fbpx

VINCI Airports entrega a 1ª etapa das obras do Aeroporto de Salvador

Notícias

Por Rafael Castro

Na última quarta-feira, 11 de dezembro, a Vinci Airports realizou a cerimônia de entrega da 1ª etapa das obras de modernização e ampliação do Aeroporto de Salvador e nós estivemos por lá conferindo tudo de perto. Além dos executivos do próprio Grupo VINCI e do Salvador Bahia Airport, estiveram presentes no evento as seguintes autoridades: o prefeito da cidade de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto, o governador da Bahia, Rui Costa, o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e eu, Dr. Aeroporto 😂.

O investimento feito pela francesa VINCI Airports gira em torno dos 700 milhões de reais e o cronograma estabelecido pelo Edital da Concessão foi rigorosamente cumprido e tudo o que estava previsto para essa 1ª etapa já havia sido concluído em 31 de outubro. “Entregar as obras dentro do prazo previsto reforça o compromisso do grupo VINCI em retribuir a confiança daqueles que nos entregaram seus aeroportos e beneficiar a população dos locais onde está de forma permanente. Os baianos agora têm a segurança de que tudo que for prometido será realizado”, afirma Julio Ribas, diretor-presidente do Salvador Bahia Airport. Ele assegura que a mesma pontualidade será mantida na entrega da segunda etapa das obras, cujo prazo é outubro de 2021.

Créditos: Will Recarey/Salvador Bahia Airport


Ampliação do Terminal

O terminal do Salvador Bahia Airport ganhou 22.000 m² de área construída, contando com a ampliação da área de embarque e com a construção do novo píer com seis pontes de acoplagem de aeronaves. Com a inauguração do píer, todos os voos internacionais passam a nessa nova área. Essas e outras melhorias permitiram o aumento da capacidade operacional do aeroporto de 10 milhões para 15 milhões de passageiros por ano, a racionalização do fluxo e a possibilidade de aumento da capacidade de processamento de passageiros durante os períodos de pico.

Créditos: Will Recarey/Salvador Bahia Airport

Em relação ao fluxo dos passageiros, algo que achei muito interessante, é que tanto os passageiros embarcando em voos domésticos quanto aqueles embarcando em voos internacionais seguem o mesmo fluxo de embarque. Há uma primeira verificação de segurança por onde todos passam e o caminho leva até a loja da DFA (falarei sobre ela mais adiante) e, em seguida, ao coração da área restrita do aeroporto: uma área que ficou super bonita onde todos os passageiros se encontram, podem descansar, comer alguma coisa nos restaurantes ou, até mesmo, fazer compras.

Próximo a esse ponto, os passageiros encontrarão também a Sala VIP que será do grupo Ambaar e atenderá tanto os voos domésticos quanto os internacionais. O Ambaar Lounge tem inauguração prevista para o início de 2020. Boa notícia para nós que adoramos um lounge, não é mesmo?

A partir desse ponto, os passageiros que embarcarão em voos internacionais seguem para o novo píer, por meio de um conector equipado com esteiras rolantes. Ao chegar no píer há uma nova inspeção de segurança e o controle de passaportes da Polícia Federal para que o passageiro possa chegar aos portões de embarque. O duty free da DFA fica após esse controle.

Eu achei esse fluxo bem interessante, pois leva em conta que ter todo um terminal internacional ou um fluxo totalmente separado para os voos internacionais em um aeroporto que, por mais que esteja em ascensão, não deve chegar a ter um número tão grande de voos inter em um futuro próximo, pode não valer tanto à pena. Seria muito mais difícil, por exemplo, atrair estabelecimentos comerciais para se instalarem numa área que abrisse somente em alguns horários do dia. Achei isso bem inteligente!

Em relação às compras, os passageiros agora têm à disposição 9.000 m² de área comercial – um aumento de 40%.  Até janeiro de 2020, terão sido inaugurados cerca de 50 estabelecimentos, entre opções de varejo, alimentação e serviços. Algumas delas, como a DFA, já estão praticando o street pricing, ou seja, a cobrança dos mesmos valores comparados a um shopping na cidade, por exemplo.


Toques Baianos pelo Terminal

Se tem algo que eu sempre comento lá no Instagram do Papo de Aeroporto é sobre a importância da regionalização no design dos aeroportos. Eu considero que um dos grandes diferenciais dos aeroportos hoje é fazer com que eu me sinta naquela cidade e não em qualquer outro lugar do mundo. Então, se eu estou no Aeroporto de Salvador, quero sentir que estou em Salvador e não em São Paulo ou no Rio!

Essa é uma super tendência nos aeroportos mundo afora. Tenho acompanhado muito esse movimento, pois esse assunto foi tema da minha tese de doutorado, inclusive. E eu fico TÃO feliz quando vejo os aeroportos incorporando as características regionais em toda a experiência do passageiro!

Lá no Salvador Bahia Airport, toda a experiência após a verificação de segurança foi remodelada. Para vocês terem uma ideia, a DFA (Duty Free Americas), uma das empresas líderes em vendas em aeroportos na América do Norte, América Latina e no Caribe, lançou um novo conceito para os 845 m² da sua loja no Aeroporto de Salvador, dividida em dois andares. A principal solicitação da administração do aeroporto foi que eles incluíssem elementos locais no design e no layout dos espaços, sem que fosse algo muito estereotipado. A DFA aceitou o desafio de trazer a Bahia para as lojas e o resultado ficou lindo!

O tempo todo se escuta ao fundo músicas de artistas baianos, a decoração traz elementos bastante sutis da Bahia, como a renda, as cordas, o casario, além da valorização dos produtos locais e regionais. Há um espaço específico da loja onde ficam somente esses produtos, como farinhas e farofas temperadas, cocadas, bananadas, souvenires, dentre muitas outras opções. Vale ressaltar que essa é a primeira loja da DFA que contou com uma flexibilização no seu design padrão.

A área comum que comentei anteriormente sendo o “coração do aeroporto”, também traz muitos elementos baianos. Usa-se a madeira como protagonista, além de cadeiras que simulam as famosas redes e bancos que mais parecem jangadas bem confortáveis para se tirar uma soneca.

Além disso, todo o caminho que leva até o novo píer celebra a Bahia! Próximo ao local onde ficará o Ambaar Lounge há um longo corredor que traz um painel de madeira lindíssimo feito pelo artista plástico Elano Passos representando o skyline de Salvador com imagens dos principais atrativos turísticos da cidade, pelas lentes do fotógrafo oficial do aeroporto, Will Recarey. As fotos de Will também estão embelezando o conector do novo píer, não nos deixando esquecer que estamos em SSA!


Mudanças Estruturais e Operacionais

Como parte do cumprimento ao Edital de Concessão, foram feitas diversas mudanças estruturais e operacionais no Aeroporto. Mudanças essas que não são visíveis aos passageiros, mas que são tão importantes quanto as demais, já que impactam diretamente na segurança das operações do aeroporto.

As duas pistas, por exemplo, foram completamente reformadas, trazendo mais segurança para as operações. A habilitação da pista auxiliar (17/35) para receber aeronaves de até 36m de envergadura, como o Boeing 737 e Airbus A320, permitiu que a mesma passasse a ser melhor aproveitada pela aviação comercial. A maior parte da frota da aviação doméstica é formada de aviões desse tamanho.

Dentre as demais mudanças, podemos mencionar: a ampliação do pátio de aeronaves em 45 mil m², a renovação das subestações de energia elétrica, a instalação de um sistema de detecção e combate a incêndio em 100% do terminal de passageiros, a implantação de um sistema de automatização das operações, entre outros.

Está sendo finalizada ainda a instalação de um novo sistema de bagagens no aeroporto, completamente automatizado, capaz de fazer leitura das tags de bagagem e redirecioná-las automaticamente para os voos. O sistema reduzirá drasticamente o número de bagagens extraviadas.


Redução dos Impactos Ambientais

Além de tudo o que estava previsto no Contrato de Concessão, muitas outras melhorias foram realizadas, principalmente no que se refere à redução de impacto ambiental. Já no primeiro ano de operação, foram construídas uma Estação de Tratamento de Efluentes com 99,5% de eficiência, que permitiu o reuso de água, e uma nova Central de Resíduos, que levou ao aumento de 33% na taxa de reciclagem.

Em busca da eficiência energética, foram instaladas lâmpadas de LED em todo o terminal, equipamentos antigos foram trocados e está em andamento a implantação da usina de energia solar. O Salvador Bahia Airport será o primeiro do país a produzir energia suficiente para prover parte significativa de sua demanda diária. Já a adoção de estratégias não agressivas para a captura de aves levou à redução de mais de 70% do número de colisões desses animais com aeronaves em 2019 na comparação com 2017, tornando o aeroporto mais seguro e preservando a biodiversidade local.


A Segunda Etapa das Obras

No dia 1º de novembro, foi iniciada a segunda etapa das obras previstas no Contrato de Concessão. Com volume de intervenções menor do que aquele registrado na primeira fase, ela contempla o acréscimo de 10 posições de check-in, a implantação de mais duas pontes de embarque e a ampliação do número canais de inspeção nas áreas doméstica e internacional.

Outras intervenções não previstas no Contrato de Concessão também continuarão em andamento, como a instalação de uma usina solar capaz de atender 100% da demanda do novo píer e a revitalização da Praça de Alimentação.


Algumas Considerações

A última vez que eu havia passado pelo Aeroporto de Salvador, tinha sido há muitos anos enquanto fazia conexão para Porto Seguro. Lembro de ter me deparado com um aeroporto muito impessoal, pouco confortável, que nada me lembrava a alegria da Bahia e muito insipiente em relação às opções comerciais e de alimentação.

Essa semana pude encontrar um aeroporto diferente, um aeroporto que respira Salvador, pronto para encantar os turistas e os moradores. Contudo, pude perceber que a grande maioria das mudanças se deu na área restrita e no lado-ar (questões estruturais e operacionais). A área pública do aeroporto sofreu poucas intervenções pelo que pude perceber. A área de check-in ainda está um tanto quanto escura e sem personalidade, bem como a praça de alimentação. A vinda do restaurante Mesa de Tereza, uma versão do famoso Casa de Tereza, foi um grande ganho para a praça.

Algo que sempre foi crítica dos passageiros é o sistema de refrigeração do aeroporto. Apesar dele ter sido totalmente renovado, senti que algumas áreas próximas aos portões de embarque ainda estavam bastante quentes, o que, muito possivelmente possa ser resolvido com alguns ajustes.

De certa forma, senti que antes de passar do raio-x estou em um aeroporto e, após o raio-x, estou em outro aeroporto, muito mais moderno e confortável. Contudo, tendo em vista todo o trabalho que já foi feito pelo Grupo VINCI, acredito que tudo isso já deva ser alvo de mudanças da equipe gestora.

Por fim, agradeço ao Salvador Bahia Airport e ao Grupo VINCI pelo convite para realizarmos essa cobertura e parabenizo a todos pelo enorme empenho depositado nesse aeroporto! Espero poder retornar em breve para acompanhar tudo de perto!


Instagram: www.instagram.com/papodeaeroporto

Blog: www.papodeaeroporto.com.br

E se você ainda não sabe quem sou eu, dá uma olhada aqui: Prazer, Dr. Aeroporto!

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.