fbpx

O adeus da Qantas ao Boeing 747

Notícias

Por Dérek Arakaki

Fim de uma era para a Qantas! Hoje (22) o último Boeing 747 da companhia realiza seu voo final. O 747-400, de matrícula VH-OEJ, partiu de Sydney às 14h (horário local) com uma numeração especial, QF7474, encerrando cinco décadas de momentos históricos para a Qantas e a aviação na Austrália. A companhia compartilhou um pouco mais da história dos seus 747.


A Rainha dos Céus da Qantas

A Qantas recebeu seu primeiro 747 (série -200) em agosto de 1971, no mesmo ano em que William McMahon se tornou Primeiro Ministro, o primeiro McDonalds foi aberto na Austrália e a música Eagle Rock, de Daddy Cool, liderava as paradas musicais. Sua chegada – e sua economia – possibilitaram viagens internacionais para milhões de pessoas pela primeira vez.

A frota de 747 não só transportou gerações de australianos em suas primeiras aventuras no exterior, como também ofereceu uma viagem segura para centenas de milhares de famílias imigrantes que voaram para iniciar uma nova vida na Austrália.

O 747 da Qantas esteve na vanguarda de vários marcos importantes para a companhia, incluindo a primeira cabine da Classe Executiva de qualquer aérea do mundo.

Seu tamanho, alcance e confiabilidade permitiram que eles fossem usados ​​em inúmeras missões de resgate: um voo recorde com 674 passageiros de Darwin, após o ciclone Tracy; evacuar australianos do Cairo durante distúrbios políticos em 2011 e levar suprimentos médicos e trazer turistas das Maldivas e Sri Lanka para casa, após o tsunami em dezembro de 2004.

As últimas missões de resgate do 747 foram para trazer centenas de australianos para casa, que estavam no epicentro da COVID-19 na cidade de Wuhan, em fevereiro deste ano.

A Qantas teve que antecipar em seis meses a aposentadoria da sua frota de 747, após a pandemia do COVID-19 dizimar as viagens internacionais em todo o mundo.

A companhia operou seis tipos diferentes de 747, a medida que a Boeing aumentava o tamanho, alcance e capacidade da aeronave ao longo dos anos, com o advento de novas tecnologias e tipos de motores.


A comandante do voo de despedida

A primeira mulher a ser piloto da Qantas, Sharelle Quinn, comandará o voo final e disse que a aeronave tem um lugar muito especial no coração, não apenas da equipe da Qantas, mas também dos entusiastas da aviação e dos viajantes.

“Eu voei com esta aeronave por 36 anos e foi um privilégio absoluto”.

“Do papa às estrelas pop, nossos 747 transportaram mais de 250 milhões de pessoas com segurança para seus destinos. Ao longo das décadas, eles também voaram em várias ocasiões para salvar australianos isolados longe de casa”.

“Foi uma parte maravilhosa da nossa história, uma aeronave verdadeiramente inovadora e, embora estamos tristes, é hora de passar o bastão para a próxima geração de aeronaves, que são muito mais eficientes.”


Desenho especial nos céus da Austrália

O voo final do 747 está realizando um transporte de carga para Los Angeles, antes do seguir para o seu destino final, em Mojave.

Após partir de Sydney, a aeronave realizou um sobrevoo nas praias do porto de Sydney e subúrbios do norte e leste, bem como um sobrevoo no Museu HARS (Albion Park), onde se despediu do primeiro 747-400 da Qantas , VH-OJA, que está preservado lá.

A Qantas ainda desenhou o seu icônico símbolo, o canguru, nos céus australianos, antes de seguir rumo aos EUA.

Para acompanhar o voo em tempo real, clique aqui.


O que diz o CEO da Qantas

O CEO da Qantas, Alan Joyce, disse que o 747 mudou a aviação australiana e inaugurou uma nova era de tarifas mais baixas e voos diretos.

“É difícil exagerar o impacto que o 747 teve na aviação e em um país tão distante quanto a Austrália. Ele substituiu o 707, que já havia sido um avanço, mas não tinha o tamanho e a escala para reduzir as tarifas aéreas, como o 747. Isso colocou as viagens internacionais ao alcance do australiano e as pessoas aproveitaram essa oportunidade”.

“Esta aeronave estava bem à frente de seu tempo e era extremamente capacitada. Engenheiros e tripulantes adoravam trabalhar nelas e pilotos adoravam pilotar elas. Os passageiros também. Elas conquistaram um lugar muito especial na história da aviação e sei que farão falta para muitas pessoas, inclusive eu”.

“O tempo ultrapassou o 747 e agora temos aeronaves em nossa frota muito mais eficientes em termos de combustível, com alcance ainda melhor, como o 787 Dreamliner que usamos na rota Perth-Londres e, esperemos que em pouco tempo, o Airbus A350 para nossos voos do Project Sunrise, com operações diretas para Nova York e Londres”.


Imagens do 747 da Qantas

Separamos abaixo algumas fotos históricas do Boeing 747 da Qantas.

  • O primeiro 747 da Qantas (VH-EBA), chamado City of Canberra

  • Upper Deck Lounge da Qantas na década de 70

  • Primeiro voo sem paradas de Londres para Sydney, em 1989

  • Nos anos 90, a Qantas realizou pinturas indígenas em três modelos do 747, como parte de sua campanha Flying Art. O The Nalanji Dreaming (frente) feito na aeronave VH-EBU, e o Wunala Dreaming (atrás) feito nos modelos VH-OJB e VH-OEJ.

  • O primeiro 747 na fábrica da Boeing em Everett em 1968, com a tripulação representando todas as companhias aéreas com pedidos feitos da aeronave.

  • O primeiro 747 da Qantas, VH-EBA, em um voo inicial de testes em Seattle, em 1971.

  • A rainha depois de chegar em um 747 da Qantas para iniciar o Royal Tour of Australia de 1992.


Curiosidades do 747 da Qantas

  • O primeiro 747-238 da Qantas foi o VH-EBA, chamado City of Canberra, e o primeiro voo realizado foi em 17 de setembro de 1971, de Sydney para Singapura (via Melbourne), transportando 55 passageiros na Primeira Classe e 239 na econômica.
  • Em quase 50 anos de serviço, a frota de aeronaves Boeing 747 da Qantas voou mais de 3,6 bilhões de quilômetros, o equivalente a 4.700 viagens de ida e volta à Lua ou 90.000 voltas ao mundo.
  • A Qantas operou um total de 65 aeronaves 747, incluindo as aeronaves 747-100, 747-200, 747-SP, 747-300, 747-400 e 747-400ER e cada uma delas possuía características específicas.
  • O 747-SP foi o primeiro modelo do 747 que permitiu operações sem escala no Pacífico em 1984, o que significava que os viajantes não precisavam mais ficar “pulando” pelo Pacífico e podiam voar da Austrália para a costa oeste dos EUA sem paradas. O 747-400, operado pela Qantas desde 1989, permitiu alcanças as cidades da costa oeste dos EUA em voos diretos e as capitais europeias com apenas uma parada.
  • Em 1979, a Qantas se tornou a primeira companhia aérea do mundo a operar uma frota apenas com Boeing 747.
  • O 747 também bateu recordes, inclusive em 1989, quando a tripulação da Qantas realizou o primeiro voo sem paradas de Londres para Sydney, em uma operação de 20 horas e nove minutos. Esse recorde de trinta anos só foi quebrado em 2019, quando a Qantas operou com um 787 Dreamliner de Londres até Sydney em 19 horas e 19 minutos.
  • Os modelos 747-200, -300 e -400 da Qantas possuíam capacidade para um quinto motor, algo que foi amplamente utilizado no início das operações com o 747-200. A confiabilidade aprimorada do motor do 747-400 e 747-400ER tornou essa opção redundante.

10 momentos históricos do 747 da Qantas

A companhia também divulgou alguns momentos históricos da sua frota de 747.


Comentário

Triste ver mais uma companhia se despedindo da Rainha dos Céus! A crise atingiu em cheio o setor da aviação, antecipando o plano de aposentadoria de frotas de muitas aéreas pelo mundo.

Lembrando que a British Airways anunciou a aposentadoria antecipada de seus 747, a KLM divulgou uma carta de uma comissária se despedindo do modelo e a Virgin também aposentou de vez seus 747. Ou seja, voar no 747 vem ficando cada fez mais restrito. Para os brasileiros, ainda temos a Lufthansa que segue utilizando o modelo entre São Paulo e Frankfurt.

Você já esteve a bordo do 747 da Qantas? Como foi sua experiência?

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.