fbpx

British Airways pode demitir até 12 mil funcionários devido ao coronavírus

Notícias

Por Dérek Arakaki

A British Airways deve realizar o corte de até 12 mil funcionários em função dos impactos nas receitas causadas pelo coronavírus. A informação foi divulgada no relatório de resultados do primeiro trimestre do Grupo IAG, dono da companhia.


Redução de funcionários

O relatório informa que “em função do impacto do COVID-19 nas operações e da expectativa de que a recuperação da demanda de passageiros para os níveis de 2019 leve vários anos, a British Airways está notificando formalmente seus sindicatos sobre um programa de reestruturação e redução”. O Grupo IAG ainda informa que “as propostas continuam sujeitas a consulta, mas é provável que afetem a maioria dos funcionários da British Airways e possam resultar no corte de até 12.000 empregos.

Lembrando que desde o início da pandemia de COVID-19, a empresa já havia afastado 22.626 funcionários, em regime de licença temporária.


Carta do CEO da British Airways

Em paralelo, o CEO da British Airways, Alex Cruz, também divulgou uma carta aberta. Confira abaixo na íntegra:

Preparando-se para um futuro diferente

Ontem, a British Airways voou com pouquíssimas aeronaves partindo de Heathrow. Em um dia normal, voaríamos com mais de 300 aeronaves. O que estamos enfrentando como companhia aérea, como muitas outras empresas por todo o país, é que não existe mais o ‘normal’.

A associação de aviação global, IATA, disse que o setor nunca sofreu uma queda tão profunda antes e que as receitas anuais de passageiros do setor podem despencar 55% em comparação com 2019, enquanto o tráfego cai 48%. Muitas companhias aéreas estacionaram todos os seus aviões. Infelizmente, veremos algumas companhias aéreas fecharem seus negócios com resultantes perdas de empregos.

Nossa programação de voos limitada significa que as receitas não estão chegando ao nosso negócio. Estamos tomando todas as medidas possíveis para economizar dinheiro, o que nos ajudará a enfrentar a tempestade no curto prazo. Estamos trabalhando em estreita colaboração com parceiros e fornecedores para discutir condições de pagamento; estamos renegociando contratos sempre que possível; e estamos considerando todas as opções para nossa frota de aeronaves atual e futura. Todas essas ações sozinhas não são suficientes.

Nas últimas semanas, as perspectivas para a indústria da aviação pioraram ainda mais e precisamos agir agora. Somos uma empresa forte e bem gerenciada que enfrentou e superou muitas crises em nossos cem anos de história. Também devemos superar essa crise.

Não há ajuda do governo para a BA e não podemos esperar que o contribuinte compense os salários indefinidamente. Qualquer dinheiro emprestado agora será apenas de curto prazo e não abordará os desafios de longo prazo que enfrentaremos.

Não sabemos quando os países reabrirão suas fronteiras ou quando as restrições serão suspensas e, portanto, precisamos reimaginar, remodelar nossa companhia aérea e criar um novo futuro para nosso pessoal, clientes e destinos a que servimos. Informamos o Governo e os Sindicatos sobre nossas propostas, incluindo possíveis reduções no número de funcionários. Começaremos um período de consulta, durante o qual trabalharemos com os sindicatos para proteger o maior número possível de empregos. Seus pontos de vista são importantes e ouviremos todas as propostas.

A escala desse desafio requer mudanças substanciais, por isso estamos em uma posição competitiva e resiliente, não apenas para lidar com a pandemia imediata do Covid-19, mas também para suportar reduções de longo prazo na demanda dos clientes, choques econômicos ou outros eventos que possam nos afetar. Por mais desafiador que seja, quanto mais adiarmos as decisões difíceis, menos opções nos serão abertas.

Quero prestar homenagem aos milhares de colegas da British Airways que estão desempenhando um papel vital na resposta global à crise do Covid-19. Se você está ajudando em um de nossos voos de repatriamento, no transporte de carga essencial; ou é um dos centenas de colegas que se voluntariaram com organizações como o NHS, você tem meu sincero respeito e agradecimento.

Essa foi uma mensagem difícil de escrever e que eu nunca pensei que precisaria enviar. Sei como a família da BA é unida, e quão preocupado você ficará, não apenas por você, mas também por seus colegas. Agora, precisamos agir decisivamente para garantir que a British Airways tenha um futuro forte e continue conectando a Grã-Bretanha ao mundo e o mundo à Grã-Bretanha.

Obrigado.
Alex


Comentário

Momento muito delicado para diversas companhias aéreas pelo mundo. Ainda que muitas sobrevivam a crise, sem dúvidas  terão que readequar suas operações e reduzir seu tamanho. Espero que a situação possa ser normalizada o quanto antes, para que possamos retomar nossas viagens quando for seguro e as companhias suas operações conectando passageiros por todo o mundo.

Para acessar o relatório clique aqui e para a carta do CEO clique aqui.

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.