fbpx

Passageiras são impedidas de voar na executiva por serem “grandes demais”

Notícias

Por Equipe | Passageiro de Primeira

Uma mãe e duas filhas saíram em lágrimas após ouvirem da companhia aérea que eram “muito grandes” para o assento da classe executiva. A companhia em questão foi a Thai Airways, que ainda usou uma fita métrica para verificar se elas caberiam no cinto de segurança antes de mandá-las para a classe econômica.

Huhana Iripa, 59, Tere Ashby, 37, e Renell Iripa, 28, estavam esperando para embarcar no voo da Thai Airways de Bangkok para Auckland quando foram impedidas de sentar na executiva devido ao seu tamanho.

As irmãs, que estavam em Bangkok para uma cirurgia para perder peso, disseram que foram ‘humilhadas’ na frente de outros passageiros depois que a equipe da companhia aérea as retirou de seus assentos na classe executiva pelo quais pagaram US$2.650.

“Fomos ao check-in em classe executiva e o funcionário da mesa nos olhou e disse ‘desculpe, você não pode’, disse Iripa. “Um membro da equipe se aproximou e começou a dizer ‘não, você é grande demais, você é grande demais’.”

As mulheres afirmam que a aeromoça puxou uma fita métrica e mediu sua cintura antes de colocá-las em assentos da econômica. “Nunca me senti discriminada antes por causa do meu tamanho, então essa experiência me deixou completamente em choque.”.

Fonte: dailymail.co.uk

Após contato com os funcionários da Thai Airways, elas receberam uma compensação de US$450, mas disseram que não é suficiente pelo desrespeito e trauma que elas passaram. A Flight Center, a agência de viagens com a qual reservaram, ficou horrorizada com o ocorrido e ofereceu um reembolso total.

Em 2018, a Thai Airways deu o que falar depois de banir pessoas com cinturas maiores que 56 polegadas em seu novo Dreamliner 787-900. Afirmaram que os cintos de segurança com airbags não podem ser estendidos devido a medidas de segurança.

A Sra. Iripa afirma que não foi informada da situação quando reservou os bilhetes e não teve nenhum problema ao viajar de Auckland para Bangkok. O porta-voz da Thai Airways International na Nova Zelândia, Wayne Cochrane, disse que a companhia aérea não poderia “comprometer” a segurança do cliente.

A maioria das companhias aéreas pode fornecer extensões de cinto de segurança para passageiros maiores. Mas a Thai Airways disse que os cintos de segurança da sua classe executiva estão equipados com airbags embutidos, o que significa que não podem ser estendidos. A família disse que ainda está confusa com essa explicação.

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.