fbpx

Justiça dos EUA nega empréstimo de US$ 2,45 bilhões à LATAM

Notícias

Por Alexandre Zylberstajn

A Justiça americana negou o financiamento que a LATAM planejava receber de acionistas e investidores. A companhia, que está em recuperação judicial nos EUA desde maio, havia negociado empréstimos de US$ 2,45 bilhões com a Oaktree Capital Management, com a Qatar Airways e com as famílias acionistas Cueto (chilena) e Amaro (brasileira).

Na decisão o juiz James Garrity Jr, da corte de falência de Nova York, não concordou com o mecanismo de conversão de ações para pagamento do empréstimo à Qatar e às famílias.

Pelo acordo fechado entre o grupo e os acionistas, as famílias e a Qatar concederiam um financiamento de até US$ 1,15 bilhão e seriam pagas em ações, com um desconto de 20% no preço desses papéis.

Como a empresa fez uma única solicitação para a aprovação desse financiamento e do que seria concedido pela Oaktree, o juiz negou todo o pedido, que inclui o empréstimo de US$ 1,3 bilhão da empresa americana.

O magistrado afirmou ainda que o debate sobre o mecanismo de conversão de ações deveria ocorrer no âmbito do plano de recuperação judicial e que questões entre a empresa e os acionistas não podem ser tratadas de forma confidencial, pois podem prejudicar outros credores. A decisão do juiz atende justamente pedido de outros credores da companhia aérea.

Apesar da decisão, a LATAM ainda pode recorrer. O negócio foi feito no modelo DIP, em que o credor que concede o financiamento tem prioridade de receber perante outros.


E agora?

Se este caminho para levantar capital realmente não der certo, a LATAM terá de buscar novas alternativas!

Lembrando que a empresa está se reorganizando e ajustando seu tamanho frente a crise. Ninguém consegue ter certeza absoluta do que vai acontecer. A empresa pode sair ou não dessa situação. No passado, muitas outras conseguiram (American Airlines, Delta, United), inclusive com a ajuda dos seus programas de fidelidade.

Se você acredita nisso, não há necessidade de fazer algo sem estratégia. Isso pode trazer desvalorização para seus pontos já que, como sempre defendemos por aqui, o melhor uso esta na emissão das passagens!

Por outro lado, caso você NÃO acredite na recuperação da empresa ou não esteja disposto a “pagar para ver” e queira garantir, mesmo que não optimizada, um valor AGORA para seus pontos, a sugestão é que faça seu resgate com inteligência, nós demos alguns exemplos nesta postagem.

Promoções agressivas tem acontecido com mais frequência, e caso você opte por participar, faça consciente dos riscos envolvidos.

O momento exige nossa atenção e a estratégia “Earn and Burn” para transferências de pontos do cartão de crédito para o LATAM Pass ganha ainda mais força!


Com informações do jornal O Estado de S. Paulo

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.