Resgates de Primeira – Passagem em Classe Executiva do Panamá para Nova Zelândia com lifemiles

Programas de fidelidade Resgates de Primeira

Por Raimundo Junior

Como você vem acompanhando nas últimas semanas, nesta fase da série Resgates de Primeira, estamos mostrando voos que tragam alguma característica especial, quer de preço, cabine ou rota diferenciada, que mereça o nosso registro. Neste resgate, mostraremos uma boa oportunidade envolvendo o programa lifemiles, da colombiana avianca, para tirar proveito da promoção de compra de pontos bonificada que é válida até o dia 09 de abril de 2024. Por isso, o que temos no cardápio hoje é: Resgates de Primeira – Passagem em Classe Executiva do Panamá para Nova Zelândia com lifemiles.

pular para…

  1. O Resgate de Primeira
  2. Quanto custa essa emissão?
  3. Como fazer essa emissão?
  4. Como otimizar essa emissão?
  5. Quais companhias posso voar?
  6. Fatores a considerar
  7. Comentário

O Resgate de Primeira

Rota: Cidade do Panamá (PTY) – Houston (IAH) – Auckland (AKL)
Programa: lifemiles (avianca)

Para quem não vem acompanhando a série, nas primeiras duas fases dos Resgates de Primeira, mostramos ótimos resgates para voar em Classe Executiva para todos os continentes. Na terceira fase, mostramos Resgates de Primeira para voar em Primeira Classe, item cada da vez mais raro no mundo da aviação, especialmente para viajar utilizando milhas e pontos.

Nessa última, voltamos a mostrar o resgate de viagens em qualquer classe – preferencialmente em Classe Executiva – que apresente custo x benefício acima da média ou tenha alguma característica especial. No resgate de hoje, vamos mostrar uma boa oportunidade de aproveitar a promoção que está ocorrendo no excelente programa estrangeiro lifemiles, da voadora colombiana avianca.

Como dito, no momento, está em a promoção de venda de pontos com 70% de bônus, o que significa um CPM médio para as valiosas lifemiles na faixa de US$ 12,22 ou aproximadamente R$ 61,30.

Como mostramos essa semana aqui no PP, é possível atingir o bônus máximo da promoção, comprando a partir de 31 mil milhas, que é um valor bastante razoável. Em promoções similares em outros programas, para obter o bônus máximo, em regra é preciso comprar um volume maior de pontos ou milhas.

Nessa promoção, os bônus estão distribuídos em três faixas:

  • 170% de bônus, comprando a partir de 31.000 milhas;
  • 155% de bônus, comprando a partir de 16.000 milhas;
  • 140% de bônus, comprando a partir de 1.000 milhas.

Com esse valor obtido com o maior bônus, temos um dos melhores custos do mercado para voar desde a América Central até a Oceania, com o voo longo na excelente Classe Executiva da Air New Zealand.

Vale lembrar que a companhia neozelandesa costuma liberar poucos assentos em Classe Executiva para parceiros, então essa é uma boa oportunidade para voar na sua boa cabine premium, usando milhas e pontos.

  • Acesso ao Copa Club no Aeroporto da Cidade do Panamá

A voadora panamenha inaugurou em 2022 o seu novo Copa Club, localizado na área de embarque internacional do Terminal 2, em frente ao portão 207. A sala pode ser acessada através do elevador ou das escadas rolantes. Embora o espaço físico represente uma sensível melhora em relação à sala anterior, os comentários são de que o serviço, infelizmente, não teve grande melhora.

Fotos: Portal Destiny Pty

Como a United é parceira Star Alliance da Copa, esse é o Lounge sugerido para utilização na Cidade do Panamá.

  • Polaris Lounge no Aeroporto Intercontinental George Bush em Houston

Com o voo de chegada na United e de saída na Classe Executiva de parceiro, você terá acesso ao excepcional Polaris Lounge, da United Airlines, em Houston.

O Polaris é a melhor e mais sofisticada categoria de lounge da United Airlines. Além disso, é bastante exclusivo, havendo apenas 6 deles nos Estados Unidos, dentre os quais, o localizado no Aeroporto Intercontinental George Bush, em Houston, Texas.


Quanto custa essa emissão?

Embora o lifemiles realize venda de milhas com bônus com certa frequência, essa é a que oferece o maior bônus e consequente o menor custo pelo menos desde o início do ano passado. Ademais, excepcionado eventual bug ou promoção, esse é o menor valor absoluto em pontos e milhas para voar entre as América Central e do Sul e a Oceania em Classe Executiva, especialmente num metal de ótima qualidade como o B777 da Air New Zealand.

Nessa promoção de venda de pontos com até 170% de bônus, o custo CPM fica na casa de R$ 61,30, como dissemos. Veja na imagem abaixo que a soma dos dois trechos importa no total de 79.110 lifemiles requeridas para a viagem. Considerando o CPM [custo para cada mil pontos] de R$ 61,30, o custo total para a aquisição das milhas é de R$ 4.849,45, o que é excelente para uma viagem para exatamente o outro lado do planeta.

Vale lembrar que aproveitamos essa configuração do primeiro trecho em econômica no voo curto – cerca de 4h-, para demonstram uma característica das mais interessantes do programa lifemiles. Acaso a viagem fosse apenas o voo direto de Houston para Auckland, que é um voo ultra-longo de 14h30, o valor cobrado seria de 80.000 lifemiles entre Estados Unidos e Nova Zelândia. Embora o custo foi maior, para voar desde a América Central, o sistema acaba fazendo uma cobrança reduzida por conta do trecho voado em Classe Econômica. Deste modo, o custo total dos dois voos – PTY-IAH, na Classe Econômica da United + o mesmo voo ultra-longo na Classe Executiva da Air New Zealand, vai custar apenas 79.110.

Esse é um grande diferencial do lifemiles. Para a esmagadora maioria dos programas de fidelidade, o trecho voado na classe de voo mais alta determina o  enquadramento do custo. O sistema do lifemiles, além de mais justo, acaba beneficiando o cliente que aceita realizar o voo em classe mista (que não raro, é a única opção).

Diria que essa característica, associada ao não repasse de Taxa YQ, colocam o lifemiles na prateleira dos melhores programas do mercado!


Como fazer essa emissão?

Encontrando disponibilidade

O lifemiles permite resgatar online, não apenas os voos próprios, mas de todos os parceiros, quer Star Alliance ou bilaterais, o que é uma grande vantagem do programa. Caso necessite de resgates mais elaborados ou ocorra algum bug para finalizar a emissão, é possível pesquisar no site e realizar o resgate através do call center.

Realizando a emissão

Realizada a pesquisa, basta selecionar o voo, preencher os dados do passageiro e conferir os detalhes. Feito isso, o último passo é apenas preencher os dados de pagamento e finalizar o resgate. Simples, intuitivo e rápido.


Como otimizar essa emissão?

Não temos meios de geração de milhas lifemiles no mercado brasileiro. A Livelo foi parceira do programa por um curto período, com taxa de conversão que chegou a ótimos 1,3:1, na campanha de implantação da parceria. Infelizmente, durante a crise por que passou a avianca durante a pandemia, o que culminou com o pedido de proteção do Chapter Eleven na Corte de Falências de Nova York, a Livelo optou por encerrar a parceria.

Diversos programas de cartõres de crédito do mercado americano têm o lifemiles como parceiro, inclusive oferecendo transferências bonificadas em campanhas esporáridas. No entanto, para quem não usa cartões gringos, as melhores opções estão na compra de pontos com bônus, como na excelente promoção vigente, assim como reserva de hotéis e compra em parceiros, ganhando milhas bônus nas operações.

Veja também: Como acumular milhas no avianca lifemiles

Diferença para a tarifa comercial

Quando comparamos o custo desse bilhete award, com o valor da passagem pagante, podemos constatar quão vantajoso é esse Resgate de Primeira:

Como se vê, a passagem pagante custa mais de 40 mil reais + taxas, inluída a desagradável YQ, que não é repassada no resgate award. É bem verdade que a imagem acima precifica o primeiro trecho em Classe Executiva. Mesmo que descontássemos integralmente o valor cobrado, o bilhete ainda custaria cerca de 35 mil reais, valor incomparavelmente maior que o custo de compras das milhas do programa colombiano.


Quais companhias posso voar?

Além da Air New Zealand, é possível voar direto no segundo trecho – Estados Unidos para Nova Zelândia -, com a United Airlines, que também oferece um bom produto para a rota, a sua nova Cabine de Classe Executiva Polaris. Apesar disso, acreditamos que a Air New Zealand ofereça um serviço mais diferenciado, além de se tratar de uma companhia que não voa para o Brasil, tornando a opção um diferencial.

Nova Classe Executiva Polaris, da United Airlines, outra opção para a viagem.


Fatores a considerar

  • Baixa disponibilidade award entre Estados Unidos e Nova Zelândia (e vice-versa): Em nossas pesquisas, percebemos razoável disponibilidade de vagas na Classe Executiva da Air New Zealand apenas nos próximos dois meses. Depois disso, as disponibilidades são extremamente escassas. Para essas datas, a opção de voar United pode ser a solução;
  • Possibilidade de uso de usar milhas ConnectMiles, TAP ou de outros parceiros Star Alliance: Como os voos são realizados em parceiros Star Alliance, em teoria é possível emitir também com os programas dos outros parceiros, incluindo o ConnectMiles da Copa Airlines e o Miles&Go da TAP. ConnectMilees é uma excelente opção – talvez até melhor, para quem aproveitou a última campanha da semana do consumidor -, mas o Miles&Go, além de cobrar tarifas mais elevadas, carrega o inconveniente de depender de emissão via Call-Center. Até mesmo o excelente Krisflyer, da Singapore Airlines, demandaria emissão via central telefônica, já que a viagem envolve voos em cabine mista, o que o programa não consegue montar on-line.;
  • lifemiles possui bons sweetspots, em viagens curtas e médias: Apesar desse ser um excelente uso das milhas do lifemiles, pela maior dificuldade de geração desse ativo valioso, em regra opto por utilizar o programa para alguns bons sweetspots em voos de curta e média duração, especialmente pelo fato de não repassar YQ. Em viagens curtas e médias envolvendo Lufthansa, Swiss, Turkish, Air Egypt, ANA e Thai Airways, que cobram YQ, o programa se mostra imbatível. É verdade que o Mileage Plan, da United e ConnecMiles, da Copa, também ajudam nesses resgates, mas o fato do LifeMiles precificar “com desconto” os trechos mistos, o coloca um passo à frente da concorrência, nesses sweetspots;
  • Viagem é um dos melhores investimentos que podemos fazer: Viajar é uma experiência emocionante e enriquecedora. E quando temos a chance de desfrutar de benefícios especiais, como resgatar passagens com milhas e pontos para voar em cabines premium, a aventura se torna ainda mais memorável. Se você está em busca de uma oportunidade para voar com conforto e estilo, essa é mais uma das ótimas dicas que compartilhamos com você semanalmente.

Comentário

Este é mais um bom caso das dezenas de boas oportunidades de emissões que temos a explorar no nosso microcosmos de milhas e pontos, como falamos no post inicial dessa série semanal. Nesta matéria, por exemplo, trouxemos uma boa oportunidade de uso de milhas do programa lifemiles para voar na Classe Executiva da Air New Zealand entre Estados Unidos e Nova Zelândia, complementando uma emissão que parte do Panamá.

É, sem dúvida, um dos bons resgates do nosso universo de milhas e pontos! Inclusive, vale conferir a nossa série de posts, mostrando outros resgates que é possível realizar com o lifemiles:

E você, já conseguiu aproveitar essa excelente emissão do lifemiles?


☞ confira alguns resgates publicados:

Clube Smiles
Clube SmilesReceba até 330.000 milhas em 12 meses + benefícios exclusivos para viajar!
Grupos de Alerta do PP
Grupos de Alerta do PPReceba alertas de passagens aéreas no seu WhatsApp!
Clube Livelo
Clube LiveloAssine o Clube Classic e ganhe 2.000 pontos em 10 parcelas de 200 pontos
Clube LATAM Pass
Clube LATAM PassReceba 1.000 pontos por mês + até 10% de bônus em parceiros
Seguro Viagem
Seguro ViagemAté 69% de desconto na contratação do seu seguro viagem!
Ver todos os cupons

Baixe o app do Passageiro de Primeira

google-play
app-store

O maior portal de programas de fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, voos e salas VIP, hotéis e lazer, cartão de crédito e promoções.