fbpx

Avião que pertenceu à Varig é destruído no Galeão, entidade se justifica

Notícias

Por Equipe | Passageiro de Primeira

Durante a semana muito foi veiculado sobre a destruição da histórica aeronave DC-3, da Varig, no hangar do RIOgaleão, na Ilha do Governador (RJ). O modelo se popularizou nos anos 1930 e 1940 e também foi usado na Segunda Guerra Mundial. A Fentac (Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil), emitiu uma nota explicando o ocorrido.

Os DC-3 da Varig foram utilizados em rotas nacionais e internacionais por cerca de 25 anos, tanto para transportar passageiros quanto cargas. O último voo desse modelo aconteceu em agosto de 1971.

Segundo a Fentac, o DC-3 apresentava 100% de corrosão e a empresa não tinha como pagar o aluguel do lugar em que a aeronave estava sendo exposta – que pertence à gerência do Aeroporto RIOgaleão.

Sem o dinheiro para quitar a dívida com a empresa, a Varig foi até o Poder Judiciário requerer uma autorização para destruir a aeronave.

“O avião foi destruído por autorização judicial após pedido da massa falida da Varig, que se viu em uma encruzilhada imposta pela administradora do aeroporto Galeão, onde o avião estava estacionado.”

“Com a cobrança do espaço que tal avião estava utilizando, a massa falida buscou solucionar o problema com o menor custo, inclusive o ofertando para o Museu Aeroespacial (MUSAL). Após a recusa, o alto custo para manter tal avião parado levou a massa falida a requerer autorização do Poder Judiciário para destruir a aeronave.”

No começo da semana, foram divulgadas fotos em que mostravam a aeronave sendo totalmente destruída.

A Fentac lembrou que outra aeronave deste mesmo modelo continua em exposição. Ela está restaurada e aberta à visitações, no Aeroporto de Porto Alegre.

Para acessar a nota na íntegra da Fentac, clique aqui.


Nosso comentário: ABSURDA esta destruição!

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.