fbpx

Quais cartões de crédito do Brasil acumulam pontos extras em compras no exterior?

Cartões de Crédito Notícias

Por Fábio Vilela

O IOF é um fator bem significativo na hora de considerarmos usar o cartão no exterior, afinal pagar 6,38% em cima de toda transação é um valor considerável se você for um gastador/comprador “de primeira”.

Mesmo assim, muitas pessoas – e eu me incluo neste grupo – ainda usa o cartão fora do Brasil – primeiro pela comodidade e segundo pelo acúmulo de pontos/milhas que no final acaba por diminuir o estrago da taxa do IOF quando você consegue emitir uma passagem usando suas recompensas.


Cartões com pontuação diferenciada para gastos no exterior

Bom, pensando nisto resolvi colocar aqui pra vocês um comparativo de todos os cartões emitidos no Brasil que oferecem uma pontuação diferenciada caso você faça gastos em moeda estrangeira.

Bradesco

Bradesco Elo Nanquim Diners Club / Bradesco Elo Nanquim Prime Diners Club

  • Acúmulo de 5 pontos por U$ em compras no exterior até 31/05/19.
  • Acúmulo de 3,3 pontos por U$ em compras no exterior até 31/12/19.
  • Validade dos pontos: Nunca expiram.
  • Anuidade: R$1.200,00
  • Mais detalhes aqui.

Bradesco VISA Aeternum 

  • Acúmulo de 4 pontos por U$ até 31/12/19.
  • Validade dos pontos: Nunca expiram.
  • Anuidade:R$1.500,00.
  • Mais detalhes aqui.

Banco do Brasil

Ourocard Elo Nanquim Diners Club 

  • Acúmulo de 5 pontos por U$ em compras no exterior até 31/05/19.
  • Acúmulo de 3,3 pontos por U$ em compras no exterior até 31/12/19.
  • Validade dos pontos: Nunca expiram.
  • Anuidade: R$1.150,00.
  • Mais detalhes aqui.

Credicard

Cartão Credicard Mastercard Black

  • Acúmulo de 3 pontos por U$ em compras no exterior.
  • Validade dos pontos: 3 anos.
  • Anuidade: R$780,00.
  • Mais detalhes aqui.

Itaú

Itaú Personnalité Mastercard Black

  • Acúmulo de 3 pontos por U$ em compras no exterior.
  • Validade dos pontos: 3 anos. Pontos acumulados após 11/09/2018 não expiram.
  • Anuidade: R$959,00.
  • Mais detalhes aqui.

Itaú Private Mastercard Black

  • Acúmulo de 3 pontos por U$ em compras no exterior.
  • Validade dos pontos: 3 anos. Pontos acumulados após 11/09/2018 não expiram.
  • Anuidade: Não consegui esta informação.
  • Mais detalhes aqui.

Itaú Private Visa Infinite

  • Acúmulo de 3 pontos por U$ em compras no exterior.
  • Validade dos pontos: Não expiram.
  • Anuidade: Não consegui esta informação.
  • Mais detalhes aqui.

Banco Santander

Cartão Santander 1|2|3

  • Acúmulo de 3 pontos por U$ em compras no exterior.
  • Validade dos pontos: 2 anos.
  • Anuidade: R$396,00
  • Mais detalhes aqui.

Cartão Santander AAdvantage – American Airlines

  • Mastercard Gold
    • Acúmulo de 2 milhas por U$ em compras no exterior [Valor dobra se a compra for na American Airlines em U$]
    • Validade dos pontos: Nunca expiram desde que você movimente a conta a cada 18 meses.
    • Anuidade: R$360,00
    • Mais detalhes aqui.
  • Mastercard Platinum
    • Acúmulo de 2,5 milhas por U$ em compras no exterior [Valor dobra se a compra for na American Airlines em U$]
    • Validade dos pontos: Nunca expiram desde que você movimente a conta a cada 18 meses.
    • Anuidade: R$546,00
    • Mais detalhes aqui.
  • Mastercard Black
    • Acúmulo de 3 milhas por U$ em compras no exterior [Valor dobra se a compra for na American Airlines em U$]
    • Validade dos pontos: Nunca expiram desde que você movimente a conta a cada 18 meses.
    • Anuidade: R$1.080,00
    • Mais detalhes aqui.

OBS: Para todos os cartões eu considerei a anuidade cheia – sem qualquer desconto que possa vir a ser concedido – seja pelo valor de gastos mensais ou algum incentivo do banco.


Matemática do acúmulo extra vs. IOF

Vamos supor que eu gaste U$5.000 e com uma pontuação turbinada de 3 por U$ – vou acumular 15.000 pontos.

Deste montante total eu tive que pagar IOF no valor aproximado de U$319, ou o equivalente a R$1.276,00 (Cotação de U$1 = R$4).

Portanto se eu dividir o valor do IOF pelos 15.000 pontos, chegarei em um preço de R$0,08 por ponto – o que é SUPER caro – principalmente se compararmos com a facilidade que conseguimos gerar milhas/pontos no Brasil por até R$0,02.

Portanto – financeiramente pelos pontos – não vale a pena!


Quando compensa usar o cartão no exterior?

Mas agora tenho outros fatores que ainda coloco em consideração quando uso o cartão no exterior como seguro médico automático, garantia estendida, seguro de veículos, entre outros.

Vou tomar como exemplo os benefícios da bandeira Mastercard Black (independente do banco).

  • Comprei um Macbook Pro de U$2.800,00 ou seja, IOF U$178.64 saindo da loja, veio um cara e me assaltou e levou meu computador. Com o seguro “Proteção de Compra” tenho cobertura para reparar ou substituir os produtos, nacionais e importados, adquiridos com o MC Black e, que forem roubados, furtados ou danificados dentro de um prazo de 90 (noventa) dias a partir da data da compra. Ou seja, se eu tivesse pago em CASH ficaria sem os U$2.800,00. Neste caso o IOF de U$178.64 me garante um computador novo – em tese.
  • Aluguei umA Land Rover na Hertz por uma semana por U$4,000.00, ou seja, IOF U$255,20. Não usei o seguro da locadora e infelizmente bati o carro e deu perda total. Como paguei com meu cartão de crédito, ele cobra até U$75,000 de danos no carro. Se eu tivesse pago a locação com dinheiro ou cartão de débito, não teria o seguro. Neste caro o IOF de U$255,20 me garante uma economia de pagar um carro novo para Hertz. Bom, eu nunca precisei utilizar, então não sei até que ponto seria fácil resolver este pepino, rs.

OBS: De acordo com a apólice do Mastercard Black – carros caros com valor de mercado no país de locação, com valor acima de USD 75.000 ou exóticos, incluindo, mas não se limitando a Aston Martin, Bentley, DeLorean, Ferrari, Jensen, Lamborghini, Lotus, Maserati, Porsche, Rolls Royce – não estão cobertos!


Desvantagens do uso no exterior

Além do IOF, vale lembrar que os bancos no Brasil adotam diferentes cotações – alguns optam pelo dólar comercial, outros turismo e por aí vai – ou seja, você sempre ficará sujeito a flutuação da moeda no fechamento da sua fatura.

Esta diferença entre a taxa do dólar vigente e a taxa cobrada pelo banco do cliente chama “spread” e geralmente este valor pode chegar até 5%.


Conclusão e considerações finais

Confesso que pagar IOF me dói e não é sempre que compensa, afinal é um dinheiro perdido, mas sabendo maximizar o acúmulo combinando com emissões em cabine premium, você consegue diminuir este “prejuízo”, concordam?

Eu particularmente não gosto de viajar com cash e acho bem cômodo usar um cartão só para os gastos, pois além de segurança te ajuda a consolidar o controle das finanças, portanto eu ainda utilizo!

Bom, mas agora quero saber de vocês! Como é seu perfil de gasto no exterior? Cash, Cartão pré-pago ou Cartão emitido no exterior? Ou você também usa o cartão de crédito brasileiro como eu? Se sim, qual tem usado?

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliações de voos, salas vips, hotéis, cartões de crédito e promoções.