fbpx

ITA Matrix Avançado – Dominando a Ferramenta

Guias Tutoriais

Por Dymitri Leão

Hoje iremos dar continuidade à nossa série de posts técnicos sobre o ITA Matrix, realizando algumas análises mais aprofundadas da ferramenta com este post intitulado ITA Matrix Avançado – Dominando a Ferramenta. Já havíamos lançado o nosso Guia básico do ITA Matrix, com informações valiosas para que você possa se ambientar ao maravilhoso universo do ITA Matrix. Caso você não seja familiarizado com essa ferramenta, sugerimos que você inicialmente leia o nosso guia inicial. Desta forma, você irá conseguir em seguida entender e acompanhar este guia avançado.

Iremos cobrir neste post os seguintes tópicos: Recapitulando o guia básico do ITA Matrix, Controles avançados do ITA Matrix, Códigos de roteamento (routing codes) e Códigos de extensão (extention codes).

Siga os links do índice abaixo para navegar diretamente para algum tema de interesse, caso já tenha alguma experiência com o ITA Matrix. Caso contrário, sugerimos a leitura deste post na sequência.

pular para…

  1. Recapitulando o guia básico do ITA Matrix
  2. Controles avançados do ITA Matrix
  3. Códigos de roteamento (routing codes)
  4. Códigos de extensão (extention codes)
  5. Vale a pena usar o ITA Matrix?

Recapitulando o guia básico do ITA Matrix

Conforme comentamos no nosso guia básico do ITA Matrix, é muito importante pontuar duas coisas:

  1. O ITA Matrix é uma ferramenta de busca de voos, e não de emissão de voos. Logo, qualquer voo que o ITA Matrix exibir deverá ser comprado por fora dessa ferramenta, quer seja diretamente com as cias aéreas envolvidas, quer seja com alguma agência de turismo. No nosso próximo post avançado do ITA Matrix, abordaremos a emissão dos voos encontrados com o ITA Matrix. Iremos mostrar algumas ferramentas bem interessantes para fechar com chave de ouro a nossa série de posts técnicos sobre o ITA Matrix, então não perca! 🙂
  2. Por ser uma ferramenta muito poderosa, alguns itinerários montados pelo ITA Matrix, especialmente os mais complexos, podem ser de difícil emissão até mesmo por um agente de viagens experiente. Neste post iremos abordar mais em detalhes essas questões de controles avançados do ITA Matrix.

Conforme pode ser encontrado nesse artigo da Wikipedia (em inglês), o primeiro produto da ITA Software foi um sistema de busca de preços de passagens aéreas chamado QPX. Este sistema foi e ainda é utilizado por algumas agências de viagens como CheapTickets, Kayak e Orbitz, além de cias aéreas como Alitalia, American Airlines, ANA, Delta Air Lines, United Airlines, dentre outras. A ITA Software, agora uma divisão do Google, também hospeda o seu próprio site de busca de passagens aéreas baseado no QPX, que é exatamente o foco deste guia: o ITA Matrix.

Apesar da aquisição do ITA Matrix pelo Google, a ferramenta original foi mantida nesse endereço web. Comparando o ITA Matrix com o Google Flights, contudo, podemos dizer sem sombra de dúvidas que o ITA Matrix parece o Google Flights na sua melhor versão Aviation Geek, incrementada, mais potente!

Entretanto, o ITA Matrix não é conhecido por ser uma ferramenta das mais amigáveis. Pensando nisso, o Passageiro de Primeira iniciou junto com você, caro leitor, uma jornada para explorar o funcionamento interno dessa que é uma das ferramentas de pesquisa de voos mais poderosas que existe.

No tópico abaixo iniciamos as nossas análises avançadas sobre o ITA Matrix, então preste muita atenção e tire bom proveito!


Controles avançados do ITA Matrix

Ao abrir a página do ITA Matrix, abaixo do campo de busca “Destino (Destination)” há o link “Controles avançados (Advanced controls)” Ao clicar nesse link, alguns campos adicionais irão aparecer: “Códigos de roteamento (routing codes)” e “Códigos de extensão (extention codes)”. As imagens abaixo ilustram o que acabamos de comentar.

ITA Matrix

ITA Matrix

Perceba que ao lado de cada um dos campos destacados na imagem acima, há um sinal de interrogação. Se você clicar na interrogação, será exibida uma breve explicação a respeito dos comandos que são aceitos e da sintaxe a ser utilizada, conforme ilustrado abaixo.

ITA Matrix

ITA Matrix

Conforme já mencionamos, um dos poderes do ITA Matrix é permitir que você tenha um enorme controle sobre as buscas de voos que você deseja encontrar. Os tópicos que iremos abordar a partir de agora deixarão claro para você porque o ITA Matrix é fenomenal.


Códigos de roteamento (routing codes)

De modo geral, há dois tipos de códigos que podemos inserir como códigos de roteamento, determinando conexões preferenciais e também cias aéreas preferenciais. O próprio ITA Matrix fornece uma série de exemplos para o uso de códigos de roteamento, conforme exibido abaixo.

ITA Matrix

Para entender a lista de exemplos de códigos de roteamento fornecida pelo ITA Matrix e exibida acima, é importante compreender os códigos relativos aos exemplos:

  • NYC – código IATA utilizado para buscar todos os aeroportos em Nova Iorque;
  • DEN – código IATA do aeroporto de Denver;
  • EWR – código IATA do aeroporto de Newark;
  • CVG – código IATA do aeroporto de Cincinnati;
  • SLC – código IATA do aeroporto de Salt Lake City;
  • CHI – código IATA utilizado para buscar todos os aeroportos em Chicago;
  • AA – código IATA da American Airlines;
  • UA – código IATA da United Airlines;
  • DL –  código IATA da Delta Air Lines;
  • AF – código IATA da Air France.

Para referência e uso futuro, dois bons links (em inglês) para os códigos IATA são os seguintes:

  1. Lista de códigos IATA para aeroportos, separados por letra inicial
  2. Códigos IATA para diversas categorias: Cias Aéreas, Países, Moedas, etc…

A seguir, apresentamos a lista de exemplos do ITA Matrix para códigos de roteamento, devidamente traduzida por nós.

NApenas voos diretos
NYCConexão em Nova Iorque
~NYCConexão sem ser em Nova Iorque
DEN?Voo direto para ou conexão em Denver
X?Voo direto para ou conexão em qualquer lugar
EWR CVG SLCConexões em Newark, Cincinnati e Salt Lake City
AAVoo direto com a American Airlines
AA+Qualquer quantidade de voos com a American Airlines
AA,UAVoo direto com a American Airlines ou United Airlines
~AAVoo direto exceto com a American Airlines
~AA,UA,DLVoo direto exceto com a American Airlines, United Airlines ou Delta Air Lines
~AA,UA,DL+Qualquer quantidade de voos exceto com a American Airlines, United Airlines ou Delta Air Lines
AA+ DL+Um ou mais voos com a American Airlines, seguido por um ou mais voos com a Delta Air Lines
AA DL,AFVoo com a American Airlines seguido por um voo com a Delta Air Lines ou Air France
AA UA?Voo com a American Airlines, opcionalmente seguido por um voo com a United Airlines
AA N?Voo com a American Airlines, opcionalmente seguido por um voo direto com qualquer cia aérea
AA25 UA814Voo AA25 da American Airlines, seguido pelo voo UA814 da United Airlines
AA25 UA+Voo AA25 da American Airlines, seguido por um ou mais voos com a United Airlines
AA25 F+Voo AA25 da American Airlines, seguido por um ou mais voos com qualquer cia aérea
DL CHI DLDois voos com a Delta Air Lines com conexão em Chicago
O:UAVoo único operado pela United Airlines (e não por qualquer outra cia aérea, nem mesmo subsidiárias)
~UA882Voo único, exceto o voo UA882 da United Airlines
UA1000-2000+Um ou mais voos com a United Airlines, com número de voo no intervalo de 1000 a 2000
~UA5000-9999,AA,DL+Um ou mais voos, exceto voos com a American Airlines, Delta Air Lines ou United Airlines com número de voo no intervalo de 5000 a 9999

Da tabela acima, percebemos que a combinação de quaisquer das regras de roteamento do ITA Matrix permite que o usuário tenha um controle altíssimo sobre que tipo de voos ele deseja encontrar! Vamos dar um exemplo contextualizado para o Brasil, de modo a permitir que você massifique os conceitos.

Exemplo 1 para códigos de roteamento

Utilizaremos as seguintes premissas na nossa busca:

  1. Queremos voos entre o Aeroporto Internacional de São Paulo (código IATA: GRU) e o aeroporto John Kennedy em Nova Iorque (código IATA: JFK);
  2. As cias aéreas que operam o voo direto de GRU para JFK são American Airlines, Delta Air Lines e LATAM. Vamos supor que não queremos buscar por voos da American Airlines;
  3. Com conexões, há várias outras cias aéreas que poderiam ser utilizadas. Vamos supor que não queremos voar com a Copa Airlines (código IATA: CM);
  4. Por fim, queremos o seguinte: a conexão (se houver) poderá ser feita em qualquer lugar, e queremos um ou mais voos da Jet Blue (código IATA: B6) para finalizar a nossa rota.

Vamos montar nosso código de roteamento por partes:

  • X+: conexão em qualquer lugar;
  • ~AA,CM: não queremos voos nem com a American Airlines e nem com a Copa Airlines;
  • B6+: queremos finalizar a nossa rota com um ou mais voos da Jet Blue.

Logo, nosso código de roteamento ficará da seguinte forma: “X+ ~AA,CM B6+” (digitar sem as aspas).

Você consegue perceber o padrão para montagem do código de roteamento? Nós esclarecemos: faça cada código por partes, de modo similar ao que fizemos acima. O que for relativo a um mesmo comando mas que afeta uma ou mais cias aéreas/destinos, você separa com vírgulas (como fizemos em ~AA,CM). Códigos para ações distintas e em sequência você deve separar por espaços. Por isso cada código isolado entrou na expressão final separado dos demais por um espaço.

Veja o que ocorre ao inserir o código de roteamento X+ ~AA,CM B6+ no ITA Matrix.

ITA Matrix

ITA Matrix

Todos os resultados apresentados obedecem exatamente às condições impostas no código de roteamento. Veja por exemplo os detalhes dos 2 primeiros resultados.

GRU – MIA – IAH – JFK com LATAM, United Airlines e Jet Blue

GRU – MEX – IAH – JFK com LATAM, Aeromexico e Jet Blue

Você consegue perceber o imenso poder do ITA Matrix através desse “simples” exemplo de códigos de roteamento? Será que você conseguiria montar esses mesmos roteiros de forma tão direta através de ferramentas de busca convencionais? Apenas questões para você refletir. 🙂

Regras gerais para os códigos de roteamento

Para referências futuras, listamos abaixo as regras gerais dos códigos de roteamento do ITA Matrix.

  1. As cias aéreas são representadas por seus códigos IATA de duas letras.
  2. Os aeroportos são representados por seus códigos IATA de três letras.
  3. Um voo direto (direct flight) é um voo com apenas um número de voo, embora possa ter uma ou mais decolagens e pousos. Um voo sem escalas (non-stop flight) é um voo com apenas uma decolagem e um pouso.
  4. Prefixos de cias aéreas:
    • C indica a cia aérea que vende o voo;
    • O indica a cia aérea que efetivamente opera o voo (a cia aérea operadora, cuja logomarca está no avião).

    Os códigos de cia aéreas inseridos sem prefixo significam cias aéreas que vendem o voo (ou seja, a cia aérea cujo número de voo é exibido, incluindo codeshares).

  5. F pode ser usado para identificar um número de voo específico ou como um espaço reservado, indicando um segmento de voo. Por exemplo, se você deseja fazer sua viagem em três segmentos, você deve inserir F F F.
  6. ~ indica negação e pode ser aplicado a códigos de aeroportos, códigos de cias aéreas e atributos, como voos noturnos ou conexões arriscadas.
  7. + indica um ou mais voos ou aeroportos que atendem aos critérios especificados.
  8. * indica zero ou mais voos ou aeroportos que atendem aos critérios especificados.
  9. ? indica zero ou um voo ou aeroporto que atende aos critérios especificados.
  10. Os códigos se aplicam aos segmentos de voo na ordem em que são especificados e restringem seus resultados ao número de segmentos especificados. Se você deseja que o código se aplique a mais de um segmento, adicione + ou ? ao código.
  11. Se você deseja especificar algo para um segmento de voo particular e permitir quaisquer segmentos de voo adicionais antes ou depois do segmento especificado, você deve adicionar F? antes e depois dos códigos que você especificou. Por exemplo, para garantir que você voe pelo menos um trecho da viagem na American Airlines, digite AA para restringir sua pesquisa a itinerários com exatamente um voo direto da American Airlines. Use F * AA F * para restringir sua pesquisa a itinerários com pelo menos um voo da American Airlines e alguns itinerários que podem incluir voos adicionais de qualquer companhia aérea.
  12. Os segmentos de voo são separados por espaços. Quando várias opções são aceitáveis ​​para um segmento de voo específico, separe-as com uma vírgula e tome cuidado para omitir espaços.

Baseado nas regras gerais acima, em particular nas regras 5 e 11, vamos montar mais um exemplo sobre os códigos de roteamento, mas desta vez focado em voos internacionais.

Exemplo 2 para códigos de roteamento

Utilizaremos as seguintes premissas na nossa busca:

  1. Queremos buscar voos entre o aeroporto Suvarnabhumi, em Bangkok (código IATA: BKK), e o aeroporto Schiphol, em Amsterdã (código IATA: AMS).
  2. Todos os segmentos voados devem ser em classe executiva.
  3. Queremos maximizar o número de conexões, para ter o melhor custo-benefício entre a quantidade de voos em executiva e o valor pago. Não nos importaremos com a duração total da viagem.
  4. O início da viagem deve ser realizado preferencialmente em 1º de maio de 2021, com uma janela de +- 2 dias para o início da viagem.
  5. Por fim, só aceitaremos realizar um voo direto se ele for operado pela EVA Air (código IATA: BR), cia aérea de Taiwan mas que opera o voo entre BKK e AMS devido a 5ª Liberdade do Ar (5th Freedom Flights). Por algum motivo qualquer, vamos considerar que pagaremos qualquer preço para voar com essa cia aérea taiwanesa. A EVA Air também voa de BKK para o aeroporto de Heathrow em Londres (código IATA: LHR) devido a 5ª Liberdade do Ar. Logo, aceitaremos também opções que envolvam esse voo da EVA Air com conexão em Londres.

Você não sabe o que é a 5ª Liberdade do Ar? Explicamos: de forma resumida, podemos dizer que a 5ª Liberdade do Ar é o direito que uma cia aérea possui de iniciar um voo em um país no qual ela possui de fato uma operação local, seguindo para destinos na qual ela não opera localmente e, a partir dele, continuar voando para outro país em que ela também não opera localmente. Esse é exatamente o caso da EVA Air. Essa cia aérea de Taiwan não opera nenhum voo localmente na Tailândia, na Holanda ou na Inglaterra, mas como o voo entre Taipei (código IATA: TPE) e Amsterdã faz conexão em BKK, bem como o voo entre TPE e LHR, a EVA Air possui o direito de embarcar e desembarcar passageiros tanto na Tailândia quanto na Holanda e Inglaterra, passageiros esses que podem voar apenas no voo entre BKK e AMS ou entre BKK e LHR.

Sem inserir nenhum código de roteamento na busca do ITA Matrix, os voos encontrados são os seguintes.

ITA Matrix avançado

Perceba que os primeiros voos exibidos apresentam apenas uma conexão, ou seja, são 2 voos em classe executiva. Será que conseguimos opções de voos com pelo menos 2 conexões sem aumentar muito o preço? Se sim, serão 3 voos em classe executiva ao invés de 2. O segredo está em inserir o código de roteamento F F F, conforme mencionamos anteriormente.

Logo, através de um código de roteamento simples, conseguimos achar um uma opção com 3 voos em classe executiva, voando com a Cathay Pacific até Hong Kong (código IATA: HKG) e em seguida até Amsterdã com a Finnair, com conexão em Helsinki (código IATA: HEL).

Por fim, vamos forçar o voo a ser realizado com a EVA Air entre BKK e AMS, e também entre BKK e LHR, esse último necessitando de pelo menos mais um voo para chegar a AMS.

O código de roteamento para a 1ª situação será o seguinte: “BR” (digitar sem as aspas). Isso porque BR é o código IATA da EVA Air.

Já o código de roteamento para a 2ª situação será o seguinte: “BR LHR F+“. Pelo que já haviamos explicado, BR é o código IATA da EVA Air, que deverá operar o 1º voo, seguido de uma conexão em LHR e em seguida por um ou mais voos com qualquer cia aérea (F+).

Voo direto entre BKK e AMS com a EVA Air

Voos entre BKK e AMS , forçando o primeiro voo entre BKK e LHR com a EVA Air

ITA Matrix


Códigos de extensão (extension codes)

O próprio ITA Matrix fornece uma série de exemplos para o uso de códigos de extensão, conforme exibido abaixo. Esses códigos de extensão se dividem em códigos que controlam a seleção de itinerários e códigos que controlam a tarifação das passagens aéreas.

Códigos de extensão que controlam a seleção de itinerários

Códigos de extensão que controlam a tarifação das passagens aéreas

A seguir, apresentamos as listas de exemplos do próprio ITA Matrix para códigos de extensão, devidamente traduzidas por nós.

Códigos de extensão que controlam a seleção de itinerários

SINTAXEEXEMPLOSIGNIFICADO
-CODESHARE-CODESHAREProíbe a exibição de voos em codeshares
MAXSTOPS nMAXSTOPS 2Impõe limite ao número de conexões
MAXDUR hh:mmMAXDUR 6:45Impõe limite à duração de voo
MAXMILES nMAXMILES 2900Especifica o máximo de milhas (1 milha = 1,609 Km) a serem voadas
MINMILES nMINMILES 2600Especifica o mínimo de milhas (1 milha = 1,609 Km) a serem voadas
MINCONNECT hh:mmMINCONNECT 1:00Especifica o tempo mínimo de conexão
MAXCONNECT hh:mmMAXCONNECT 2:00Especifica o tempo máximo de conexão
ALLIANCE código|código|…ALLIANCE star-alliancePermite apenas voos de determinada(s) aliança(s) aérea(s). Os diferentes nomes suportados (oneworld, skyteam, e star-alliance) devem ser separados por uma barra vertical
-AIRLINES código1 código2 …-AIRLINES AA BAProíbe voos de determinadas cias aéreas
AIRLINES código1 código2 …AIRLINES BA AFPermite voos de apenas algumas cias aéreas
OPAIRLINES código1 código2 …OPAIRLINES AAPermite apenas voos operados por algumas cias aéreas (não importa se o voo é codeshare)
-OPAIRLINES código1 código2 …-OPAIRLINES AAProíbe voos operados por algumas cias aéreas (não importa se o voo é codeshare)
-CITIES código1 código2 …-CITIES DFW ORDProíbe conexões em determinadas cidades
-REDEYES-REDEYESProíbe voos noturnos
-OVERNIGHTS-OVERNIGHTSProíbe conexões noturnas
-PROPS-PROPSProíbe voos em aeronaves movidas a hélices
-NOFIRSTCLASS-NOFIRSTCLASSTodos os voos devem ter cabine de primeira classe

Códigos de extensão que controlam a tarifação das passagens aéreas

SINTAXEEXEMPLOSIGNIFICADO
+CABIN código1 código2 …+CABIN 1Obriga que a reserva seja feita nas classes de cabine especificadas. Os códigos a serem utilizados são os seguintes: Primeira Classe → 1; Executiva → 2; Premium Economypremium-coach; Econômica → 3.
-CABIN código1 código2 …-CABIN 3Proíbe a reserva em classes de cabine específicas. Os código para as cabines são os mesmos do comando +CABIN acima.
F BC=códigoF bc=yPermite o uso de tarifas com o código de reserva principal especificado. Observação: a classe de reserva real usada pode ser diferente devido a ser substituída pela tabela de exceção do código de reserva da operadora.
F BC=código|BC=código|…F bc=y|bc=bEspecifica que as tarifas usam um dos vários códigos de reserva principais (por exemplo, reserve na classe Y ou B). Veja nota no item acima.
cia.cidade1+cidade2.farebasisEspecifica quais tarifas usar. Várias especificações de tarifas alternativas podem ser separadas por uma barra vertical. Veja abaixo exemplos específicos.
CC.AAA+BBB.FFFFFFF aa.lon+chi.yupEspecifica a operadora, o mercado (par de cidades) e o código de base da tarifa das tarifas a serem usadas (por exemplo, apenas tarifas AA LON-CHI YUP ou seja, American Airlines, Londres a Chicago, tarifa Y-UP, que é a tarifa de classe econômica que permite upgrade de cabine).
..FFFFFFF ..yup|..fEspecifica o código da tarifa (mas não a transportadora ou o mercado) a ser usada (por exemplo, tarifas Y-UP ou F em qualquer companhia aérea e entre quaisquer pares de cidades).
.AAA+BBB.F .lon+chi.Especifica o mercado (par de cidades) para as tarifas (por exemplo, use apenas LON-CHI nas tarifas, ou seja, Londres a Chicago).
CC..FFFFFFF aa..yup|aa..fEspecifica a operadora e o código básico da tarifa, mas não o mercado (por exemplo, use as tarifas Y-UP ou F na American Airlines (AA) para qualquer par de cidades)
..F-F ..y-|..b-Especifica a base tarifária usando “caracteres curinga” (por exemplo, use apenas bases tarifárias que comecem com Y ou B).

Achou tudo muito complicado? Calma que nós iremos explicar os principais códigos de extensão e com exemplos contextualizados! 🙂 Como dissemos várias vezes desde o nosso Guia básico do ITA Matrix, essa ferramenta é complexa e pouco amigável, mas através dos nossos guias buscamos descomplicar o uso para que você, leitor do Passageiro de Primeira, possa extrair do ITA Matrix os melhores resultados! Reforçamos que para se tornar um usuário avançado do ITA Matrix, será necessário que você invista várias horas de aprendizado. Além disso, várias buscas sucessivas deverão ser realizadas utilizando vários códigos diferentes, de acordo com a ocasião. Entretanto, adiantamos que se tornar um usuário avançado do ITA Matrix trará inúmeros benefícios para você no futuro, compensando e muito o tempo investido no seu aprendizado!

À primeira vista, você percebe que há sobreposição entre os códigos de extensão e os códigos de roteamento que discutimos anteriormente. Um dos exemplos dados pelo ITA Matrix para os códigos de extensão é AIRLINES BA AF, que permite voos apenas da British Airways ou Air France. Utilizando códigos de roteamento, é possível obter o mesmo resultado utilizando AA,AF+ como código de roteamento.

Alguns do principais códigos de extensão são MINCONNECT e MAXCONNECT. Se por exemplo você deseja forçar uma conexão noturna no seu itinerário, usar um código de extensão como MINCONNECT 22:00 (impondo um limite mínimo de 22 horas de conexão) pode resolver a demanda.

De forma semelhante, o uso do código de extensão MAXCONNECT pode evitar uma parada noturna ou eliminar paradas pouco produtivas e de poucas horas nos destinos de conexões.

Apesar de não estar listado como código de extensão nos próprios exemplos do ITA Matrix, é possível especificar a aeronave desejada em cada voo. Basta usar o código de extensão no formato AIRCRAFT t:xyz, em que xyz representa o código IATA de cada aeronave. Por exemplo, se você fizer questão de voar em algum A380, o código de extensão a ser utilizado é AIRCRAFT t:380.

Outro truque bacana é usar o código de extensão MAXDUR hh: mm, que é utilizado para especificar a duração total da viagem, incluindo as conexões!

Vamos montar dois exemplos que utilizam alguns dos códigos de extensão que citamos acima, para que você possa massificar os conceitos exibidos.

Exemplo 1 para códigos de extensão

Vamos estabelecer algumas premissas para o nosso 1º exemplo para códigos de extensão:

  1. Queremos buscar um voo só de ida do aeroporto John Kennedy em Nova Iorque (código IATA: JFK) para o aeroporto de Santo Domingo (código IATA: SDQ) em algum dia de maio de 2021. Não nos importamos de viajar até 160,90 Km (100 milhas, pois 1 milha = 1,609 Km) distante da origem ou destino principais, desde que exista um voo mais barato.
  2. Para minimizar eventuais transtornos, não queremos mais de uma conexão ao longo da viagem. Essa eventual conexão não deve durar mais de três horas, para evitar longas esperas para o próximo voo, mesmo que haja alguma sala vip disponível no aeroporto de conexão.
  3. Suponha que você tenha status na United Airlines e na American Airlines, então você deseja voar apenas com essas cias aéreas para aproveitar os benefícios do seus status.

Primeiramente, inserimos “JFK” como origem e “SDQ” como destino (digitar sem as aspas), selecionando o calendário de tarifas mais baixas e inserindo 1º de maio de 2021 como o início do período de um mês (para realizar a busca em todas as datas de maio de 2021).

Em seguida, utilizando o link “Nearby” ao lado dos campos de origem e destino para selecionar todos os aeroportos em um raio de 160,90 Km de ambos, o que equivale a 100 milhas (100 miles).

ITA Matrix avançado

Para forçar a eventual conexão a ser de no máximo três horas, devemos inserir o código de extensão “MAXCONNECT 03:00” (digitar sem as aspas). Já para forçar que sejam exibidos apenas voos da United Airlines e American Airlines, podemos usar o código de extensão “AIRLINES UA AA” (digitar sem as aspas).

Para que o código de extensão seja montado corretamente, os dois comando acima devem ser separados por um ponto e vírgula, ou seja, o código de extensão final deve ser: “MAXCONNECT 03:00; AIRLINES UA AA” (digitar sem as aspas).

Para a quantidade de conexões, escolhemos a opção “Até 1 parada / Sem paradas extras (Up to 1 stop / No extra stops)”. Também desmarcamos a opção “Permitir mudanças de aeroporto (Allow aiport changes)”, uma vez que não queremos mudar de aeroporto durante a nossa eventual parada.

A tela de busca ficará da forma exibida abaixo.

A primeira tela de resultado exibe o calendário do mês de maio de 2021 com os valores mais baixos para cada dia.

Ao selecionar por exemplo o dia 02 de maio de 2021, os primeiros voos encontrados são os exibidos abaixo.

Perceba que com o uso dos nossos códigos de extensão, como um usuário avançado do ITA Matrix, conseguimos filtrar as cias aéreas dos voos, além de ter encontrado que as opções mais baratas são para Punta Cana (código IATA: PUJ) ao invés de Santo Domingo. Além disso, para o caso da United Airlines, encontramos voos saindo do aeroporto de Newark (código IATA: EWR) ao invés de JFK. Essas mudanças de aeroportos de origem e destino satisfazem uma das nossas premissas de flexibilidade dos aeroportos, então os resultados exibidos são válidos para nós.

Exemplo 2 para códigos de extensão

A Emirates introduziu no final de 2017 um novo conceito de Primeira Classe, no qual as suítes tem portas do teto ao chão, além de diversas novas comodidades como assento com sensação de gravidade zero, cromoterapia, binóculos, janela virtual, entre outros.

A Emirates diz que essa nova cabine é um “Game Changer”, ou seja, uma “mudança de jogo”. De fato, a cabine é excepcional!

Atualmente, essa nova cabine de Primeira Classe está disponível apenas nas aeronaves B77W da Emirates em algumas rotas específicas, por exemplo na rota entre Dubai (código IATA: DXB) e Frankfurt (código IATA: FRA). Em situações normais pré-pandemia da COVID-19, a Emirates (código IATA: EK) operava voos nessa rota entre DXB e FRA tanto com o B77W quanto com o A380. Para filtrar os resultados apenas para a “Game Changer“, podemos utilizar o seguinte código de extensão composto: “AIRLINES EK; AIRCRAFT t:77W” (digitar sem as aspas).

Abaixo exibimos um dos resultados da busca feita com os parâmetros especificados anteriormente.

Obviamente, esses 2 exemplos que nós demos são apenas alguns dentre a infinidade de combinações possíveis entre os códigos de extensão existentes no ITA Matrix, utilizados por um usuário avançado. É por isso que não cansamos de elogiar o ITA Matrix e dizer quão poderosa essa ferramenta é! Use a sua criatividade e teste mais alguns exemplos.  Somente através do uso contínuo do ITA Matrix você se tornará um usuário avançado nessa ferramenta fantástica 🙂


Vale a pena usar o ITA Matrix?

Ao final deste guia avançado sobre o ITA Matrix, nós do Passageiro de Primeira esperamos que você tenha se familiarizado com vários comandos avançados dessa que é, sem dúvidas, uma das ferramentas mais interessantes, sofisticadas e poderosas que existem para a busca de voos com tarifas pagantes. Portanto, vale a pena sim utilizar o ITA Matrix, e muito, ainda mais se você se tornar um usuário avançado nessa ferramenta! Ressaltamos novamente que se você deseja fazer emissões de passagens com milhas aéreas, a ferramenta adequada para você é na verdade o ExpertFlyer.

A confecção deste guia avançado do ITA Matrix teve por objetivo ser rico em detalhes para que você possa dominar o ITA Matrix como um usuário avançado! Se você não está familiarizado com o ITA Matrix, recomendamos a leitura do nosso Guia básico do ITA Matrix, para que em seguida você possa iniciar os seus estudos avançados do ITA Matrix, com a ajuda deste guia avançado que lançamos neste post.

Sugerimos também a leitura do nosso Guia básico do ExpertFlyer, que apresenta essa outra fantástica ferramenta indispensável para todos nós Aviation Geeks!

Você já se considerava um usuário avançado do ITA Matrix? Você já utilizava essa ferramenta ou tudo que apresentamos hoje foi inédito para você? Utilize a seção de comentários abaixo e enriqueça este post com a sua experiência utilizando o ITA Matrix como um usuário avançado.

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.