fbpx

Air New Zealand reduz sua capacidade em 85% e suspende alguns voos até 30 de junho

Notícias

Por Equipe | Passageiro de Primeira

Devido o surto de coronavírus a Air New Zealand é mais uma companhia aérea que está reduzindo sua capacidade operacional para evitar gastos com a falta de demanda de passageiros. A empresa está suspendendo rotas para garantir a segurança de seus clientes e sua tripulação, respeitando orientações das Agências de Aviação de todo o mundo.

Em sua malha de voos internacionais long haul (de longa distância), a Air New Zealand reduzirá sua capacidade em 85% nos próximos meses, operará um cronograma mínimo para permitir que os cidadãos da Nova Zelândia retornem para casa e manterá abertos os canais comerciais com a Ásia e a América do Norte. Todos os detalhes serão anunciados nos próximos dias. Entre as reduções, a companhia aérea anunciou que suspenderá voos entre Auckland e Chicago, São Francisco, Houston, Buenos Aires, Vancouver, Tokyo Narita, Honolulu, Denpasar (Bali) e Taipei de 30 de março a 30 de junho.

No último sábado, 14 de março, o governo da Nova Zelândia anunciou novas restrições de entrada para impedir a propagação da COVID-19 pelo país. A partir de agora, todas as pessoas que entrarem na Nova Zelândia vindas de qualquer lugar do mundo deverão se auto-isolar por 14 dias e se registrar na Healthline (telefone gratuito da Nova Zelândia 0800 358 5453). Essas medidas são temporárias e serão revisadas em 31 de março de 2020. A única exceção a essas restrições de viagem é para visitantes vindos das Ilhas do Pacífico.

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.