fbpx

Primeira Classe da Malaysia Airlines no A350 – Kuala Lumpur para Sydney

Avaliações Cias Aéreas Primeira Classe

Por Fábio Vilela

Como eu tinha quase 7 horas de conexão eu resolvi desembarcar no aeroporto de Kuala Lumpur para poder experimentar como seria o serviço de check-in da Malaysia Airlines para quem viaja de First, afinal o aeroporto é o hub da empresa. Então passei na imigração, sai da área segura e me dirigi até o saguão principal do terminal.

A empresa tem uma ala específica (check-in D) para passageiros voando na Primeira Classe, passageiros com status Platinum no programa deles ou Emerald em cias da oneworld.

Ao entrar nesta área, basta virar a esquerda que logo verá os guichês. Eu preciso assumir pra vocês que eu tive que fingir que não tinha cartão de embarque – pois só assim para eu poder justificar minha presença ali fazendo um novo check-in, rs. A funcionária super gentil por sinal verificou que minha mala constava no sistema e me informou que a mesma já estava em trânsito para o outro voo. Me deu um novo boarding pass e eu segui para a inspeção.

Não há uma fila prioritária para raio-x e imigração para quem viaja de First – pelo menos não na época que estive lá – não sei se isto mudou.

Nesta mesma ala exclusiva há uma pequena sala de estar com 6 poltronas.

E o tapete vermelho tem um enorme FIRST CLASS – pra você ter certeza que tá no lugar certo.

Fui pro lounge da First e esperei lá até dar a hora do embarque. Não vou fazer um novo review dele pois já tenho aqui no site e praticamente nada mudou. Então para quem quiser, acessem este link.

Vôo Malaysia Airlines MH123 – 29/11/2018
Kuala Lumpur (KUL) ✈ Sydney (SYD)
Assento: 1K – Primeira Classe
Partida: 23:35 / Chegada: 10:55+1 / Duração: 8h20
Aeronave: A350-900

O embarque respeitou todas as prioridades e aconteceu no horário previsto. Vale lembrar de chegar um pouco mais cedo no portão pois tem outro raio-x antes de entrar pra sala de embarque.

Quando entrei no avião o funcionário me deu as boas-vindas e me acompanhou até o meu assento se oferecendo para guardar minha mala no bin. Eu, curioso como sempre, perguntei se a cabine estava cheia. Ele me disse que eu poderia ficar tranquilo pois seria o único passageiro do voo!

YESSSS! Este é o tipo de frase que qualquer um gostaria de ouvir né?

Bom, vamos lá – na cabine de primeira classe da Malaysia Airlines no A350 há apenas 4 assentos, no layout 1-2-1, ou seja, super privativo e exclusivo. Na época o avião tinha sido recém entregue para a cia, então estava literalmente cheirando a novo.

Os assentos centrais são ideais para quem viaja acompanhado já que as únicas poltronas próximas.

Mas caso por falta de opção, você precise sentar em um deles e não conhecer a pessoa ao seu lado, não se preocupe pois a divisória é retrátil e você consegue suspendê-la para garantir uma total privacidade.

Neste outro ângulo vocês conseguem ter um panorama melhor.

Todas as poltronas são no formato “pod” e possuem portas deslizantes.

Os números dos assentos também estão disponíveis na lateral, facilitando assim pro passageiro encontrar seu assento quando embarca. Como se precisasse né? Uma cabine tão pequena dessas, rs.

Não sei se vocês perceberam mas a poltrona é muito semelhante a Delta One Suites no A350 da empresa americana, mas com um pouco mais de espaço.

Eu optei por sentar no 1K – que fica do lado direito da aeronave.

O espaço da poltrona é satisfatório, porém o assento é estreito – então passageiros com uma estrutura corporal maior, podem sentir o “aperto”.

Aqui vocês conseguem ter uma noção maior da largura da cadeira. O que acham?

Apesar da cabine não ser luxuosa eu gostei dos tons neutros – ficou elegante.

Do meu lado direito estava um porta trecos enorme e os comandos do assento.

Por um momento este painel cheio de botões com o joystick me lembrou o console central da Land Rover. Alguém também achou parecido?

Dentro do porta trecos estava a tomada universal, porta USB e entrada de áudio.

E havia um segundo compartimento mais pra frente – enorme por sinal. O bom deste tanto de compartimento é que você consegue guardar quase tudo e não precisa ficar levantando para pegar algo na mala.

O espaço entre o footrest e o assento é grande conforme vocês podem ver.

O ottoman apesar de ser estreito, não afunila – ponto positivo.

Junto com a bebida (ainda em solo) também ofereceram toalha umedecida. O champagne veio geladinho e em uma bela taça.

Aliás, fui pesquisar sobre o champagne servido – chamado de deVenoge e vi que ele era bem simples. Uma garrafa no supermercado na Europa custa em torno de 20EUR.

Neste voo foi oferecido amenity kit completo com necessáire, pantufas e pijamas. Bem diferente do saquinho “xexelento” do meu voo anterior né?

O tecido do pijama era ótimo (sem marca), mas era daqueles tecidos bem molinhos sabe? Só não gostei deste zíper e nem os detalhes vermelhos.

A necessáire era da marca Cerruti 1881, assim como o perfume 1881 (colônia) que veio junto. A cia também oferece produtos da Payot e um chaveiro – adorei!

O fone de ouvido era noise cancelling e de boa qualidade – assim como no voo anterior.

O entretenimento de bordo era rápido, a tela com um excelente tamanho e a interface super intuitivo para navegar.

Havia uma grande variedade de filmes, séries, canais de música, mapas, jogos, etc.

O avião também era equipado com wifi e os pacotes eram tarifados pela quantidade de MB escolhida – o que eu particularmente detesto.

Tentei logar utilizando meu iPass mas o sistema não funcionava, então não comprei o acesso a internet, preferi dormir.

 

Apesar de já ter pré-selecionado o meu prato principal do jantar pela internet, eu peguei o cardápio para ver as opções.

Estranhamente, neste trajeto KUL-SYD não há 2 serviços “completos” de refeição, então dei sorte de ter pré-selecionado um prato principal com antecedência.

Conforme vocês podem ver no cardápio, eles servem Satay como a primeira refeição (que no caso seria o jantar), depois existem algumas opções de pratos rápidos (lanches) que você pode pedir durante todo o voo e finalmente o café da manhã.

Curiosamente o champagne de boas vindas não estava no cardápio, e as opções de rótulos para o jantar eram infinitamente superiores. Vai entender!

O serviço foi impecável e quem me atendeu foi um rapaz. Ele era extremamente educado, solicito e que quando vinha falar comigo sempre usava a voz baixa. Inclusive mencionou que sabia que eu já havia pré-pedido meu prato e que iriam preparar.

Começaram servindo mix de nuts aquecido e bebidas – Aliás, vendo estas fotos me deu  saudades de beber Ginger ale nos voos! 🙁

Mais uma vez pedi o Satay e estava ótimo – afinal não tem como errar.

Antes de seguir com o prato principal pedi pra ver como era o sanduíche de rosbife – e ele esquentou para trazer pra mim – simples mas de bom tamanho – excelente para um lanche.

Finalmente trouxeram o prato – que não estava com uma apresentação muito bacana não. O puré espalhado e o molho do cordeiro nadando em óleo não fez um conjunto visual legal. Apesar disto a carne estava saborosa, porém muito feia do jeito que foi colocada no prato. Qual a opinião de vocês?

Para terminar, finalizei com o sorvete de chocolate.

Enquanto fui no banheiro escovar os dentes o comissário sinalizou que iria arrumar minha cama, ou seja, fazer o turndown service.

São oferecidos 2 travesseiros de tamanho diferentes, um duvet para forrar o assento e uma manta super fininha para você se cobrir, poderia ser mais grossa e mais fofa.

Conforme falei pra vocês no início do post a cama é estreita, mesmo assim eu consegui me movimentar sem que nada me incomodasse ou ficar batendo as pernas ou joelhos nas laterais.

Nesta foto a porta estava aberta, mas você pode fechar para ter um pouco mais de privacidade.

E aqui uma visão melhor da “largura” da poltrona. O que acharam? Apertada ou não?

O espaço da porta é suficiente para você conseguir entrar e sair do pod. 

Depois de amanhecer fiz questão de registrar a envergadura na ponta da asa do A350 – acho linda!

Dormi boas horas, literalmente apaguei e só acordei com o comissário dizendo que iriam servir o café da manhã. Ele ainda perguntou se eu tinha descansado e dormido bem – muito educado.

O serviço de breakfast foi super completo – uma variedade de geléias, pães, smoothie, frutas, cereais e ovos.

Tudo foi servido por etapa – sempre respeitando a velocidade que eu iria terminando os pratos.

Não consegui comer tudo, afinal era muita comida.

Chegando em Sydney o comissário se despediu, agradeceu minha presença e me desejou uma boa estadia na cidade. Quando contei pra ele que já iria embora no outro dia ele mal acreditou, disse que não era o tempo suficiente de layover, rs.

Enfim pessoal, esta First não é nada WOW de super luxuosa ou se quer requintada. O atendimento leva o destaque já que as refeições não foram 5 estrelas. É o que sempre falo aqui – a empresa pode não ter a melhor cabine/assento, mas se o serviço compensar de alguma forma, você sai sim com uma experiência positiva.

Lembrando que o fato de você ter seu próprio cantinho é um ponto positivo, principalmente para quem preza por privacidade em voos longos.

E como disse pra vocês ontem a Malaysia Airlines aposentou a Primeira Classe de seu portfólio, renomeando a First para “Business Suite”.

Hoje, os passageiros que viajam na Business Suite continuam a ter um check-in dedicado, lounge exclusivo e a mesma cabine a bordo. Ou seja, tudo isto não passou apenas de um re-branding da First – que continua exatamente com os mesmos (ou quase) serviços. Para saber mais, acesse este nosso post aqui.

Não sei se depois desta nova nomenclatura as coisas melhoraram ou pioraram, preciso voar para contar pra vocês!

E aí, o que acharam? Alguém já voou na ex-first da MH que agora é a Business Suite? Tem experiência pra contar?

Avaliação

  • Check-in:
  • Embarque:
  • Poltrona:
  • Atendimento:
  • Refeição:
  • Entretenimento de bordo:
  • Amenity Kit:
  • Internet:
  • Pontualidade:
  • Limpeza:
Média
9.2

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.