fbpx

Como emiti 2 passagens de volta ao mundo em classe executiva usando milhas #Leitor de Primeira

Notícias

Por Fábio Vilela

Pessoal, esta história do Filipe assim como muitos outros depoimentos que vocês nos mandam,  merece e DEVE ser compartilhada. Ele conseguiu emitir duas passagens de volta ao mundo de executiva usando nossas dicas e gastando as milhas do programa TAP Miles&GO.

Ele fez questão de me mandar a história da emissão com os detalhes para que vocês também ficassem por dentro.

Então prepara a pipoca, e aproveitem!


Boa tarde Fábio, conforme solicitado, segue relato da saga que precisei enfrentar pra conseguir emitir meus bilhetes RTW com a TAP. Espero que possa ajudar os leitores que ainda estão indecisos a embarcar nesse tipo de viagem. Se precisar de mais algum tipo de informação pode entrar em contato. Abraço.

No dia 11/02 recebi uma newsletter do Passageiro de Primeira informando sobre a possibilidade de emissão de um bilhete denominado “Round the world” (Volta ao mundo), confesso que até então desconhecia tal tipo de bilhete, e apesar de sonhar em dar a volta do mundo, achava que pra mim seria algo impraticável do ponto de vista financeiro.

Após ler o post (http://passageirodeprimeira.com/faca-uma-volta-ao-mundo-voando-de-classe-executiva-por-r7-35000/) e vasculhar um pouco a internet procurando maiores informações, pude ver que todo trabalho de acúmulo de milhas que faço há alguns anos poderia ajudar a tornar esse sonho possível, e o melhor, realizando os voos em classe executiva!

Verificada essa viabilidade, começamos a fazer as contas de quantos dias de férias eu e minha esposa poderíamos tirar esse ano, e somando alguns feriados, chegamos a 43 dias, porém teríamos que iniciar nossas férias já mês de Abril!

Para não correr o risco de perder o prazo da promoção, solicitei a transferência dos pontos necessários ao programa da TAP e já começamos a destinar algumas horas de sono e finais de semana planejando alguns roteiros.

Como nosso tempo de viagem não será tão grande (em se tratando de uma viagem de volta ao mundo), desde já colocamos em mente que será uma viagem para conhecermos apenas alguns pontos principais dos destinos escolhidos, e quem sabe futuramente voltar para conhecer com mais calma os lugares de maior destaque.

Como o bilhete possui algumas regras para sua emissão (tópico 24 dos termos e condições: https://www.flytap.com/pt-br/termos-e-condicoes-miles-and-go, iniciamos nossa programação escolhendo as 06 (seis) paradas possíveis: Las Vegas, Auckland, Hong Kong, Dubai, Joanesburgo e Londres.

Após escolher as paradas, utilizamos o tutorial do blog (http://passageirodeprimeira.com/como-usar-o-site-da-united-para-buscar-passagens-com-milhas-e-pontos-nas-cias-da-star-alliance/) para buscar os voos da Star Alliance e descobrir se seria possível fazer todas essas paradas sem ultrapassar os 10 voos de limite para esse bilhete.

Montamos a seguinte rota:

  1. GRU-PTY
  2. PTY-LAS (parada em Las Vegas)
  3. LAX-AKL
  4. AKL-ZQN (parada em Queenstown)
  5. AKL-HKG (parada em Hong kong)
  6. HKG-BKK
  7. BKK-DXB (parada em Dubai)
  8. DXB-ZRQ (parada em Zurique)
  9. LHR-JNB (parada em Joanesburgo)
  10. JNB-GRU

Acreditando que estaria tudo certo com a rota, liguei para a TAP (no dia 12/03/2019 – minha bonificação da promoção de 100% só foi disponibilizada integralmente depois desse tempo todo!) e informando as datas e números dos voos (tudo obtido com o buscador da United), o atendente confirmou a disponibilidade e reserva de todos os voos, e em seguida disse que estaria encaminhando as reservas para o setor específico, onde seria feita a conferência da rota, o cálculo das taxas, para em seguida entrarem em contato comigo para pagamento das taxas e emissão dos bilhetes.

No dia seguinte recebi um email da TAP pedindo pra entrar em contato com eles, o coração quase saiu pela garganta, me acalmei e liguei. Após alguns minutos ouvindo a insuportável musiquinha de espera fui atendido, informei o ocorrido e o atendente disse que o bilhete não poderia ser emitido naquele roteiro pois estaria violando as regras de emissão. Perguntei o que estaria de errado e informaram que o trecho AKL-HKG e LHR-JNB estaria violando a regra por estar alterando o sentido inicial (no meu caso havia escolhido o sentido oeste pra a rota).

Pois bem, tentei argumentar que seria um backtraking (reverter a direção da viagem em um determinado voo para continuar a seguir na mesma direção), mas o atendente disse que a Star Alliance havia negado!

Assim, tentei alterar na hora mesmo os voos problemáticos sem alterar as paradas, mas por telefone é muito complicado, então preferi refazer o roteiro com calma utilizando a pesquisa do site da United primeiro pra depois ligar já com a numeração dos voos (uma bela dica, pois pelo site da United é possível já ver todas informações dos voos, como duração, conexão, aeronave, etc).

Após testarmos diversas combinações, vimos que pelos voos disponíveis não seria possível realizar todas as paradas previamente escolhidas sem precisar da autorização da Star Alliance pro backtraking, então tivemos que alterar todo o roteiro.

Pelo buscador da United existiam voos disponíveis, porém a maioria só tinha disponível em classe econômica, o que atrapalhou bastante na montagem do roteiro, pois pretendemos além de aproveitar os lugares, aproveitar também os voos.

Inclusive, em razão dos diversos contatos e informações coletadas, algumas companhias (a própria United por exemplo) deixam para disponibilizar alguns voos para resgate com milhas em data mais próxima do voo (provavelmente tentam vender os lugares em dinheiro pra depois abrirem disponibilidade para resgate com milhas).

Pois bem, tivemos de modificar nosso roteiro e optamos por excluir Joanesburgo, destinando os trechos disponíveis em diferentes lugares na Europa, de modo a respeitar o sentido da viagem.

Fizemos as devidas alterações na reserva, momento em que observei que as reservas constavam no aplicativo da TAP, na aba “Próximo voo”, assim comecei a acompanhar por lá o andamento.

Na manhã seguinte à alteração da reserva, abri o aplicativo da TAP e para minha surprese constam lá apenas 08 (oito) dos 10 (dez) voos reservados! Diante disso, entrei em contato com a TAP, e fui informado que os 02 (dois) voos que haviam sumido da minha reserva não estavam mais disponíveis na hora que o setor responsável foi solicitar a emissão dos bilhetes.

Dessa forma, tive que alterar novamente meu roteiro e escolher outros voos (muitas das vezes para lugares e datas diferentes)! O que me deixou engessado para contratação de voos domésticos, hotéis, passeios, etc.

O que me causava estranheza é que sempre o atendente dizia que o voo estava reservado para mim, porém os mesmos voos ainda constavam no site da United como disponíveis! Cheguei até a cogitar que tais voos teriam diversas disponibilidade, porém após inúmeras tentativas de emissão do bilhete pude entender que até o pagamento das taxas não existe qualquer tipo de reserva perante as companhias parceiras!

Quando digo inúmeras tentativas de emissão do bilhete não estou exagerando, do dia 12/03 ao dia 21/03 tive que ligar pra TAP TODOS OS DIAS (teve dia que tive de ligar mais de uma vez) para alterar meu roteiro, pois toda manhã algum dos voos reservados sumia da minha reserva, e quando ligava lá pra saber o ocorrido era sempre a mesma história: “a companhia parceira não está mais disponibilizando o voo”.

O mais absurdo foi que os voos GRU-PTY-LAS foram retirados da minha “reserva” por indisponibilidade, e quando o atendente buscava voo para substituí-los os mesmos voos apareciam como disponíveis novamente, em razão disso seriam novamente colocados na minha reserva para aprovação da Star Alliance. Isso se repetiu por 04 (quatro) longos dias, sempre os mesmos voos! E pior, com essa demora eu estava com risco iminente de ter alguns dos outros voos alterados também!

A tática que utilizei foi entrar em contato com eles sempre pela manhã, pois estava mais relaxado e centrado em manter a calma.

Porém nos últimos dias tive que demonstrar minha insatisfação com mais rispidez, pois a sensação que tinha era de que a TAP oferecia um produto que na prática era impossível de ser emitido. Disse isso ao atendente, bem como que estava sendo lesado em razão dessa demora demasiada na emissão do bilhete por parte deles. Não sei se foi isso que surtiu efeito, mas algumas horas depois entraram em contato comigo informando o valor das taxas e emitindo os bilhetes, ficando o roteiro final da seguinte maneira:

  1. GRU-PTY (Copa no B737-800);
  2. PTY-LAS (Copa no B737-800);
  3. LAX-AKL (Air New Zealand no B777-300er);
  4. AKL-SIN (Singapore Airlines no B777-300er);
  5. SIN-BKK (Thai Airways no A350-900);
  6. BKK-DXB (Thai Airways no A350-900);
  7. DXB-CAI (Egyptair no B787-9);
  8. CAI-CDG (Egyptair no A330-300);
  9. LHR-LIS (TAP no A330-200 v?);
  10. LIS-GIG (TAP no A339).

Sinceramente ao final achamos que o roteiro ficou melhor que o roteiro inicial, e já estamos mega empolgados em iniciar a viagem!

Sobre o valor das taxas, desde o início foi uma incógnita, e confesso que me atormentou bastante também, como são 10 (dez) voos em classe executiva fiquei com receio de ser um valor que inviabilizasse a viagem. Pra ser sincero temi que todo esse esforço em emitir os bilhetes fosse em vão por conta desse valor! Pra tentar me acalmar, ou me fazer desistir de vez, pesquisei alguns dos voos escolhidos pelos sites das próprias companhias (com emissão em dinheiro) e fui somando o valor das taxas cobradas nesses voos. Assim pude ter uma noção de valor e rezar para não ultrapassar muito aquilo, vez que além do valor das taxas aeroportuárias, a TAP ainda cobra € 40 euros por passageiro para emitir o bilhete!

O valor total das taxas para os destinos descritos ficou em € 650,50 por passageiro. Achei bem expressivo, porém, levando em consideração que são 10 (dez) voos no total, retirando a taxa de emissão da TAP (€ 40), restou uma média de € 61 por voo, ou seja, aproximadamente R$ 267,00 por voo.

Em resumo, minha experiência com a emissão dos bilhetes foi bastante complexa e desgastante (corroborando com o post específico do blog), tive que destinar muito do meu tempo e paciência para conseguir emitir os bilhetes, porém acredito que tenha compensado bastante, principalmente pelo lado financeiro! Levando em consideração as pesquisas que fiz para ter noção do valor das taxas, se eu estivesse comprando meus bilhetes no dinheiro certamente teria que desembolsar mais de 03 dígitos, porém, se o viajante conseguir conciliar as duas promoções indicadas pelo blog à época (compra de pontos Livelo com 40% + transferência para TAP com 100%), cada bilhete ficaria por aproximadamente R$ 10.000,00!

É isso, peço desculpas pelo tamanho do texto, mas tentei colocar o máximo de informação possível, de modo a encorajar os demais leitores a embarcar nessa aventura também.


Bom, eu nem preciso nem falar que o Filipe foi um NINJA e que mandou muito bem na emissão. Quando eu leio este tipo de relato e vejo que através do PP conseguimos proporcionar viagens como esta pra vocês – eu só tenho um sentimento que toma conta de mim – GRATIDÃO!

A propósito, o Filipe está embarcando hoje e super preparado por sinal – veja a foto que ele nos mandou. Já combinei de na volta ele passar por aqui pra contar pra gente como foi tudo!

Filipe, uma excelente viagem que você aproveite cada momento e mais uma vez quero ressaltar que quem tem que agradecer sou eu – fica aqui o meu MUITO OBRIGADO!

Viu só pessoal como nada é impossível? Com um pouco de dedicação, paciência e flexibilidade – a viagem acontece!

Se você também tem um história de sucesso e quer ter seu relato publicado aqui, siga as instruções deste post – vai ser um prazer pra nós!

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliações de voos, salas vips, hotéis, cartões de crédito e promoções.