirways a 3,76 cpm pois alem do custo de 3,5 cpm ainda vc tera que pagar o imposto americano/canadense e se pagar com o seu visa infinity bradesco tb pagarah mais IOF de 6,38% o que ao final elevara o custo das milhas compradas para 4,0 cpm! …

  29. Tiago disse:

    Acho que a melhor opção é usar cartão de débito. Você escapa do IOF e consegue uma cotação normalmente melhor do que a do dólar em espécie ou em cartões pré-pagos. A maior desvantagem é que no exterior as vezes o débito não funciona. Além disso, cartões múltiplos não funcionam como débito em muitos países (nos Estados Unidos, por exemplo), então você precisa de um cartão que seja só de débito.
    Quando não consigo usar o débito, uso moeda local, sacada no exterior, e, em último caso, o cartão de crédito.

    • Fábio Vilela disse:

      Eu já sou da oposição (heheheh) prefiro usar o cartão de crédito por varios fatores, inclusive os que citei ai em cima.
      Grande abraço.

      • ANDRE SGROTT disse:

        Fábio. Parabéns pelo post. Analisando eu já acho que dá para usar os dois. hehehe… Quando comprarmos algo caro, tipo eletronico, celular, usar o crédito para ter direito ao seguro, agora restaurantes, hospedagem usar o débito. Porque até mesmo para ter direito ao seguro de saúde, mala, farmácia, você precisa usar o crédito.

      • schneider1973 disse:

        Fábio,
        Também utilizo cartão de crédito no exterior, apenas discordo em relação ao seguro, não é tão simples e confiável assim, em outubro passei pela a experiência de um sinistro em Portugal, com um carro da Hertz, pago com Master Black, mesmo cumprindo todas as exigências contratuais, o Mastercard Black não honrou o contrato resultando em um prejuízo de R$ 17.000.

    • schneider1973 disse:

      Fábio, também utilizo preferencialmente os cartões de credito no exterior, entretanto divirjo de você quanto aos seguros, na verdade tratam-se de coberturas altamente restritas, oferecidas por seguradoras independentes a administradora. Em outubro enfrentei um sinistro com veiculo locado junto a Hertz Portugal e pago com Master Black, mesmo cumprindo todas as exigências impostas, a seguradora Sedgwick prestadora do serviço junto a Mastercard indeferiu o pedido. Uma vez que a administradora do cartão impõe ao cliente negar o seguro LDW/CDW oferecido pela locadora, foi cobrando a importância de R$ 17.000 para tal a locadora utilizou a ferramenta de assinatura em arquivo e código da pré autorização, sendo que este era para um valor de apenas R$ 700,00. As administradoras de cartões de credito brasileiras tem uma politica abusiva, se a situação fosse inversa isso jamais seria possível, qual o viajante frequente que não teve cartões bloqueados no exterior sob a alegação de segurança, tente comprar duas passagens de seguidas no metro de NYC para ver o que acontece.

      • Fábio Vilela disse:

        Scheinder1973,

        Que situação chata !
        Mas qual o motivo de ter sido indeferido? Eles alegaram algo em especifico?
        Sempre alugo carro no exterior negando a cobertura, então seria bom você nos dar um toque a respeito.

      • schneider1973 disse:

        Fabio, acontece que os bancos induzem o cliente a o erro quando impõem a negação da cobertura CDW/LDW, neste caso o Banco do Brasil, no kit de boas vindas e no manual do associado diz: “seguro contra danos”. Na realidade segundo a seguradora, trata-se de uma cobertura primária, referente apenas ao veículo locado contra furto e colisão, leia-se funilaria, no meu caso houve uma colisão motivada por falha mecânica, que segundo a seguradora à isenta da cobertura e transfere a responsabilidade ao emissor do cartão que por sua vez indica como responsável a seguradora.

      • Luiz De Freitas disse:

        … contrate um bom advogado e pec,a alem do reembolso com juros e correc,ao monetaria tb danos morais, indenizac,ao pelo debito indevido e o consequente bloqueio do cartao para outras compras, etc … demora mas contrate um advogado cri, cri, chato mesmo e alem dos honorarios de sucumbencia oferec,a tb um porcentual generoso de honorarios contratuais para manter o interesse dele na briga … rsrsrsrs ….

Deixe uma resposta

Tudo sobre Programas de Fidelidade
As melhores avaliações de cabines de Primeira Classe e Classe Executiva do mundo
Luxuosas suítes de hotéis