fbpx

Maldivas reabre para turistas sem exigir quarentena ou testes de COVID-19

Notícias

Por Equipe | Passageiro de Primeira

As Maldivas reabriu ontem (15) para turistas do mundo inteiro. Diferente de outros países pelo mundo, não será necessário fazer quarentena obrigatória de 14 dias, nem apresentar teste negativo para o COVID-19. Outra novidade é que também não há novos requisitos de visto ou taxas adicionais a serem pagas para visitar o país.


Reabertura

Mesmo sem restrições para se chegar ao país, existem algumas medidas preventivas adotadas para evitar novos casos com o coronavírus. Por exemplo: visitantes internacionais só serão permitidos nas ilhas resorts e precisam reservar a estadia inteira em um estabelecimento registrado.

O governo local diz que, por conta da distância entre as ilhas, a estadia nos hotéis e resorts já funcionam como uma “quarentena”. Mesmo assim, algumas atividades no país não estão 100% liberadas, entre elas:

  • Viajar entre resorts, safaris e ilhas habitadas está restrito desde 12 de março de 2020;
  • Todas as atividades de excursão nas Maldivas foram proibidas desde 13 de março de 2020 e ainda não voltaram;
  • Check-in em guest houses e hotéis em cidades na região da Grande Malé (Malé, Villimalé e Hulhumalé) está suspenso desde 14 de março de 2020;
  • Check-in em guest houses e hotéis em cidades de todo o país está suspenso desde 17 de março de 2020;
  • Todas as viagens não essenciais entre ilhas são restritas desde 17 de abril de 2020;

Outras atividades, como hotéis e Guest houses localizados em ilhas habitadas retomarão as operações em 1º de agosto de 2020.


Resorts voltando a receber turistas

Com a notícia, muitos viajantes já demonstraram o desejo de visitar as Maldivas, contribuindo para a volta do turismo e hotelaria, dois braços fortes que contribuem para grande parte da renda do país. Em entrevista à CNN Travel, Sonu Shivdasani, CEO e fundador da Soneva, dona de dois resorts nas Maldivas (Soneva Fushi e Soneva Jani) disse que as reservas para o mês de agosto são maiores que a do mesmo período no ano passado, antes da crise. De toda forma, Shivdasani relembrou que deve-se levar em consideração as restrições dos países de origem dos turistas, caso seja exigido testes e quarentena obrigatória na volta para casa – o que pode atrapalhar um pouco a viagem.

Contudo, dos 156 resorts, apenas 43 estarão disponíveis nesta primeira fase de reabertura do país. O governo espera que até outubro, mais 50 sigam os passos e reabram para turistas. A partir de agosto, os hotéis da empresa Accor serão reabertos, conforme disse John Bendtsen, gerente geral da Accor nas Maldivas. “Pretendemos reabrir o Mercure Maldives Kooddoo Resort a partir de 1º de agosto, seguido pelo Pullman Maldives Maamutaa Resort em setembro”. Bendtsen finalizou dizendo que as outras unidades de resorts da Accor serão reabertas a partir de outubro.


Quais companhias aéreas estão operando para lá?

Até o momento, são poucas as companhias que oferecem o serviço. O que se espera é que, com o anúncio da reabertura, será possível ver mais companhias aéreas oferecendo voos para o paradisíaco país insular.

A única companhia que voltou a operar oficialmente para o Aeroporto Internacional de Velana foi a Qatar Airways. A companhia árabe realizou um voo para reinaugurar a rota na manhã de ontem (15). Além da Qatar, outras duas companhias aéreas do Oriente Médio vão voltar a operar para lá está semana. Trata-se da Etihad e da Emirates. Ambas informaram que, nesta sexta-feira (16), voltarão a operar para as Maldivas.


Saúde e segurança nas Maldivas

Em termos de saúde e segurança, o governo está emitindo “Licenças de Turismo Seguro” para credenciar instalações turísticas que cumpram a legislação e requisitos específicos de segurança, como ter um médico certificado de plantão e manter um “estoque adequado” de equipamentos de proteção individual.

Além disso, alguns resorts estão implementando medidas adicionais para proteger hóspedes e funcionários. Nas duas propriedades da Soneva, por exemplo, é solicitado que os hóspedes façam um teste de covid-19 no saguão do aeroporto particular antes de serem transferidos para o resort de avião. Uma vez no resort, eles vão direto para sua vila e devem permanecer lá até que os resultados dos testes sejam recebidos. Caso o resultado seja positivo, eles deverão se isolar em um local específico, onde serão atendidos por enfermeiros treinados.


As Maldivas registraram quase 2.000 casos confirmados e cinco mortes de Covid-19 até agora. Como todos os países dependentes do turismo (que representa dois terços do PIB do país), o arquipélago foi duramente atingido pela crise. Por conta disso, o ministro do turismo, Ali Waheed, chegou a dizer que o impacto da pandemia de coronavírus foi “mais devastador que o tsunami de 2004 e a crise financeira global de 2008”.

A crise pegou o país de surpresa, pois era esperado ao menos 2 milhões de turistas por lá este ano. Alguém com planos de viajar para as Maldivas?

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.