fbpx

O curioso acúmulo de pontos baseado no dólar que acontece nos cartões de crédito no Brasil

Notícias

Por Fábio Vilela

Eu ando bem reflexivo estes últimos dias em relação à minhas estratégias de uso de cartões de crédito, e hoje me peguei pensando: não é curioso que os bancos brasileiros (na sua maioria) continuem usando uma proporção de conversão de pontos baseado em uma taxa de dólar totalmente defasada?

Vamos lá – vou tentar explicar meu raciocínio e pensamento!

Os cartões de alta renda hoje no Brasil pontuam (em geral) em torno de 2 à 2,5 pontos por cada U$. Porém esta conversão/proporção é de uma época que 1 dólar valia 2 reais.

Fiz uma pesquisa rápida pelo Google e parece que a última vez que o dólar fechou abaixo de R$2 foi em 2013, ou seja, já tem 6 anos – que esta conversão vem nos “prejudicando.”

O tempo passou, nossa moeda desvalorizou e este acúmulo permaneceu o mesmo! Fazendo uma cálculo rápido, para termos a mesma quantidade de pontos que ganhávamos no passado, teríamos que ter uma conversão de no mínimo 4 pontos por cada 1 U$.

Lógico que temos que levar em consideração algumas promoções pontuais que acontecem de pontuações diferenciadas, mas este não é o cenário padrão de todos os cartões no dia-a-dia e sim situações particulares que vez ou outra estão disponíveis.

E ao meu entender (posso estar equivocado!), o banco não tem um custo em moeda estrangeira se mandar os pontos para programas nacionais como Smiles, TudoAzul e Multiplus que justifique manter este acúmulo baseado em dólar. Já para os estrangeiros penso que como a negociação deve ser feita em dólar, então realmente o custo é maior.

Eu não vejo por exemplo cartões de crédito europeus pontuando baseado em dólar, e sim em EUR.

Mas enfim, o que eu quero dizer é: temos uma conversão antiga, nosso dinheiro perdeu um significativo poder de compra nos últimos anos e os bancos continuam com esta “taxa congelada” de acúmulo sem qualquer reajuste – que claro, beneficie o cliente, ou seja, hoje nós conseguimos menos pontos gastando mais!

Agora eu te pergunto – Não seria mais justo que nossos cartões pontuassem de acordo com nossa moeda e assim não ficaríamos suscetíveis a oscilação do dólar? Será que basear o acúmulo em dólar (moeda mundial) é uma situação típica de países com uma moeda mais desvalorizada/fraca? Qual a opinião de vocês à respeito disso?

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliações de voos, salas vips, hotéis, cartões de crédito e promoções.