fbpx

Países do Golfo assinam acordo de “solidariedade e estabilidade” com o Catar

Notícias

Por Equipe | Passageiro de Primeira

Após a Arábia Saudita anunciar a reabertura de suas fronteiras com o Catar, foi a vez de outros países do Golfo assinarem um acordo apelidado de “Acordo de solidariedade e estabilidade”. A decisão foi tomada em uma cúpula destinada a diminuir as tensões entre o Catar e seus vizinhos.

Catar

Os seis países do CCG (Conselho de Cooperação do Golfo), sendo eles Arábia Saudita, Bahrein, Egito, Omã, Kuwait e Catar, assinaram o pacto chamado “Declaração de Al-Ula” na presença de Jared Kushner, assessor do presidente dos EUA, Donald Trump. O conteúdo do pacto, no entanto, ainda não foi divulgado.

Este acordo coloca fim em uma disputa política traçada entre os países do Golfo e o Catar. Conforme publicamos anteriormente, a Arábia Saudita e seus aliados romperam laços políticos, comerciais e de transporte com o Catar em junho de 2017, acusando o país de apoiar radicais islâmicos e o Irã. O Catar, na época, havia negado as acusações, dizendo que o boicote dos países vizinhos visava minar sua soberania na região.


Fechamento das fronteiras na aviação

Por conta do fechamento das fronteiras, o Catar teve seu espaço aéreo limitado, o que gerou um um grande impacto para a Qatar Airways, já que a companhia aérea foi impedida de usar o espaço aéreo de países vizinhos. Em uma publicação que fizemos em julho de 2020, exemplificamos esse fechamento do espaço aéreo mostrando uma rota entre São Paulo e Doha. Veja abaixo o desvio que as aeronaves tinham que fazer para respeitar o espaço aéreo da Arábia Saudita e seus aliados:

Como pode ser visto acima, o avião dá uma volta pela Turquia, passando pelo espaço aéreo do Iraque, antes de chegar ao destino final Doha.


Corte Internacional de Justiça disse que o fechamento das fronteiras era “ilegal”

Também em julho do ano passado, os juízes da Corte Internacional de Justiça (CIJ) rejeitaram, por unanimidade, um pedido de Arábia Saudita, Barein, Egito e Emirados Árabes Unidos contra uma decisão adotada pela Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO), em 2018, a favor do Catar. O tribunal também confirmou que a ICAO tem jurisdição no espaço aéreo.

A ICAO disse, em 2018, ter competência legal para resolver um conflito a pedido do Catar, que acusa seus vizinhos de violarem um acordo que regula a liberdade de movimento de aeronaves comerciais. Os juízes do CIJ deram razão à ICAO, ao assegurar que ela “tem jurisdição” neste caso e que o pedido feito pelo Catar é “admissível”.

O governo do Catar parabenizou a decisão da CIJ, informando “que tem o direito de contestar as restrições do espaço aéreo impostas perante o órgão de aviação da ONU”. Os Emirados Árabes Unidos emitiram uma declaração prometendo continuar lutando na ICAO, dizendo que “agora apresentarão um caso jurídico à ICAO, apoiando o direito de fechar seu espaço aéreo para aeronaves do Catar”.


O primeiro passo para a reconciliação entre os países

Os sauditas e seus três aliados haviam formulado algumas condições para a retomada das relações com Doha, entre elas: o fechamento da rede de televisão Al-Jazeera, que é desprezada por muitos regimes árabes; o fim ao financiamento de grupos extremistas; ou ainda o fechamento de uma base militar da Turquia no Catar. Doha, em contrapartida, não cedeu a nenhum dos pedidos.

É esperado que os países se conversem para tentar chegar a um acordo mais concreto, com as pautas levantadas e condições ideais para ambos os lados, mas até lá, muito pode acontecer. Segundo dito pelo professor de História da universidade do Kuwait, o caminho até a reconciliação geral estará repleta de “armadilhas e interesses próprios e, provavelmente, levará a um impasse e tensões, com negociações difíceis”.

Mesmo longe do acordo de reconciliação estar 100% selado, o emir do Catar, o xeique Tamim bin Hamad Al Thani, foi recebido com sorrisos e abraços do príncipe saudita Mohammed bin Salman. Segundo apurado pela France-Presse, os dois trocaram algumas palavras enquanto caminhavam até entrar em uma limusine que os esperavam no aeroporto.

O carro rumou sentido à rodovia que separa a Arábia Saudita e o Catar e, durante o percurso, os executivos acenaram e buzinaram como um sinal de vitória. “Esperamos ver os sauditas aqui e todos os catarianos irão para a Arábia Saudita também. Seremos mais amigos do que antes”, declarou um cidadão do Catar.


Além de prejudicar a aviação, como apresentamos acima, o impasse entre os países também foi prejudicial às famílias. Isso se deve pois, com o fechamento das fronteiras, as famílias mistas, ou seja, aquelas que possuem pessoas dos países vizinhos, tiveram de ser separadas.

Com o acordo se aproximando, junto com a união dessas famílias, fica cada vez mais possível vermos voos entre os países do Golfo. Além disso, a Qatar Airways, por exemplo, poderá voltar a sobrevoar o território saudita e dos aliados em voos, sem precisar contornar a Turquia e o Iraque.

Hotéis com Desconto + Selos
Hotéis com Desconto + Selos
5% de desconto + selos no Rewards em estadias até 30 de abril de 2022!
Seguro Viagem com Desconto
Seguro Viagem com Desconto
Desconto especial no seu Seguro Viagem!
Hotéis com Desconto
Hotéis com Desconto
8% de desconto em estadias até 31 de março de 2022!
Compras com Desconto
Compras com Desconto
5% de desconto em itens vendidos e entregues pelo Magalu!
Clube de Milhas
Clube de Milhas
Receba 1.000 milhas por mês + 7.000 milhas bônus na hora!
Gerencie suas Milhas
Gerencie suas Milhas
6 meses grátis do AwardWallet Plus para novos usuários!
Ver todos os cupons

Baixe o app Passageiro de Primeira

google-play
app-store

10 anos! O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas VIP, hotéis, cartão de crédito e promoções.