fbpx

Esqueci o Certificado Internacional de Vacinação e sobrei no aeroporto – Perrengues de Primeira

Notícias Perrengue de Primeira

Por Lorenzo Firmino

Hoje no quadro Perrengues de Primeira vamos compartilhar a história da Sônia, que esqueceu o Certificado Internacional de Vacinação (CIVP) e passou por um verdadeiro perrengue ao “sobrar no aeroporto” e deixar de embarcar com o marido e amigos para as Ilhas Galápagos.


Perrengue de Primeira

Há muito tempo meu marido queria conhecer o Arquipélago de Galápagos. Em 2017, para aproveitar o feriado de finados, resolvemos em 2 semanas com mais dois casais que seria uma boa data e dias suficientes: reservamos os voos, hotéis e passeios. Tudo no meio de muito trabalho acumulado, porque tínhamos acabado de chegar de uma outra viagem.

O voo da Avianca saia às 06:55 horas de Guarulhos com destino a Quito com uma escala em Lima. Como moramos em Campinas saímos de casa as 03:00 horas para chegar com folga no aeroporto. Meu marido sempre que saímos de viagem, quando sento no carro, ele repete o check-list: trouxemos o cartão de crédito? Dinheiro? Passaporte? Reservas? Eu disse sim a todos os itens e fomos para o aeroporto.

Só que para entrar no Equador precisa da vacina de febre amarela, que já tínhamos tomado e tínhamos o certificado, mas como meu marido estava trabalhando muito, pouco participou da organização da viagem e não sabia da necessidade da carteira de vacinação! E eu não lembrei… quando estávamos entrando na Marginal Tietê já em São Paulo eu lembrei que havia esquecido de pegar as carteiras. Primeira crise de pânico!

Não dava mais tempo de voltar para Campinas e chegar em tempo para o embarque… fomos para o aeroporto na esperança que pudéssemos embarcar sem as carteiras… mas é lógico que não conseguimos. Segunda crise de pânico!

Liguei para meu filho que estava em Campinas, dormindo, na casa dele, pedi que fosse até nossa casa pegasse a carteira e nos trouxesse. Ele disse que não tinha a menor ideia como era esse documento… para facilitar eu disse onde estava a caixa onde deveriam estar as carteiras, que ele trouxesse as caixas e estaria tudo resolvido.

Ele chegou em Guarulhos faltando 15 minutos para fechar o check-in. Peguei a caixa com os documentos do meu marido e achei a carteira. Peguei a minha caixa e a carteira não estava la… terceira crise de pânico! Eu não acreditava que aquilo estava acontecendo! Onde estava essa carteira?

A única saída que pensamos na hora foi meu marido embarcar, levando a minha mala, eu voltaria para Campinas para procurar a carteira e voltaria para o aeroporto e ver que voo teria para chegar em Quito.

Havia um voo da Avianca às 09:00 horas para Bogotá. Tínhamos que ser rápidos! Poderia ir com esse voo e depois uma conexão para Quito. Meu filho e eu viemos para Campinas e no caminho já liguei para meu agente de viagem que havia emitido o bilhete para pedir que ele olhasse se havia vaga no voo para Bogotá e foi quando ele me avisou que era só eu ir no balcão da Anvisa, falar o meu número do CPF que eles emitiriam outra carteira. Como não sabíamos disso?

Mas nessa altura, já estávamos chegando em Campinas, e achei minha carteira sobre o móvel no meu quarto, eu havia tirado da caixa para fazer uma foto, porque um dos casais que ia viajar conosco não sabia como era a carteira de vacinação e tirei a foto e não devolvi na caixa, e muito menos coloquei junto com meus documentos!

Enfim peguei a carteira e junto com meu filho “super piloto” voltamos para o aeroporto. No caminho havia uma obra na rodovia dos Bandeirantes e ficamos parados por 10 minutos. Quarta crise de pânico! Chegamos em Guarulhos 5 minutos após fechar o check-in da Avianca do voo para Bogotá! Quinta crise de pânico! Como iria para Quito naquele dia? Pela Avianca só havia voo no dia seguinte.

A única opção que encontramos foi comprar uma passagem da LATAM para Bogotá às 16:00 horas e a Avianca remarcou o trecho que era Lima/Quito para Bogotá/Quito. Meu marido e os dois casais chegaram em Quito às 13 horas e eu só fui chegar às 22 horas.

Foi muito difícil para meu marido embarcar sem mim, mas o que o convenceu foi que pensamos que para acomodar uma pessoa em um outro voo seria muito mais fácil do que duas e ele levar minha mala fez muita diferença porque não tive que pegar mala em Bogotá, fui direto para o portão de embarque.

Do aeroporto de Bogotá consegui avisá-lo do meu horário de chegada em Quito e ele conseguiu ir me buscar no aeroporto. Apesar de todas as crises de pânico, no dia seguinte, a viagem correu como havíamos programado e foi muito boa.

Fica o aprendizado que a Anvisa pode emitir segunda via através do número do CPF. Em Guarulhos há um posto da agência que abre às 08:00 horas e teria evitado o sufoco de ir e voltar para Campinas.

Foi mesmo um perrengue!


Comentário

Um perrengue cheio de crises de pânico mas pra lá de educacional, não é mesmo?

Neste link você pode visualizar a relação completa de postos da Anvisa/unidades emissoras do CIVP. Lembre-se, entretanto:

  1. Que além da emissão física do Certificado, é possível emiti-lo de forma online. O processo leva poucos minutos e o documento é enviado por e-mail em até 10 dias úteis. Veja o passo a passo;
  2. Se você emitiu seu Certificado Internacional de Vacinação em outro país, você não conseguirá pedir a 2ª via em postos da Anvisa (é necessário solicitar um novo).

Alguém já passou por experiência parecida a da Sônia e “sobrou no aeroporto” por ter esquecido o Certificado Internacional de Vacinação? 🤔


☞ confira relatos já publicados:

Se você quer ter sua história aqui, siga as instruções deste post.

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.