Boeing 787 ou Airbus A350?

Boeing 787 ou Airbus A350? Vamos lá semear discórdia, rs.

Chamado de dreamliner, ou “da linha dos sonhos”, o B787 da Boeing chegou prometendo revolucionar os voos de longa distância – sobretudo no quesito conforto a bordo. No entanto, logo ele se deparou com um rival do mesmo peso no outro lado do ringue: o A350, da Airbus.

Apesar de não serem competidores diretos (o A350 compete mais com o B777 do que com o B787), os dois são frequentemente comparados por simbolizarem o que há de mais moderno e tecnológico na indústria.

Interior B787

Ambos são de longa distância, wide-body (possuem dois corredores), com duas turbinas, sistema de iluminação de LED (customizável e mais agradável aos olhos) e construídos com polímero reforçado com fibra de carbono – mais resistente do que o tradicional alumínio e responsável pela menor pressão dentro da cabine: o que se traduz em mais oxigênio nos seus pulmões, mais humidade no ar e, assim, maior conforto durante o voo.

Airbus A350

O alcance dos dois é bastante parecido (15.000km para o A350 x 14.140 para o B787), o número de passageiros que eles transportam varia mas é sempre bastante alto (325 numa configuração típica do A350-900 x 280 do último B787-9) e o mesmo pode ser dito em relação aos preços (entre USD260 e 300 milhões). Mas, muito mais importante, o que os une são as enormes economias em combustível (em relação ao número de passageiros que transportam) que oferecem às companhias aéreas, tornando-os muito popular.

Boeing 787-10

Mas vamos ao que interessa nesse post. Queremos saber de que lado você está e, pra isso, vamos focar nas principais diferenças entre esses pesos-pesados dos ares:

Abrindo a contagem do B787, ele usa seu sistema elétrico para controlar todos os flaps, leme, profundor etc de sua estrutura – em vez do tradicional sistema hidráulico das aeronaves comerciais (incluindo o do A350).  Assim, a eletricidade gerada pelo B787 é cinco vezes maior do que o padrão – algo revolucionário.

Interior do A350

As janelas do B787 são maiores. Sendo mais preciso, são 65% maiores do que uma janela padrão – mas diferentes das janelas do A350. A Boeing apostou em janelas dimerizáveis com interruptor: o que é uma excelente ideia, mas ao mesmo tempo significa que mesmo na configuração mais escura, ela ainda é translúcida. Consequência: dormir ou assistir a um filme em um voo diurno é menos confortável do que fazê-lo em uma cabine realmente escura (efeito que você consegue com janelas convencionais). Além de não bloquear muito bem a luminosidade, essas janelas também não bloqueiam muito bem o calor e podem ficar quentes para o toque.

Falando das fortalezas do A350: sua cabine é uma das mais silenciosas de todos os céus (perdendo apenas para a do A380), graças sobretudo à turbina Rolls Royce que utiliza. O ruído ambiente típico na cabine em altitude de cruzeiro é de 57 decibéis, ou seja, o equivalente a uma conversa em volume normal!

Boeing 787-9

Ainda contando pontos para o time A350, ele possui o teto mais alto entre todas as aeronaves comerciais – o que também resulta em bins de tamanho gigantesco. Resultado: a Airbus promete que absolutamente TODOS os passageiros a bordo podem levar uma bagagem de mão na dimensão máxima permitida e ainda assim não faltaria espaço nos bins! (Agora vi vantagem!!!).

Por fim, a cabine do A350 tem uma largura 13 centímetros maior, o que pode não parecer muito, mas numa típica configuração da econômica de 3-3-3, significa 1,5cm a mais por poltrona – e todos sabemos o quanto cada milímetro ajuda num voo longo!

Airbus A350

Massss… se você é como nós, um viciado nas cabines mais premium e gosta de viajar só de First deve focar mais nos B787, tendo em vista que somente a Malaysia Airlines instalou primeira classe nos A350 (e que ficou lindo por sinal), enquanto que nos B787 já temos várias First’s disponíveis como British, Etihad, China Southern, entre outros.

Primeira Classe da Malaysia Airlines no A350

A grande verdade é que todos nós temos um favorito e agora queremos saber qual é o seu?