fbpx

Aeroporto de Changi fechará o Terminal 2 a partir de maio por 18 meses

Aeroportos Notícias

Por Rafael Castro

O Changi Airport Group (CAG), responsável pela gestão e operação do Aeroporto de Changi em Singapura, anunciou nessa segunda-feira (06) que, a partir do dia 1º de maio irá fechar o Terminal 2 por um período de 18 meses.

Terminal do 2 do Changi Airport


Fechamento do Terminal 2

Tendo em vista o declínio acentuado no tráfego de passageiros e da probabilidade de que a demanda de viagens aéreas não retorne aos níveis anteriores ao Covid-19 no curto prazo, as operações dos terminais no aeroporto de Changi serão modificadas. Essa medida permitirá à CAG e aos seus parceiros de aeroporto economizar em custos de operação, como serviços públicos e limpeza, além de otimizar recursos nos terminais do aeroporto para melhor atender à baixa demanda de viagens e às operações dos voos das companhias aéreas.

A partir de 1º de maio de 2020, as operações no Terminal 2 (T2) serão suspensas por 18 meses, com as companhias aéreas a serem realocadas nos demais terminais. Esta suspensão de operações permitirá que as atuais obras de expansão do T2 sejam aceleradas com a conclusão prevista, atualmente para 2024, antecipada em até um ano. O CAG está em discussão com os parceiros e cessionários do aeroporto do T2 sobre as opções disponíveis para que todos possam ser realocados.

Em vista do número muito pequeno de vôos no Terminal 4 (T4), as operações no terminal foram reduzidas consideravelmente com um pequeno número de portões de embarque de aeronaves mantidos em uso e as lojas autorizadas a fechar mais cedo após o último vôo do dia. Se as demais companhias aéreas do T4 optarem por suspender ou ajustar seu horário de voo, a CAG também considerará a suspensão temporária das operações no T4, mas com o objetivo de reiniciar as operações rapidamente quando as companhias aéreas confirmarem a retomada dos voos.


Suporte aos parceiros do aeroporto

As lojas e restaurantes do Aeroporto de Changi foram impactados significativamente pela redução do tráfego aéreo de passageiros e pela demanda enfraquecida. A CAG tem discutido com os cessionários sobre medidas de assistência com base em suas circunstâncias comerciais. Por exemplo, a CAG renunciou a todos os aluguéis de concessões em operação no T4 por dois meses a partir de 24 de março de 2020, dado o tráfego de passageiros muito baixo no terminal.

A CAG e seus parceiros estão identificando oportunidades de reciclagem e readequação para os funcionários do aeroporto para proteger o maior número possível de empregos durante essa crise. Por exemplo, o SATS, responsável pela assistência em terra, está enviando funcionários para cursos de treinamento para treiná-los como motoristas no lado-ar para apoiar as companhias aéreas. A CAG está em parceria com a Certis Aviation Security para otimizar e redimensionar corretamente suas operações, com relação ao número de agentes nas estações de inspeção de segurança antes do embarque e nos pontos de controle de acesso às áreas restritas, por exemplo.

Algum dos nossos leitores pretende passar pelo Aeroporto de Changi nos próximos 18 meses e terá sua experiência afetada?

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.