fbpx

Como montar um status run na LATAM com a ajuda do ITA Matrix

Guias Notícias Programas de fidelidade

Por Dymitri Leão

Você sabe o que é um status run ou um mileage run? Basicamente, em tradução literal, poderíamos definir como uma verdadeira “corrida” em busca de um status ou, em outras palavras: é uma sequência de voos realizada por alguém, com o objetivo de conseguir um determinado status numa cia aérea em particular. No post de hoje, iremos te mostrar um raciocínio sobre como utilizar o ITA Matrix para montar um status run, de modo a obter o status Black Signature no LATAM Pass, que é o status mais alto no programa de fidelidade da LATAM.

status run latam

Ter status em uma cia aérea é sempre bom, pois há diversos benefícios atrelados. Se você é um viajante frequente na LATAM e deseja obter os status mais altos do programa de fidelidade LATAM Pass, a boa notícia é que você pode aproveitar a redução significativa nas exigências para upgrade de status,que ainda está em vigor. Logo, está mais simples, rápido e sobretudo barato atingir esses status mais altos do LATAM Pass. Explicaremos em detalhes como você pode utilizar o ITA Matrix para ajudá-lo a encontrar as melhores opções de voos. Dessa forma, o seu status run ou mileage run na LATAM será otimizado.

 pular para…

  1. Os status no LATAM Pass
    1.1 Pontos qualificáveis
    1.2 Trechos qualificáveis
    1.3 Requisitos para upgrade de status no LATAM Pass
    1.4 Benefícios dos status no LATAM Pass
  2. A lógica e as premissas para montar um status run na LATAM
  3. Uso do ITA Matrix para montar o status run na LATAM
    3.1 Códigos de roteamento e extensão no ITA Matrix
    3.2 Opções de origem e destino com seus respectivos códigos IATA
    3.3 Montando o status run na LATAM através de buscas no ITA Matrix
    3.4 Custos estimados para o status run na LATAM
  4. Vale a pena fazer um status run na LATAM?

1. Os status no LATAM Pass

O LATAM Pass possui 6 status: LATAM, Gold, Gold Plus, Platinum, Black e Black Signature. Ao se cadastrar no LATAM Pass, você inicia no status LATAM e há certos requisitos para subir de status. Antes de exibirmos um resumo dos status e dos requisitos atuais para subir de status no LATAM Pass, precisamos explicar dois conceitos fundamentais: pontos qualificáveis e trechos qualificáveis.

1.1 Pontos qualificáveis

Pontos qualificáveis, como o próprio nome já sugere, são os pontos que qualificam um membro do LATAM Pass a conseguir um upgrade de status no programa. Esse pontos são calculados a partir do valor gasto na compra da passagem, descontando as taxas, impostos e serviços adicionais.

O acúmulo de pontos qualificáveis é possível ao voar com a LATAM Airlines e cias aéreas parceiras, ou através de um cartão de crédito LATAM Pass Itaucard. Quanto mais pontos qualificáveis você acumular, maior será a sua chance de conseguir um upgrade no seu status, conforme descreveremos mais adiante neste post.

A quantidade de pontos qualificáveis acumulados a cada voo depende do valor da passagem (em dólares ou reais, conforme explicaremos a seguir), descontando taxas, impostos e outros serviços adicionais. O valor é então multiplicado por um fator, que varia conforme o voo seja nacional ou internacional:

  • Para voos nacionais, basta multiplicar o valor em reais da passagem (sem as taxas, impostos e serviços adicionais) por 2,5 e conferir quantos pontos qualificáveis serão creditados na sua conta do LATAM Pass.
  • Para voos internacionais, basta multiplicar o valor em dólares da passagem (sem as taxas, impostos e serviços adicionais) por 6 e conferir quantos pontos qualificáveis serão creditados na sua conta do LATAM Pass.

Exemplos práticos

  • Se você comprar uma passagem de São Paulo até Orlando que custe US$400 + taxas, a quantidade de pontos qualificáveis que você irá acumular é de 2.400 pontos (6 x 400).
  • Se você comprar uma passagem de Recife até Fernando de Noronha que custe R$800 + taxas, a quantidade de pontos qualificáveis que você irá acumular é de 2.000 pontos (2,5 x 800).

Os pontos qualificáveis são utilizados exclusivamente para upgrades de status no LATAM Pass, não servindo, portanto, para resgates de passagens aéreas no LATAM Pass.

De janeiro até março de 2021 os pontos qualificáveis obtidos através de voos serão contabilizados em dobro. Para maiores detalhes, leia esse nosso post.

1.2 Trechos qualificáveis

Os trechos qualificáveis são aqueles voados com a LATAM. Existe uma distinção entre voos com conexões e voos com escalas:

  • Se um voo da LATAM possui conexões (há troca de avião), cada um dos trechos voados será contabilizado como um trecho qualificável.
  • Se um voo da LATAM possui apenas escalas (não há troca de avião), apenas um trecho qualificável será contabilizado.

É muito importante observar que trechos qualificáveis voados nas cabines Premium Economy e Premium Business serão contabilizados em dobro. Já os trechos voados com tarifas PROMO não contam para qualificação.

Exemplo: Se pegarmos um voo de Brasília para Paris, com uma escala em São Paulo e uma conexão em Madrid, serão contabilizados 2 trechos qualificáveis (Voo 1 e Voo 2), conforme ilustrado na figura abaixo.

Basearemos nosso status run na LATAM utilizando voos nas cabines Premium Economy, para poder contabilizar em dobro os trechos qualificáveis.

1.3 Requisitos para upgrade de status no LATAM Pass

É válido ressaltar que os requisitos abaixo estão reduzidos em relação ao que usualmente é solicitado. Os valores exibidos a seguir serão válidos até 31 de dezembro de 2021, salvo prorrogação a critério do LATAM Pass.

Status LATAM

Status Gold

  • Para se tornar um cliente com status Gold, você deverá acumular a partir de 7.000 pontos qualificáveis, ou voar pelo menos 10 trechos qualificáveis, de 1º de janeiro a 31 de dezembro de cada ano;
  • Para efeitos de upgrade de status através de pontos qualificáveis, pelo menos 5.600 pontos qualificáveis devem ser obtidos em voos operados ou comercializados pela LATAM. No máximo 2.000 pontos qualificáveis em voos comercializados e operados por cias aéreas parceiras serão considerados.

Status Gold Plus

  • Para se tornar um cliente com status Gold Plus, você deverá acumular a partir de 11.900 pontos qualificáveis, ou voar pelo menos 14 trechos qualificáveis, de 1º de janeiro a 31 de dezembro de cada ano;
  • Para efeitos de upgrade de status através de pontos qualificáveis, pelo menos 9.520 pontos qualificáveis devem ser obtidos em voos operados ou comercializados pela LATAM. No máximo 3.400 pontos qualificáveis em voos comercializados e operados por cias aéreas parceiras serão considerados.

Status Platinum

  • Para se tornar um cliente com status Platinum, você deverá acumular a partir de 19.600 pontos qualificáveis, ou voar pelo menos 21 trechos qualificáveis, de 1º de janeiro a 31 de dezembro de cada ano;
  • Para efeitos de upgrade de status através de pontos qualificáveis, pelo menos 15.680 pontos qualificáveis devem ser obtidos em voos operados ou comercializados pela LATAM. No máximo 5.600 pontos qualificáveis em voos comercializados e operados por cias aéreas parceiras serão considerados.

Status Black

  • Para se tornar um cliente com status Black, você deverá acumular a partir de 56.000 pontos qualificáveis, ou voar pelo menos 56 trechos qualificáveis, de 1º de janeiro a 31 de dezembro de cada ano;
  • Para efeitos de upgrade de status através de pontos qualificáveis, pelo menos 44.800 pontos qualificáveis devem ser obtidos em voos operados ou comercializados pela LATAM. No máximo 16.000 pontos qualificáveis em voos comercializados e operados por cias aéreas parceiras serão considerados.

Black Signature

  • Para se tornar um cliente com status Black Signature, você deverá acumular a partir de 112.000 pontos qualificáveis, ou voar pelo menos 84 trechos qualificáveis, de 1º de janeiro a 31 de dezembro de cada ano;
  • Para efeitos de upgrade de status através de pontos qualificáveis, pelo menos 112.000 pontos qualificáveis devem ser obtidos em voos operados ou comercializados pela LATAM.

1.4 Benefícios dos status no LATAM Pass

“Afinal de contas, por quê alguém faria um status run na LATAM para conseguir um status mais elevado no LATAM Pass? Apenas por ego?”, você pode se questionar. Respondemos: para usufruir dos benefícios, que para os status mais altos são muito generosos! Vamos mostrar neste subtópico os principais benefícios dos status no LATAM Pass a partir do Gold.

Obviamente, nem todo cliente do LATAM Pass tem o perfil para os status mais altos do programa. Com essa afirmação, queremos dizer pura e simplesmente que os benefícios dos status mais altos são plenamente aproveitados se o cliente voa muito com a LATAM, inclusive para o exterior. Ou seja, se você voa muito pouco com a LATAM durante o ano e costuma apenas realizar voos domésticos, provavelmente os status mais altos do LATAM Pass serão de pouca utilidade para você.

Os principais benefícios de cada um dos status do LATAM Pass estão expostos a seguir.

Status Gold

  • Upgrade de cabine: 2 cupons para o titular e acompanhantes;
  • Check-in preferencial em todos os voos;
  • Bagagem despachada adicional em voos da LATAM dentro do Brasil.

Status Gold Plus

  • Upgrade de cabine: 4 cupons para o titular e acompanhantes;
  • Check-in e embarque preferenciais em todos os voos;
  • Alteração gratuita de voo para o mesmo dia, em viagens com origem e destino final dentro do Brasil.

Status Platinum

  • Upgrade de cabine: 6 cupons para o titular e acompanhantes;
  • Acessos à sala VIP LATAM;
  • Bagagem despachada adicional em todos os voos da LATAM;
  • Alteração e/ou cancelamento de reservas sem custo.

Status Black

  • Upgrade de cabine ilimitado;
  • Suporte preferencial;
  • Assento LATAM+ em todos os voos da LATAM para o titular e acompanhante;
  • Alteração e/ou cancelamento de reservas sem custo.

Black Signature

  • Upgrade de cabine ilimitado e prioritário;
  • 6 cupons de upgrade para acompanhante;
  • Alteração e/ou cancelamento de reservas sem custo;
  • Special Services LATAM.

Perceba que destacamos em negrito 4 benefícios excepcionais dos status Platinum, Black e Black Signature! Poder comprar uma passagem em classe econômica e ter a oportunidade de receber um upgrade para a classe executiva de forma ilimitada é algo fantástico e de valor agregado altíssimo! Obviamente, os upgrades só serão concedidos mediante disponibilidade e há uma fila de prioridades a ser cumprida, mas sendo um cliente com status Black ou Black Signature, as chances de conseguir os upgrades aumentam consideravelmente.

Além disso, poder alterar e/ou cancelar reservas sem custo traz uma flexibilidade enorme para o planejamento de viagens, pois imprevistos sempre podem acontecer, não é mesmo?! Esse benefício está disponível a partir do status Platinum no LATAM Pass.

No caso específico do status Black Signature, há ainda o exclusivo serviço denominado special services. Trata-se de um serviço da LATAM cujo diferencial é o acompanhamento do cliente no aeroporto, durante a partida e chegada em voos internacionais. Há um canal de atendimento personalizado, que pode inclusive ser feito através do WhatsApp, por exemplo.

No aeroporto, basicamente alguém te acompanha da chegada ao check-in até a sala vip, e de lá para o embarque. Já no desembarque, uma pessoa te busca na porta do avião, te acompanha na imigração e se certifica de que sua bagagem chegou. Em caso de qualquer problema, a pessoa pró-ativamente resolve a situação. Esse é um serviço muito bom que a LATAM oferece aos seus clientes com o status mais elevado no LATAM Pass, o Black Signature.


2. A lógica e as premissas para montar um status run na LATAM

Do exposto no tópico anterior, fica claro que obter os status mais elevados do LATAM Pass pelo critério de pontos qualificáveis é uma tarefa bastante onerosa e inviável, pelo menos para a imensa maioria dos clientes do LATAM Pass. Afinal de contas, para obter por exemplo o status Black Signature, que é o status mais elevado do LATAM Pass, são necessários pelo menos 112.000 pontos qualificáveis, obtidos através de voos na LATAM. Isso representa, usualmente, os seguintes valores gastos com passagens aéreas (excluídas taxas, impostos e serviços adicionais):

  • Voos nacionais com a LATAM: R$44.800,00 (112.000 / 2,5);
  • Voos internacionais com a LATAM: US$18.666,67 (112.000 / 6).

Conforme comentamos anteriormente, de janeiro até março de 2021 os pontos qualificáveis obtidos através de voos serão contabilizados em dobro. Para maiores detalhes, leia esse nosso post. Dessa forma, se você obtiver pontos qualificáveis apenas nesse período de janeiro a março de 2021, os seguintes valores gastos com passagens aéreas devem ser gastos para obter o status Black Signature (excluídas taxas, impostos e serviços adicionais):

  • Voos nacionais com a LATAM: R$22.400,00 (112.000 / 2,5 / 2);
  • Voos internacionais com a LATAM: US$9.333,33 (112.000 / 6 / 2).

O critério de trechos qualificáveis, por outro lado, é muito mais interessante e facilita a obtenção até mesmo do status Black Signature, principalmente agora que ainda está em vigor uma redução significativa nas exigências para upgrade de status.

Logo, na montagem do status run da LATAM, vamos priorizar voos que nos permitam acumular o máximo de trechos qualificáveis da forma mais rápida possível. Dessa forma, a nossa lógica de montagem deverá obedecer as seguintes premissas:

  • Iremos buscar apenas voos na classe Premium Economy, para dobrar a contagem dos nossos trechos qualificáveis;
  • Nossos voos devem ter preferencialmente 2 conexões, contabilizando assim 6 trechos qualificáveis por voo (2 x 3 trechos qualificáveis);
  • Preferencialmente, a cada dia do status run nós tentaremos realizar 2 voos com 2 conexões cada um, totalizando 12 trechos qualificáveis por dia (2 x 2 x 3 trechos qualificáveis);
  • Se for preciso, iremos dormir em cidades diferentes a cada noite, para reiniciar a sequência de voos do dia seguinte de forma otimizada. Isso adiciona um custo ao status run, pois devem ser contabilizados gastos com hospedagem e transporte até os hotéis, o que varia de cidade para cidade e de pessoa para pessoa. Iremos nos ater aos gastos com os voos.

3. Uso do ITA Matrix para montar o status run na LATAM

O ITA Matrix é, sem dúvidas, uma das ferramentas mais interessantes, sofisticadas e poderosas que existem para a busca de voos com tarifas pagantes. Por isso, iremos utilizá-lo para nos auxiliar a montar e otimizar o status run na LATAM.

Iremos utilizar apenas 4 comandos avançados do ITA Matrix, devidamente explicados. Entretanto, se você não está habituado com o ITA Matrix, ou até mesmo não conhece a ferramenta, também recomendamos fortemente a leitura dos nossos guias do ITA Matrix:

3.1 Códigos de roteamento e extensão no ITA Matrix

Conforme ensinamos no nosso guia avançado do ITA Matrix, podemos controlar algumas características de roteamento e classes tarifárias para otimizar as buscas por voos de interesse. A seguir, vamos elencar quais comandos utilizaremos para montar o status run na LATAM:

  • código de roteamento: “F F F” (sem as aspas), para forçar que os voos tenham 2 conexões, ou seja, que iremos voar 3 trechos;
  • código de extensão: “AIRLINES LA” (sem as aspas), para forçar que os voos sejam operados pela LATAM (código IATA: LA);
  • código de extensão: “+CABIN premium-coach” (sem as aspas), para forçar que os voos sejam em cabines Premium Economy;
  • código de extensão: “MINCONNECT 1:00” (sem aspas), para forçar que as conexões sejam de pelo menos 1 hora.

O último código de extensão é muito importante, pois de nada adianta encontrarmos voos com conexão menor do que 1 hora. Numa condição dessas, a chance de perder o voo de conexão seria altíssima, o que iria gerar um impacto em cascata no prosseguimento do status run. É melhor ser conservador e realista com esse tempo mínimo de conexão, não acham? 😉

Para montar o código de extensão final, devemos separar os códigos individuais com ponto-e-vírgula:

AIRLINES LA; +CABIN premium-coach; MINCONNECT 1:00” (sem as aspas).

3.2 Opções de origem e destino com seus respectivos códigos IATA

Agora vamos comentar a respeito dos aeroportos de origem e destino dos voos…. Como escolher? Aqui nós temos um dilema e algumas opções:

  • podemos escolher o aeroporto mais próximo da nossa casa (na nossa cidade ou não) e todo dia fazer uma ida e volta para alguns destinos, tentando preferencialmente dormir em casa;
  • podemos escolher uma cidade específica como base, longe da nossa casa, e a partir dela ir e voltar todo dia para alguns destinos, dormindo todos os dias nessa cidade base;
  • podemos a cada dia dormir em uma cidade diferente, alternando as origens e destinos dos voos sempre que isso for vantajoso financeiramente.

Perceba que em qualquer uma das 3 situações acima, você terá gastos com alimentação e deslocamento desde e para os aeroportos. A diferença primordial entre elas é que na 1ª opção você não terá gastos com hospedagem. Feita essa ressalva, vamos “colocar a mão na massa”!

Supondo que não temos nenhuma preferência para a cidade em que o status run se iniciará, vamos selecionar alguns aeroportos em que a LATAM opera, em todas as regiões do Brasil:

Região Norte

  • Manaus (código IATA: MAO);
  • Belém (código IATA: BEL).

Região Nordeste

  • Teresina (código IATA: THE);
  • Fortaleza (código IATA: FOR);
  • Natal (código IATA: NAT);
  • Recife (código IATA: REC);
  • João Pessoa (código IATA: JPA);
  • Salvador (código IATA: SSA);
  • Aracaju (código IATA: AJU).

Região Centro-Oeste

  • Brasília (código IATA: BSB);
  • Goiânia (código IATA: GYN);
  • Campo Grande (código IATA: CGR);
  • Cuiabá (código IATA: CGB).

Região Sudeste

  • São Paulo – Todos os aeroportos (código IATA: SAO);
  • Rio de Janeiro – Todos os aeroportos (código IATA: RIO);
  • Vitória (código IATA: VIX);
  • Belo Horizonte (código IATA: CNF);
  • Uberlândia (código IATA: UDI).

Região Sul

  • Curitiba (código IATA: CWB);
  • Porto Alegre (código IATA: POA);
  • Foz do Iguaçu (código IATA: IGU);
  • Florianópolis (código IATA: FLN).

Logo, a lista de aeroportos que elencamos acima irá se transformar no seguinte código, a ser inserido nos campos de busca do ITA Matrix:

MAO, BEL, THE, FOR, NAT, REC, JPA, SSA, AJU, BSB, GYN, CGR, CGB, SAO, RIO, VIX, CNF, UDI, CWB, POA, IGU, FLN

3.3 Montando o status run na LATAM através de buscas no ITA Matrix

A imagem a seguir ilustra como devemos realizar o preenchimento da tela do ITA Matrix. A busca será feita para voos de 1º de abril até 1º de maio.

Vejamos o resultado dessa busca na imagem a seguir.

status run latam

Perceba que há várias datas em que o ITA Matrix indica uma tarifa de R$246. Vamos por exemplo selecionar o dia 10 de abril de 2021.

Através dos nossos códigos de roteamento e extensão do ITA Matrix, conseguimos na data de escrita desse post encontrar um voo do Rio de Janeiro para Curitiba com as seguintes características:

  • Todos os trechos voados são em cabine Premium Economy;
  • O voo possui 2 conexões de pelo menos 1h cada uma.

Conforme já explicamos, esse voo contabiliza 6 trechos qualificáveis (2 x 3 trechos), pois trechos voados em cabines Premium Economy contabilizam em dobro! O preço também está convidativo: R$245,96.

Perceba que esse voo chega a Curitiba às 15:05, então a partir desse ponto teremos 2 opções para o nosso exemplo hipotético:

  1. Procurar um voo que saia de Curitiba para qualquer destino do Brasil preferencialmente após às 16:05 do dia 10 de abril de 2021, para conseguirmos fazer mais voos no mesmo dia.
  2. Dormir em Curitiba no dia 10 de abril de 2021 e seguir viagem apenas no dia 11 abril, se isso for vantajoso de alguma forma.

Seguindo a opção número 1, temos o seguinte cenário:

Busca por voos saindo de Curitiba no dia 10 de abril de 2021

Único voo viável no dia 10 de abril de 2021 saindo de Curitiba, pois o 1º voo chegou às 15:05.

Logo, seguindo a opção número 1, vamos iniciar e terminar nosso 1º dia de status run no Rio de Janeiro, conseguindo acumular 12 trechos qualificáveis (2 x 2 x 3) no total, com um custo de R$ 597,02 (R$245,96 + R$351,06). Nesse caso, como a origem e o destino foram o Rio de Janeiro, vale a pena verificar quanto custa uma passagem de ida e volta na mesma emissão, pois às vezes o preço será menor. Não foi o caso das buscas feitas no momento de escrita deste post, contudo.

Ao buscarmos voos saindo do Rio de Janeiro no dia 11 de abril de 2021, para qualquer um dos destinos que escolhemos inicialmente, encontramos como mais barato o voo exposto abaixo.

Logo, adicionamos mais 6 trechos qualificáveis na nossa conta, só que agora com um gasto menor: R$285,06. Em resumo, até agora temos as seguintes contas para a opção número 1:

  • 18 trechos qualificáveis (12 + 6);
  • R$882,08 (R$597,02 + R$285,06) investidos;
  • Média de investimento por trecho qualificável: R$49,00 (R$882,08 / 18) por trecho qualificável.

Vamos ver o que acontece se nós optarmos por seguir a opção número 2, anteriormente descrita. Nessa opção, ao buscarmos voos saindo de Curitiba no dia 11 de abril em qualquer horário e para qualquer destino dentre os que selecionamos inicialmente, encontramos como voo mais barato o exposto a seguir.

Perceba que apesar de mais barato do que o voo saindo do Rio de Janeiro nesse mesmo dia, essa opção faz com que nós cheguemos ao destino apenas às 20:00, ou seja, não poderemos aproveitar esse dia para tentar encaixar mais voos.

Adicionaremos mais 6 trechos qualificáveis na nossa conta da opção número 2. Em resumo, até agora temos as seguintes contas para a opção número 2:

  • 12 trechos qualificáveis (6 + 6);
  • R$491,92 (R$245,96 + R$245,96) investidos;
  • Média de investimento por trecho qualificável: R$40,99 (R$491,92 / 12) por trecho qualificável.

Das análises acima, podemos realizar as seguintes conclusões:

  • O cenário de desenvolvimento do status run na opção número 1 é mais rápido do que na opção número 2, pois estamos optando por encaixar mais voos por dia. Em compensação, o custo por trecho qualificável está maior na opção 1 do que na opção número 2: R$49,00 versus R$40,99.
  • Apesar do cenário número 2 apresentar até então o custo mais baixo por trecho qualificável, como ele é mais lento, ocasionará mais gastos com hospedagem. Esse fator tem que ser avaliado no seu custo final.

Que opção seguir? A resposta é: depende! Depende por exemplo da sua vontade e/ou disponibilidade de voar mais vezes por dia, do tempo em que você planeja concluir o status run, etc… Entretanto, agora você já sabe analisar e montar os voos com o auxílio fundamental do ITA Matrix, não é verdade?!

3.4 Custos estimados para o status run na LATAM

Vamos relembrar quantos trechos qualificáveis são necessários atualmente para atingir cada um dos 3 maiores status no LATAM Pass, que são os mais interessantes em termos de benefícios:

  • Platinum: 21 trechos qualificáveis;
  • Black: 56 trechos qualificáveis;
  • Black Signature: 84 trechos qualificáveis.

Utilizando a técnica de montagem do status run acima, desconsiderando gastos com hotéis, alimentação e deslocamentos, achamos um padrão de preço na opção número 2 que tende a R$40,99 por trecho qualificável. Logo, conseguindo manter esse padrão de preço até o final do status run na LATAM, os investimentos para se obter cada um dos 3 maiores status são os seguintes:

  • Platinum: R$860,79 (21 x R$40,99);
  • Black: R$2.295,44 (56 x R$40,99);
  • Black Signature: R$3.443,16 (84 x R$40,99).

4. Vale a pena realizar um status run na LATAM?

Nas condições atuais sim, vale a pena realizar um status run na LATAM, desde que você seja um viajante frequente na LATAM e possa extrair de fato um alto valor agregado dos benefícios dos status.

Lembre-se de que o LATAM Pass possui uma política de soft landing, ou seja: a queda de status ocorre de forma gradual e ano após ano. Uma vez que com o status run proposto é possível obter o status Black Signature até março de 2023, isso significa que o cliente será Black até março de 2024 e Platinum até 2025. Todos esses status podem ser obtidos com investimentos próximos a R$ 3.500 conforme exemplificamos, o que é um valor muito bom!

Você já fez ou pensa em fazer um status run na LATAM? Você já conhecia os comandos do ITA Matrix que mostramos nesse post? Conte para nós na seção de comentários abaixo.

Para aprender mais a respeito da ferramenta que utilizamos para montar o status run, que é o ITA Matrix, recomendamos a leitura dos nossos guias do ITA Matrix:

Para emitir as passagens encontradas com a ajuda do ITA Matrix e realizar o seu status run na LATAM, dê preferência ao próprio site da LATAM para otimizar os seus custos, evitando pagar taxas de emissão desnecessárias.

Baixe o app Passageiro de Primeira

google-play
app-store

10 anos! O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas VIP, hotéis, cartão de crédito e promoções.