fbpx

As extravagantes viagens do Rei Saudita e suas 500 toneladas de bagagem

Notícias

Por Gabriel Marinho

O que não pode faltar na sua mala para uma viagem? Eu arrisco dizer que, fora o essencial como peças de roupa, itens de higiene e calçado, você deve ter algo que não consegue sair de casa sem. No meu caso é o meu computador, que não posso deixar para trás em nenhuma viagem. No caso do Rei da Arábia Saudita, é o sofá da sala. Afinal de contas, atire a primeira pedra quem aqui consegue fazer uma viagem internacional sem levar uma mobília de casa, né?

Departamento de Estado dos EUA dos Estados Unidos/Domínio público


A Arábia Saudita

A Arábia Saudita é o maior país do Oriente Médio e da Península Arábica e o segundo maior país árabe do mundo, após a Argélia. O Reino da Arábia Saudita foi fundado em 1932 por Abd al-Aziz Al Saud. Desde a sua criação, o país é propriedade privada da família Saud e o sistema político tem sido o de uma monarquia absoluta teocrática. 

Com a maior produção de petróleo do mundo, o país possui uma das maiores economias do planeta. Tamanha riqueza e importância do país na produção de um dos ativos mais essenciais na economia mundial dá à família Saud um enorme poder no cenário geopolítico. A mais recente prova desse poder veio no dia 09 de março quando Mohammed bin Salman, príncipe saudita multiplicou a oferta de petróleo produzido pelo país em plena pandemia. A manobra fez o preço do barril despencar de vez e derreteu os mercados financeiros mundo a fora. 

E parece não haver limites para a família real que esteve no meio de outras polêmicas como o assassinato de um jornalista dentro de uma embaixada e a espionagem do celular do Jeff Bezos, dono da Amazon e atualmente o homem mais rico do mundo.


A frota real

As extravagâncias e demonstrações de riqueza e poder acabam refletindo na maneira peculiar em que Salman Al Saud, o rei do país e filho de Mohammed bin Salman, faz suas viagens.

A Saudi Royal Fleet é a companhia aérea dedicada à família real saudita. Segundo o Airfleets, dentre as aeronaves privativas usadas pela família estão:

  • 1 Airbus A318
  • 1 Airbus A340-200
  • 1 Boeing 747-300
  • 1 Boeing 747-400
  • 2 Boeing 747-SP
  • 1 Boeing 757-200

O A340-8000, inclusive é uma aeronave única de longo alcance e que foi derivada do A340-200. A aeronave de quatro motores foi produzido pela Airbus originalmente destinado ao irmão do sultão de Brunei e posteriormente adquirido pela família real saudita.

Todas as aeronaves são decoradas como verdadeiros palácios voadores.


As viagens do Rei

Quando o monarca de 84 anos de idade viajou para a Indonésia em 2017, ele trouxe consigo 1.500 pessoas na sua comitiva, incluindo 10 ministros e 25 príncipes, além de 459 toneladas de carga. Isso mesmo que você leu! Segundo a CNN, entre os itens de luxo na bagagem do rei Salman estavam duas limusines Mercedes-Benz S600 e dois elevadores elétricos, além da sua já tradicional escada rolante dourada para descer de sua aeronave. A bagagem precisou ser levada em uma frota de sete aeronaves que incluíam aeronaves de transporte Boeing 747s, 777s, 757, 737 e Lockheed C-130 Hercules.

OIC2016

Aliás, os elevadores, tão imprescindíveis na viagem, causaram um fim abrupto às férias do rei. Segundo a Reuters, quando Salman estava na cidade de Cote d’Azur, no sul da França em 2015, sua comitiva instalou o elevador em uma praia pública no sul do país, colocando cimento na areia para sustentar a fundação. O ato deixou diversos moradores furiosos e levou à criação de um abaixo-assinado apoiado por mais de 150.000 pessoas que pediam a saída da comitiva real da cidade. 

Quando viajou para a Rússia em 2017 para uma viagem de 4 dias o rei também fez as suas malas só com o “essencial”. Como reportado pela Bloomberg, Salman levou 800kg de alimentos transportados da Arábia Saudita para Moscou. Ele, que ficou no Four Seasons, supostamente ainda levou seus próprios funcionários para fazer seu café além de carpetes e móveis como sofás e mesas para redecorar o local durante a sua estadia.

O Four Seasons e o Ritz Carlton em Moscou, foram reservados inteiramente e exclusivamente pelo governo saudita. Algumas pessoas que residem no hotel saíram para dar espaço à comitiva saudita.

E quando o rei decidiu viajar para as Maldivas, ele queria que seu iate estivesse lá quando chegasse lá. Sua embarcação de luxo, o Al Salamah que possui 34 quartos e custou US$ 300 milhões, estava ancorada no porto de Male, embora o rei Salman tenha acabado mudando seus planos no último minuto e acabou não viajando.

E  todo mundo da família recebe um tratamento de luxo. O princípe saudita chegou a comprar 80 assentos de classe econômica para os seus FALCÕES viajarem com mais conforto.


Agora toda vez que alguém falar que estou levando muita coisa para uma viagem vou mandar o link desse post. E você, o que achou dessas viagens reais?

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.