fbpx

A história do voo comercial que bateu o recorde com mais de 1.000 pessoas a bordo

Notícias

Por Gabriel Marinho

Já imaginou quantas pessoas seria possível colocar em um avião ao mesmo tempo? A resposta, a princípio, parece fácil. Basta olhar a capacidade máxima de passageiros das duas maiores aeronaves comerciais: o A380 e o B747. Porém, o recorde do voo com o maior número de pessoas vai além da capacidade máxima desses dois aviões em configuração de uma classe única. Ao todo foram mais de 1000 pessoas a bordo! Entenda!

By Government Press Office (Israel), CC BY-SA 3.0


Contexto histórico

Antes de entender o motivo por trás de tantas pessoas terem sido colocadas em uma única aeronave, é preciso uma pequena aula de história.

Em 1991, o governo da Etiópia comandado por Mengistu Haile Mariam estava perto de ser derrubado pelos sucessos militares dos rebeldes durante uma guerra civil no país.

Organizações judaicas ao redor do mundo, como a Associação Americana de Judeus Etíopes (AAEJ) e Israel estavam preocupadas com o bem-estar dos judeus etíopes. A maioria deles morava na região de Gondar, nas terras altas da Etiópia, e eram principalmente agricultores e artesãos. Além de ser responsável pelo genocídio de mais de 2000 pessoas, o regime de Mengistu estava ameaçando a Etiópia com uma perigosa desestabilização política.

Em 1990, o governo e as Forças de Defesa de Israel, cientes do agravamento da situação política da Etiópia, fizeram planos secretos de transportar os judeus que lá estavam para Israel. Os Estados Unidos envolveram-se no planejamento de uma operação para tirar praticamente todos os judeus que ainda estavam por lá.

A operação foi chamada de Operação Salomão, em homenagem ao Rei Salomão, e foi a maior de três desse tipo, antes dela houve a Operação Moisés e a Operação Josué. O governo norte-americano também esteve envolvido na organização do esforço de repatriação. A decisão do governo etíope de permitir que todos os judeus deixassem o país de uma só vez foi motivada, em grande parte, por uma carta do Presidente George H. W. Bush. Antes disso, Mengistu pretendia permitir a emigração apenas em troca de armamento. A comunidade judaica levantou US$ 35 milhões para doar ao governo da Etiópia para que os judeus pudessem ir a Israel. O dinheiro foi para as despesas do aeroporto em Adis Abeba.


A Operação Salomão

Em 1989, diversos judeu começaram a sair da região de Gondar para Adis Abeba, onde fica o aeroporto, uma distância de pouco mais de 650km. Em dezembro daquele ano, cerca de 2.000 judeus etíopes saíram a pé de sua aldeia até a capital, os demais vieram até 1991.

A operação era massiva. Ao todo, mais de 14.300 pessoas seriam transportadas de avião entre a Etiópia e Israel. Entre 24 a 25 de maio de 1991, 35 aeronaves israelenses, incluindo os C-130s da Força Aérea de Israel e os Boeing 747s da El Al transportaram 14.325 pessoas para Israel em 36 horas.

Para acomodar o máximo de pessoas possível, os aviões tiveram seus assentos removidos. Muitos dos imigrantes viajaram com nada além de suas roupas e instrumentos de cozinha. E foi essa combinação de fatores que fez com que o recorde do voo com o maior número de pessoas fosse quebrado.


O recorde

Uma das 35 aeronaves envolvidas na operação era um B747 da companhia israelita Al El. A princípio, os planejadores da operação pretendiam encher a aeronave com 760 passageiros. Porém, muitos deles sofriam com casos graves de desnutrição e estavam muito leves, por isso foi possível colocar mais gente a bordo. Ao todo, 1.087 passageiros foram oficialmente registrados mas estima-se que muitas crianças tenham entrado escondidas e o número total de pessoas possa ter chegado a 1.122. Além disso, durante a operação, 5 bebês nasceram a bordo das aeronaves utilizadas.

Outro fato interessante é que o dia 24 de maio de 1991 foi uma sexta-feira, momento em que se inicia o Shabat judaico e quando os judeus tendem a abster-se de atividades de trabalho e até locomoção. A Lei Religiosa Judaica, porém, permite quebrar as tradições para salvar vidas.

Entre 1990 e 1999, mais de 39.000 judeus etíopes entraram em Israel. Em 2019, a El Al fez o seu último voo com o B747.


Acho que esse acontecimento tem inspirado o modelo de negócio nas classes econômicas de muitas companhias por aí… (risos)!

Você já conhecia essa história? Já imaginou um voo tão cheio assim?

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.