fbpx

Classe Executiva da Korean Air no B777-300ER – Auckland para Seoul

Avaliações Cias Aéreas Classe Executiva

Por Fábio Vilela

Apesar do aeroporto de Auckland ser pequeno a caminhada até o meu portão foi longa pois ele ficava bem na extrema ponta – no final do terminal.

Cheguei lá e ainda esperei tive que esperar pra poder embarcar, já que não estavam no horário.

A ordem de embarque para Clientes Elite/Classe foi respeitada, mesmo com atraso.

Vôo Korean Air KE130 – 28/11/2018
Auckland (AKL) ✈ Seoul (ICN)
Assento: 7E – Classe Executiva 
Partida: 10:00 / Chegada: 17:55 / Duração: 11h55
Aeronave: B77W

Bom, primeiro vou começar falando das aeronaves da Korean Air pois nem todas tem a poltrona deste review. A melhor forma de saber é pesquisando o mapa de assentos.

  • No B777-300ER você terá os novos assentos se as fileiras da executiva começarem na 7 e forem até a 14 no layout 2-2-2.
  • No A330-300 não tem como saber pois o layout da business antiga é idêntico ao da nova 2-2-2 – assim como o número de fileiras, então fica meio que impossível saber.
  • No B747-8i e B787 todos os assentos da executiva são os novos.
  • Nos A330-200, A380, B777-200 e B747-400 são todos antigos.

No B77W que eu voei tem uma vantagem – a primeira seção da executiva conta somente com 1 fileira, ou seja, mais privativo impossível – sendo o melhor lugar pra sentar – cadeiras 7A, 7B, 7D, 7E, 7H e 7J.

OBS: Algumas fotos vou usar de outro review que tenho pois a cabine não estava vazia quando cheguei.

Assim que eu cheguei uma comissária me deus as boas vindas e me acompanhou até o meu assento – foi super simpática.

Como vocês podem ver este modelo de business class é bem interessante pois a cia consegue manter a disposição 2-2-2 mas sem comprometer o passageiro que senta na janela. Isto porque esta poltrona (chamada de Apex Suite) não fica totalmente alinhada com a do lado, portanto ambos os clientes podem levantar sem incomodar o outro.

Este layout foi muito bem pensado e não compromete a quantidade de assentos a bordo, mantendo assim uma receita proporcional p/ a empresa.

Estas cadeiras se transformam em camas quando reclinadas e possuem uma divisória eletrônica que permite que você tenha ainda mais privacidade em relação ao colega ao lado. Super aprovado!

Notem que as poltronas não deixam de ser juntas, e mesmo assim continuam “separadas”.

O passageiro que senta na janela tem uma pequena abertura para poder levantar do assento – assim não incomoda o colega ao lado.

A poltrona não é estreita e oferece um espaço satisfatório e suficiente para o passageiro.

Eu optei por sentar no assento central pois até na hora do check-in a cadeira do meu lado estava vazia e assim ela ficou, até o término do embarque.

O embarque começou com amendoim nesta embalagem e bebida – que no caso não estava gelada. Achei que ela foi BEM restrita egoísta na quantidade do champagne, notem por favor, rs. A marca era Perrier-Jouet Grand Brut.

O controle da posição de assentos fica na lateral do meu lado esquerdo e o joystick do IFE perto da sua perna.

Além de posições pré-estabelecidas você também consegue personalizar algumas partes do assento além de controlar a divisória e luz individual.

O joystick era touchscreen e de interface rápida.

O IFE era bem completo com diversas opções de filmes, séries, músicas e até câmera na fuselagem. Senti falta de wifi, ainda mais para um voo tão longo.

A mesinha saía deste compartimento aqui – também do lado esquerdo.

A tomada ficava perto da TV, ou seja um pouco longe do passageiro, então caso você quisesse mexer no celular e carregá-lo ao mesmo tempo, você precisa ter um fio carregador longo.

Do meu lado esquerdo ainda tinha um porta trecos semi aberto – pois na verdade era só esta tampa – a parte lateral ficava aberta. Lá estava o fone de ouvido, garrafa d’água e amenity kit.

O amenity kit era desta marca DAVI que eu particularmente não conheço. Já a pantufa era “Made in China”, sem marca.

Eu já comentei isto com vocês e volto a falar – acho essencial as cias oferecerem chinelos na executiva, assim você não precisa ficar pisando de meia no chão.

Dentro da necessáire havia o básico – kit dental, pente, alguns produtos da marca DAVI, calçadeira e tapa olho.

O travesseiro não era bom, parece aquele que você recebe em alguns voos domésticos – além de muito pequeno.

Usei minha mão para vocês terem uma idéia do tamanho.

O fone de ouvido é noise cancelling – mas só no nome. Nunca vi algo tão “xexelento” e barato – as espumas, o tipo do material e a qualidade do som eram PÉSSIMOS!

O cardápio não foi “entregue” aos passageiros, ele já estava na poltrona quando cheguei. Então aproveitei para tirar foto quando o avião ainda estava em solo.

Aguardo opiniões sobre a carta de vinhos que tinha rótulos da Austrália, Nova Zelândia, EUA e Portugal.

Como o voo era diurno havia 2 serviços completos (brunch e almoço) – e 2 opções de snacks caso algum passageiro desejasse fora do horário das refeições.

Optei por começar com o meu famoso companheiro de voos – ginger Ale.

E como prato principal escolhi a opção coreana que era uma espécie de arroz empapado. Os acompanhamentos eram pedaços de carne e alguns legumes que também não distinguir o que era, só que eram bastante temperados por sinal. O prato veio acompanhado de talheres e também hashis (palitinhos) em prata.

Não gostei do sabor de nada e acabei devolvendo quase intacto. A comissária perguntou se eu não tinha gostado, falei a verdade e disse que não, pois não estava acostumado com este sabor diferente. Ela perguntou se eu queria algo mais, eu disse que não e que ela poderia trazer as frutas.

Apesar de estar escrito no cardápio que serviriam pães, não foi oferecido.

Detalhe pro saleiro e pimenteiro.

A sobremesa eram apenas frutas – bem simples.

Eu estava sem sono, por isto quase não dormi durante o trajeto –  além disto não consigo dormir em voos diurnos. De qualquer foram reclinei a poltrona pra vocês verem.

Veja que mesmo se tivesse alguém do meu lado a divisória central bloqueia totalmente a visão – excelente.

A poltrona é total flatbed e tem uma largura satisfatória.

Vejam que o casulo lateral também bloqueia seu rosto do corredor – te garantindo mais privacidade ainda.

A TV tinha um ótimo tamanho, ideal para a distância do assento.

No meio do voo me deu fome, afinal não tinha “almoçado”, rs. Pedi então o “miojo” com acompanhamento e cookies. Como eu estava bem faminto, eu coloquei uma garfada bem generosa na boca com aquele apetite de leão, mas mal sabia eu do perigo que eu estava correndo, rs. MEU IRMÃO! O trem estava MEGA apimentado – eu quase MORRI engasgado – sério! Como eles conseguem comer ? Sério, estava impossível – novamente devolvi e fiquei só com os cookies.

Mas algo me perturbou mais que minha fome durante o voo – ficar olhando pra esta plaquinha que me separava do Monte Olimpo. Oh Lord! The Walk of Shame is real!

Faltando 2h40 pro pouso fui despertado (acabei cochilando) por uma comissária que por sinal não era a mesma que me atendeu durante o voo. Fiquei impressionado de como ela me acordou – sem nenhuma gentileza e apenas me cutucando com uma certa rispidez.

Achei um exagero começaram o último serviço com tanta antecedência, mas enfim…

Para começar trouxeram vieira com um molho de manga – uma delícia.

De entrada veio uma saladinha de caranguejo com limão – ótima também. Eles também trouxeram outros acompanhamentos que eu não sei o que era – e novamente não foi oferecido pães.

Toda vez que eu pedia vinho pra comissária a quantidade que ela servia era apenas esta. Seria uma regra? Encher a taça é falta de educação será? Na minha opinião, colocando mais, facilitaria eu ter que ficar chamando ela toda hora.

Em contrapartida antes de servir o vinho mostraram o rótulo e garrafa – achei bem profissional.

De prato principal optei pelo Korean Bibimbap que é um prato bem famoso por lá. A comissária também fez questão de me explicar (apesar de eu já saber) como eu deveria comer.

Você coloca o arroz, mistura todos os condimentos e depois usa as algas para ir comendo. Neste caso os “temperos” vem separados, então você consegue dosar a quantidade de pimenta por exemplo – o que é ideal já que você vai colocar à gosto. Eu gosto muito deste prato apesar de não saber a maioria dos ingredientes que fazem parte dele – comi sem saber, rs.

Já a sopa eu dispensei.

Após a refeição principal trouxeram os queijos com uvas e crackers.

Não me perguntaram se eu queria o sorvete ou o cheesecake e já trouxeram o cheesecake – paciência né?

Apesar de algumas falhas que aconteceram durante o trajeto – seja no atendimento ou no sabor das refeições – a experiência foi OK para este voo longo.

Eu já falei aqui no PP várias vezes que sou fã deste modelo de classe executiva para cias que não querem perder quantidade de espaço e preferem manter o layout 2-2-2 pois não prejudica a privacidade do passageiro e ainda consegue garantir proximidade pra quem gosta de viajar junto – tá mais que aprovado!

Vocês já experimentaram?

Avaliação

  • Check-in:
  • Embarque:
  • Poltrona:
  • Atendimento:
  • Refeição:
  • Entretenimento de bordo:
  • Amenity Kit:
  • Internet:
  • Pontualidade:
  • Limpeza:
Média
8.2

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.