fbpx

Conseguindo upgrade cortesia para a nova executiva da LATAM – Leitor de Primeira

Notícias

Por Equipe | Passageiro de Primeira

No quadro #LeitorDePrimeira de hoje vamos compartilhar a história do Leonardo Porpino. Ele já realizou diversas viagens aproveitando as dicas do site e a última delas foi para voar na nova classe executiva da LATAM.

Confira o relato do Leonardo!


Prezados,

Acredito que sempre fui fascinado por aviação.

A casa em que cresci – e moro até hoje – fica na “curta final” de aproximação para pouso no aeroporto de Macapá-AP. Toda vez que o avião passava em cima de casa, eu e meu irmão, saímos correndo para ver qual era (na infância era a Varig ou VASP, as regionais Penta e Taba e a internacional, Surinam Airways). Um avião que me chamou muita atenção foi o sucatão da presidência com o seu barulho ensurdecedor, quando o presidente FHC esteve em Macapá, em 199….

Minha primeira viagem internacional foi em 2006, com 16 anos, para os EUA, numa excursão. Fui todo empolgado achando que iria voar em um “avião grande”. A rota foi MCP-BEL-MAO-MIA. Na escala em Manaus veio a decepção, o trecho MAO-MIA seria operado por um A320 da TAM.

Anos depois, em 2009, quando fui fazer intercâmbio no Canadá, que finalmente voei em um “avião grande”, 777-300 da Air Canada, foi o máximo, apesar de ser em econômica.

Depois dessa viagem, fiz outras, todas em classe econômica, na TAM (767 pré-histórico que pertencia a Alitalia e hoje está na Boliviana de Aviacion, A330).

Já acompanhava o PP quando fiz a primeira viagem em classe executiva. Foi em 2014, na extinta rota da Air France, Brasília – Paris. Cheguei cedo ao aeroporto e, no check-in, perguntei se era possível fazer upgrade (pagante) e a atendente gentilmente disse que havia disponibilidade, pelo preço de R$1.200,00 por passageiro. Lembrando que comprei a passagem em classe econômica para mim e minha então namorada – hoje, esposa – por R$2.225,00 ida e volta, cada. Foi um baita negócio. A poltrona do 777-200 era a tobogã (lie-flat), mas para a primeira vez, foi demais! Champagne, castanhas, foie gras, carpaccio de salmão, etc. Chegamos em Paris super dispostos, deixamos as malas no hotel e passamos o dia passeando.

Como diz o Fábio: “once you turn left, you will never go back”.

Desde então comecei a me interessar pelo mundo das milhas e pontos, pois acho a tarifa normal da executiva inviável e porque nem todas as companhias aceitam upgrade pagante, por um preço justo.

Viajando por pontos e milhas já rodei o mundo e experimentei a classe executiva da Copa Airlines (737-800), Air France (777-300ER – Flatbed), Latam (767, A350 e a nova executiva do 777-300, objeto do presente relato), Qatar Airways (A350 e 777-200LR – Qsuite), Etihad (A380), Cathay (A350-900/1000), Iberia (A330).

No caso da Iberia, aproveitei a promoção noticiada pelo PP, na qual tínhamos que comprar 10 passagens para ganhar 90.000 avios.

Outra promoção que vi no PP foi em novembro/2017, o Km de vantagem estava com um lote promocional onde era possível comprar 100.000 pontos Multiplus por R$2.590,00. Comprei e esperei a oportunidade, até que em janeiro/2018, recém chegado de férias na Tailândia (emitida com pontos) comecei a procurar onde passaria o Réveillon de 2018 para 2019 e achei uma passagem Brisbane – Hong Kong – Madrid – São Paulo, o primeiro trecho operado pela Cathay Pacific, no A350-900, o segundo também pela Cathay, no então “recém-nascido” A350-1000, e o terceiro trecho pela Latam, no A350-900.

Já em abril/2019, emiti a passagem Belém – Miami – Belém, para voar em agosto/2019, no bendito A320 da Latam (melhor isso do que não ter a rota, né?!), com 40.000 pontos Multiplus, ida e volta, sem poder usar os cupons do meu fidelidade platinum porque o avião não tem classe executiva.

Acompanhei com entusiasmo a saga do Fábio e do Alê para experimentar a nova executiva do 777 da Latam, imaginando que não voaria nela tão cedo porque minha mulher está grávida de 6 meses e as próximas viagens que iremos fazer já será com a neném para destinos próximos da nossa cidade, Macapá-AP.

Realizamos a viagem que emitimos com os Avios em junho/2019, fizemos Rio de Janeiro – Madri, na Ibéria e de Madri fomos para as Maldivas, via Doha na Qatar. Durante a conexão compramos o carrinho de bebê da nossa filha em Doha e o vendedor disse que não dava para adaptar o bebê conforto no carrinho.

Após muita pesquisa descobrimos que o carrinho de bebê aceita o bebê conforto, basta comprar um adaptador. O único detalhe é que a marca que compramos não vende no Brasil e nem nos EUA, mas vende na Europa e Oriente Médio. Se eu estava procurando um motivo para viajar e usar os meus cupons, encontrei.

Voando na nova Executiva da LATAM

Monitorei a rota GRU-MAD no ExpertFlyer e lá estava o PT-MUD, com a nova classe executiva, escalado para cumprir a referida rota.

Como tinha zerado a minha conta Multiplus na emissão para fazer o enxoval da minha filha nos EUA e, afim de maximizar os pontos, me cadastrei no clube Multiplus de 10.000 pontos, transferi os pontos do cartão e ganhei o bônus de 30% na transferência. Assim emiti, em classe econômica, GRU-MAD-GRU, por 84.600 pontos Multiplus.

Fiz o check-in assim que abriu e me qualifiquei para o upgrade utilizando os cupons.

Aproveitei a escala em Belém na volta de Miami, chequei o e-mail e vi que tinha conseguido o upgrade, desci no mesmo dia para São Paulo para pegar o voo para Madri, na nova executiva da Latam.

Uma breve visita na sala vip para um lanche rápido e um revigorante banho.

Ao entrar no avião, a amplitude e a privacidade da nova classe executiva impressionam.

A Latam, por ocasião do upgrade, me deu o assento 1L, no bulkhead. Ao chegar no assento, estava disponível o amenity kit, fone de ouvido, uma garrafa de água, travesseiro, cobertor e futon.

Vi os meus “vizinhos” forrando o assento com o futon e resolvi colocar por conta própria, antes da decolagem. Quanta diferença! O conforto do assento aumenta consideravelmente.

Ainda em solo foi oferecido champanhe ou água de côco e castanhas. Escolhi o champanhe. As castanhas vieram úmidas, geladas e meio mole, deu a impressão que estavam guardadas numa geladeira.

Logo após a decolagem, foi dado início ao jantar, começou com um caldo. Logo após veio a bandeja com a entrada, prato principal e sobremesa, tudo junto. Recusei a entrada de salmão e escolhi a carne como prato principal. Ponto perfeito, harmonizou muito bem com o vinho indicado no cardápio.

Detalhe: acho que a Latam ouviu o PP e colocou os pães num recipiente próprio, não ficam mais soltos na bandeja.

Após boas horas de sono, quase chegando em Madri, foi servido o café da manhã e – pasmem! – os pães estavam numa sacolinha. Ao abrir a sacolinha, mais uma surpresa, um pão de queijo, um croissant e um pão.

Infelizmente os pães não estavam fresquinhos, estavam adormecidos, mais um pouco iria esfarelar. Por outro lado, o omelete estava saboroso.

Pouso e desembarque tranquilos em Madri e agora estou indo buscar o bebê conforto da minha filha em Amsterdam, onde passo um dia e volto para Madri, na tentativa de conseguir mais um upgrade para voar na nova classe executiva do 777-300.

Abraços e bons voos!


Comentário

Mais um #NinjaDetected, ele monitorou a aeronave com a nova executiva pelo ExpertFlyer, juntou os pontos para emitir as passagens em econômica, foi ligeiro ao realizar o check-insolicitou upgrade cortesia da LATAM e conseguiu estar entre os primeiros a experimentarem a nova executiva da companhia!

Parabéns Leonardo pela emissão! Que venham muitas outras pela frente!

Se você tem um história de sucesso e quer ter seu relato publicado aqui, siga as instruções deste post – será um prazer para nós!


confira também:

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.