fbpx

Pontos LATAM Pass: vale a pena comprar agora?

Notícias

Por Alexandre Zylberstajn

Hoje a LATAM (18/julho)54 começou a vender pontos de seu programa de fidelidade com o desconto mais agressivo dos últimos tempos: 70%! Tentador, não? Para muitos, dado o cenário a aviação mundial e da LATAM, a resposta é simples e direta, para outros, nem tanto.

O post é bastante longo e detalhado, vamos esmiuçar tudo que você precisa saber para decidir se vale a pena comprar pontos LATAM Pass durante a crise do coronavírus com 70% de desconto. Apesar da compra pontos potencialmente ser muito vantajosa, em tempos de coronavírus essa decisão deve ser feita ainda com mais cuidado para não se arrepender depois. Vamos lá!


1 – Como está a sua condição financeira?

Como o Lorenzo escreveu no início da crise, as promoções agressivas começaram. A American Airlines ofereceu o maior bônus de sua historia na compra de milhas. Algumas empresas brasileiras aumentaram o limite na compra de pontos para 1 milhão de uma só vez. Diversas cias estão vendendo passagens domésticas e internacionais por preços super baratos, inclusive por pontos. A disponibilidades de bilhetes prêmio em Classe Executiva e Primeira Classe por milhas está ficando cada vez melhor e dependendo da extensão da crise, pode permanecer assim por um bom tempo.

O cenário é muito tentador para comprar milhas e aproveitar as promoções, exceto por um detalhe. Estamos mergulhando numa crise econômica e dependendo da sua condição financeira, compra de pontos deve ficar para um segundo plano.

A avaliação da compra nunca deve ser feita por impulso. Avalie se seu perfil financeiro permite gastar dinheiro com milhas no atual cenário.


2 – A situação da LATAM é sólida?

Ainda que sua situação financeira seja boa e te permita comprar milhas neste momento, a da empresa vendedora pode não ser. O setor de viagens está entre os mais afetados e ainda é cedo para saber quem conseguirá atravessar essa crise.

Os governos de alguns países já indicaram que vão oferecer ajuda para o setor e isso é positivo. No Brasil, o governo adotou algumas medidas, dentre elas:

  • Extensão do prazo que as companhias possuem para efetuar o reembolso do valor das passagens aos consumidores – 12 meses;
  • Postergação das tarifas aeroportuárias (por meio de um decreto);
  • Postergação das outorgas dos aeroportos concedidos (uma vez que a receita dos aeroportos também caiu muito).

O governo ressaltou que está à disposição com linhas de crédito de bancos públicos, para apoiar com liquidez neste momento de crise. Todas essas medidas ajudam no caixa da empresas e dão mais conforto para enfrentar a crise.

No dia 26 de maio a  LATAM Airlines e suas afiliadas no Chile, Peru, Colômbia, Equador e nos Estados Unidos entraram com um pedido de reorganização e reestruturação voluntária de sua dívida com base no processo de reorganização financeira do Capítulo 11 dos EUA.

Adicionalmente, a LATAM Brasil informou que no dia 09/julho, passou a integrar o processo de reorganização e reestruturação voluntária sob a proteção do Capítulo 11 da lei dos Estados Unidos, a fim de reestruturar seus passivos financeiros e administrar de maneira eficiente sua frota local. Neste post explicando o que é o Chapter 11.

O futuro da LATAM

A empresa está se reorganizando e ajustando seu tamanho frente a crise. Ninguém consegue ter certeza absoluta do que vai acontecer. A empresa pode sair ou não dessa situação. No passado, muitas outras conseguiram (American Airlines, Delta, United), inclusive com a ajuda dos seus programas de fidelidade.

Se você acredita que a empresa vá se recuperar e que as consequências serão pequenas, a compra de pontos neste patamar de desconto pode ser uma boa oportunidade.

Por outro lado, caso você NÃO acredite na recuperação da empresa ou não esteja disposto a “pagar para ver”, pare por aqui. Essa promoção não é para você.

Eu, Ale, acredito na recuperação da empresa.


3 – O que vou fazer com os pontos LATAM Pass comprados?

Uma vez feitas as duas análises acima, certifique-se de que você tem a resposta da pergunta a seguir na ponta da língua: para que exatamente estou comprando esses pontos? Por mais atrativa que a oferta possa ser, uma compra sem propósito de uso pode ser um erro. Não faça por impulso!

Assim, ainda que não queira utilizar de imediato os pontos que irá receber, tente pelo menos definir qual o propósito da compra: “Emitir uma passagem para a Europa ou para os Estados Unidos fora da alta temporada” seria um exemplo. Isso ajudará a definir tanto a quantidade quanto em que programa vale acumular. Quanto mais alternativas, melhor! Flexibilidade é chave no mundo dos pontos e milhas.

Considere que muitas rotas podem ser afetadas após a situação do coronavírus melhorar e até mesmo o fechamento de fronteiras, que pode durar por muitos mais meses.

Não acho prudente um usuário inexperiente comprar pontos para o longo prazo.


4 – Qual a disponibilidade para o resgate que desejo?

Antes de efetuar a compra ou transferência de milhas, verifique se o resgate desejado oferece boa disponibilidade (caso já tenha uma emissão específica como objetivo).

Em caso de passagens aéreas, lembre-se: a disponibilidade por pontos é diferente da oferta de passagens pagantes.. Tenha também em mente que alguns programas permitem o resgate até o último assento disponível. No caso da LATAM, essa possibilidade está descartada por hora.

É também muito importante entender o que é a precificação dinâmica ou flexível nos programas de fidelidade é imprescindível. A LATAM usa o modelo de precificação dinâmica e nós fizemos uma postagem explicando em detalhe o funcionamento (clique aqui para ler).

Para facilitar, vejam os exemplos abaixo retirados do site da LATAM hoje! Os valores em reais abaixo consideram o custo da passagem caso você compre todos pontos para emissão na oferta de 70% de desconto (sem taxas):

  • Exemplo de emissão com a Delta

São Paulo (GRU) x Nova York (JFK)
Custo: 42.000 pontos
Custo em real: R$882

São Paulo (GRU) x Atlanta (ATL)
Custo: 42.000 pontos
Custo em real: R$882

São Paulo (GRU) x Vancouver (YVR)
Custo: 42.000 pontos
Custo em real: R$882

São Paulo (GRU) x Honolulu (HNL)
Custo: 42.000 pontos
Custo em real: R$882

  • Exemplo de emissão com a Lufthansa

São Paulo (GRU) x Frankfurt (FRA)
Custo: 67.200 pontos
Custo em real: R$1.306,20

  • Exemplo de emissão com a Iberia

São Paulo (GRU) x Madri (MAD)
Custo: 67.200 pontos
Custo em real: R$1.306,20

  • Exemplo de emissão com a própria LATAM

São Paulo (GRU) x Santiago (SCL)
Custo: 11.100 pontos
Custo em real: R$233,10

Recife (REC) x Miami (MIA)
Custo: 25.400 pontos
Custo em real: R$533,40

São Paulo (GRU) x Nova York (JFK)
Custo: 31.100 pontos
Custo em real: R$653,10

São Paulo (GRU) x Frankfurt (FRA)
Custo: 50.830 pontos
Custo em real: R$1.067,43

Infelizmente o LATAM Pass não oferece a possibilidade de “segurar” a reserva de bilhetes. Do momento da compra dos pontos até a emissão do bilhete, a disponibilidade pode sumir.


5 – Quantas pontos devo comprar?

Estando seguro com os tópicos acima, você conseguirá estimar sua necessidade de pontos para o uso desejado. Faça as contas considerando justamente o benefício da promoção para tentar minimizar os “restos” de pontos na sua conta (mas, se acabar sobrando, leia nosso post do que fazer com até 1.000 milhas).

Em geral, os melhores resgates não duram muito. Por isso, tente sempre que possível adotar a estratégia “Earn and Burn”: acumule e gaste. Isso evitará que você termine com pontos insuficientes para o uso desejado em sua conta.

Claro que você também deve levar em conta seu saldo atual de pontos. De que adianta ter um saldo grande de pontos sem uso? pontos não rendem, pelo contrario – costumam ser desvalorizas com o tempo, e isso pode ser um grande risco!


6 – Qual a facilidade para usar esses pontos?

Importante dar a preferência para comprar pontos em programas que sejam fáceis de usar. A praticidade na hora do resgate é muito importante: alguns só estão disponíveis para emissões por meio de uma central de atendimento e podem exigir tempo e paciência para serem feitos.

O LATAM Pass permite emissão de todos os voos da LATAM de forma online. Dos atuais parceiros, apenas Iberia, Delta e Lufthansa podem ser emitidos pela internet. Todo restante vai exigir que você ligue para central de atendimento ou vá até uma loja da LATAM Travel. Ainda assim, pode ser que não de certo. O sistema da LATAM não está funcionando corretamente. Resgates na British, por exemplo, não sãoo uma possibilidade a ser considerada.

Outro fator vital a considerar são os usos alternativos desses pontos, caso acabe não conseguindo utilizar para o que havia planejado inicialmente. Ainda que termine não maximizando os pontos, poder ter opções para adquirir produtos, serviços ou até emitir outro tipo de passagem é de grande valor!

Na LATAM são várias opções, desde troca por um eletrodoméstico, até troca por crédito de combustível, ingresso de cinema e milhares de outros produtos, entretanto, sem qualquer tipo de aviso, vários parcerias foram encerradas e funcionalidade do sistema não estão 100%

Reitero que nossa recomendação é usar isso como última opção, já que o valor dado para seu ponto será muito menor do que quanto trocado por uma passagem. Para entender essa questão, sugiro a leitura do post em que explicamos quanto vale uma milha! Esse é um artigo hit de sucesso aqui no site!


7 – Qual o prazo de expiração dessas milhas?

A Latam é generosa neste aspecto. Os pontos lá gerados tem validade de no mínimo 2 anos, acima do que alguns concorrentes oferecem.

Esse é um tópico que ganha relevância no momento. A oportunidade pode ser boa, mas dada a situação de viagens, e se você resolver comprar sem usar a estratégia de Earn and Burn, você possivelmente precisará de tempo para efetuar seu resgate.


8 – O Programa de Fidelidade é estável?

Mesmo considerando todos os pontos acima e estando seguro da sua decisão, saiba que os programas de fidelidade podem alterar a qualquer momento as condições de uso dos pontos e milhas.

É de extrema importância saber se o LATAM Pass costuma fazer alterações em suas regras com aviso prévio satisfatório para que você tenha tempo de agir sem ser prejudicado. Ações do passado podem não ser as mesmas, mas são um bom indicativo.

No passado recente o LATAM Pass pecou neste aspecto. Foram diversas alterações, na grande maioria negativas para os clientes. A confiança demora muito tempo para ser construída e segundos para ser destruída.

Por outro lado, o programa fez algumas alterações positivas frente a COVID. A empresa revalidou pontos expirados, estendeu a validade de pontos a expirar e manteve a categoria até 2022.


9 – Estou comprando pontos no programa que realmente preciso?

Ainda que tudo se encaixe, procure sempre maximizar a utilização dos seus pontos e milhas. Compare os programas de fidelidade e veja aquele que oferece a melhor condição para o uso que deseja – sobretudo no momento da compra dos pontos!

Dependendo do destino desejado, a LATAM pode ou não ser a melhor alternativa para você.

Lembre-se de que milhas e pontos são como moedas e cada uma tem seu valor dependendo do uso que você dê a ela. Como já registrei, nossa matéria “Quanto vale uma Milha” pode ajudar o entendimento.

A Latam tem oferecido alguns bons resgates em econômica em voos internacionais e domésticos. As ofertas para classe executiva não são tão generosas, mas ainda assim, tentamos sempre dar boas dicas de resgate.


10 – Compare o custo da passagem pagante com o custo em milhas

Por último, compare o valor que possivelmente gastará em milhas na sua passagem, produto ou serviço com o valor que pagaria em espécie. Como já falamos no tópico de nº 2, as promoções agressivas já começaram para resgate com pontos e para passagens pagantes também! Passagens que sempre foram mais vantajosas com pontos podem não ser as melhores neste momento.

Os exemplos que colocamos acima mostram o valor das passagens considerando a compra de pontos com 70% de desconto.

Nova taxa de emissão por pontos: É importante ficar ligado para nova taxa de emissão em resgate por pontos.Ela pode mudar a conta desta comparação, dependendo da antecedência do resgate.


Comentário

Como já escrevemos algumas vezes, a empresa está se reorganizando e ajustando seu tamanho frente a crise. Ninguém consegue ter certeza absoluta do que vai acontecer. A empresa pode sair ou não dessa situação. No passado, muitas outras conseguiram (American Airlines, Delta, United), inclusive com a ajuda dos seus programas de fidelidade.

Se você acredita nisso, depois de avaliar todos os tópicos acima, essa pode ser uma BOA oportunidade. Por outro lado, caso você NÃO acredite na recuperação da empresa ou não esteja disposto a “pagar para ver”, não compre. Simples assim. A agressividade da oferta é pelo momento que estamos vivendo. Não faça a compra se for ficar angustiado com o seu saldo. Faça uma compra segura de sua decisão!

Apesar da nossa tentativa de ajudar, são muitas as variáveis envolvidas no momento da decisão e nem sempre será possível acertar todas! Mas sem dúvida sua decisão será muito mais assertiva se você tiver uma resposta clara para cada um dos questionamentos que fizemos acima.

Eu, Ale, pessoalmente estou com um saldo considerável de pontos e estou focado no acumulo naquilo que não me gera custo direto, mas se tivesse com saldo baixo, avaliaria uma compra seguida de emissão. Acho que isso faz sentido. Cada um deve considerar a sua situação. O meu perfil e necessidade devem ser diferentes do seu.

Qualquer dúvida estaremos aqui para ajudá-lo!

Um abraço em nome da nossa equipe,
Ale


☞ veja também: Só hoje! Promoção inédita do LATAM Pass oferece 70% de desconto na compra de pontos

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.