fbpx

Resgates de Primeira – Passagem para a África com pontos do LATAM Pass

Notícias

Por Raimundo Junior

Dando sequência ao quadro Resgates de Primeira, no qual estamos compartilhando com você, toda sexta-feira, um sweet spot, ou seja, aquele resgate de passagem ou reserva de hotel que oferece uma condição muito atrativa em relação ao custo-benefício envolvido, vamos mostrar uma ótima oportunidade de emissão para voar em Classe Executiva para a África do Sul, com pontos do LATAM Pass, programa de fidelidade da LATAM Airlines.

Passagem África Latam Pass

pular para…

  1. O Resgate de Primeira
  2. Quanto custa essa emissão?
  3. Como fazer essa emissão?
  4. Como otimizar essa emissão?
  5. Quais companhias posso voar?
  6. Fatores a considerar
  7. Comentário

O Resgate de Primeira

Rota: Brasil x África
Programa: LATAM Pass

Desde que começamos a série, já mostramos ótimos resgates para Estados Unidos e Europa. Agora, vamos mostrar um Resgate de Primeira para o continente africano, desde o Brasil, com pontos do LATAM Pass.

E o melhor de tudo é que essa Emissão de Primeira vai permitir que você voe entre o Brasil e a África, com pelo menos um longo trecho na melhor Classe Executiva do mercado, a Qsuite da Qatar Airways, que desde o lançamento, no segundo semestre de 2017, conquista esse título de melhor Classe Executiva do mundo, ano após ano.

Passagem África Latam Pass

Para o continente africano, a LATAM operava voos regulares apenas para a África do Sul, que foram suspensos desde o princípio da pandemia.

Ademais, embora mantenha parcerias ativas com British Airways e Iberia, desde meados de 2020 o sistema não tem tarifado voos com esses parceiros, de modo que essa emissão com a Qatar Airways tem sido a única alternativa oferecida pelo programa para o destino África, o que não dá para reclamar! rs

Em decorrência disso, o resgate é feito envolvendo dois trechos de voos. O primeiro, São Paulo para Doha, que desde o final de 2018 conta com aernaves equipadas com a Qsuite em sua Classe Executiva. Além disso, desde o início da pandemia, a Qatar voa para o Brasil com o avião mais moderno do mercado atual, o Airbus A350-1000.

O segundo trecho, em tese, pode ser para qualquer destino africano em que a Qatar Airways opere, mas na prática, tem sido possível encontrar com frequênia voos para Joanesburgo, na África do Sul, Dar es Salaam e Zanzibar, na Tanzania e, com menor frequência, para Ilhas Seycheles, exótico arquipélago africano no Oceano Índico.

O segundo trecho, assim, é operado nos modernos Airbus A350-900 ou Boeing 787 Dreamliner, que embora tenham ótima Classe Executiva no layout 1-2-1, não são equipados com a prestigiada Qsuite (exceção para alguns A350-900).


Quanto custa essa emissão?

Embora o programa LATAM Pass tenha precifiação dinâmica para os voos próprios LATAM, as emissões com parceiros obedecem a tabelas fixas por Região e Classe de Voo, o que é bastante positivo, já que se consegue ter alguma previsibilidade sobre os custos de uma emissão.

Para resgates em Classe Executiva realizados a contar de 11/01/2021, o programa tem a seguinte tabela para parceiros:

  • Tabela LATAM Pass para resgates com parceiros, em Classse Executiva

Passagem África Latam Pass

Como mostra na tabela, o resgate Brasil-África, em Classe Executiva, é fixado em 84 mil pontos LATAM Pass, o que é um valor incrível.

Apesar do registro negativo sobre essa tabela ter sofrido 3 alterações do início de 2020 pra cá, ainda assim manteve alguns resgates bem interessantes. Esse da África, decerto, é um dos melhores (melhor, na opinião pessoal desse editor, em função da companhia aérea/cabine envolvida).

O que precisa ser dito, contudo, é que o regulamento expresso do LATAM Pass, caso estivesse sendo aplicado com rigidez, tornaria esse um resgate nada convidativo. Vamos tomar como exemplo o destino africano com maior disponibilidade nas pesquisas recentes: Joanesbugo.

Como mostramos ao começo, a viagem em questão teria os seguintes trechos: GRU-DOH-JNB (ou outro destino na África, como comentado).

Assim, entre o Brasil e o destino na África, há um trecho intermediário no Oriente Médio (Doha). Até 2018, isso não tinha qualquer repercussão no resgate. Entretanto, desde janeiro de 2019, com a mudança no regulamento da então Multiplus, que foi mantido, nessa parte, pelo LATAM Pass, o trecho intermediário deve ser somado ao valor do resgate.

Passagem África Latam Pass

Portanto, caso a regra acima estivesse sendo rigorosamente aplicada, o valor do resgate seria o resultado da soma dos trechos Brasil > Oriente Médio > África, ou seja, 120.000 (Brasil > Oriente Médio) + 84.000 (Oriente Médio > África), o que resultaria em desinteressantes 204.000 pontos LATAM Pass.

Para felicidade dos clientes, contudo, a nova e injusta regra não está sendo aplicada, ao menos em relação ao destino África, quando operada pela Qatar Airways. Com isso, está sendo cobrado o valor exato da tabela acima mostrada, para voar entre Brasil e África, que é de 84 mil pontos LATAM Pass.


Como fazer essa emissão?

  • Encontrando disponibilidade

Até meados de 2020, era possível pesquisar e emitir voos no LATAM Pass com alguns parceiros, especialmente Iberia, British Airways e American Airlines (quando eram parceiros oneworld, até 03/2020). As disponibilidades com a Qatar Airways, contudo, jamais apareciam nas pesquisas online no site da Múltiplus, depois LATAM Pass.

Até então, a maneira de se descobrir disponibilidades para voar Qatar, com pontos Multiplus/LATAM Pass, era buscando através do site da American Airlines. Com as datas devidamente anotadas, bastava ligar para o call-center do Multiplus/LATAM Pass, e realizar o resgate. Nunca foi um procedimento fácil ou rápido, mas funcionava (foi assim que esse editor conseguiu fazer alguns voos na Classe Executiva da Qatar Airways, usando as dicas dadas aqui no PP por Fábio).

Contudo, houve uma guinada no site do LATAM Pass, em relação aos parceiros. Iberia e British Airways desapareceram da pesquisa, e a Qatar Airways começou a mostrar disponibilidade online para algumas rotas, especialmente para Doha e África do Sul.

Embora o sistema, por alguma razão técnica que desconhecemos, não permita finalizar a emissão, o fato de mostrar online ajuda demais na montagem do roteiro, que deve ser finalizado através de ligação para o call-center, ou em alguma loja LATAM Travel habilitada. Abaixo, exemplos de pesquisas para destinos na África, tarifados por 84.000 pontos LATAM Pass:

  • GRU-DOH-JNB
    Qatar Airways – Classe Executiva

Como se vê, são mostrados dois voos disponíveis para a data, que refletem a maior opção de voos entre Doha e Joanesburgo.

  • GRU-DOH-SEZ (Mahe Island, Ilhas Seychelles)
    Qatar Airways – Classe Executiva

Passagem África Latam Pass

  • GRU-DOH-DAR (Dar es Salaam – Tanzania)
    Qatar Airways – Classe Executiva

Passagem África Latam Pass

  • GRU-DOH-ZNZ (Zanzibar, Tanzania)
    Qatar Airways – Classe Executiva

Passagem África Latam Pass

Assim, embora a falha sistêmica não permita a emissão online, o sistema encontra disponibilidades e tarifa o bilhete.

Como mencionamos antes, também é possível verificar as disponibilidades, pesquisando através do site da American Airlines. Em regra, as vagas mostradas para emissão award lá, batem com as do sistema.

Como mostramos no nosso Guia Básico do ExpertFlyer, a Qatar Airways é uma das companhias aéreas que não disponibiliza o acervo award para o site, de modo que essa não é uma opção de consulta para esse resgate.

  • A emissão

Como descrevemos no tópico anterior, embora o sistema do LATAM Pass mostre as disponibilidades online, um possível erro sistêmico não permite concluir a operação. Por isso, essa emissão demanda a ligação para o call-center ou ir até uma loja LATAM Travel especializada.

É preciso registrar que há inúmeros relatos de sérias dificuldades para finalizar essas emissões pelo call-center, mesmo o sistema encontrando a disponibilidade.

Podemos afirmar, contudo, que as emissões são plenamente possíveis, tanto porque diversos amigos as fizeram ultimamente, como este próprio editor realizou duas emissões nos últimos três meses.

Especula-se que essa é uma emissão que demanda um conhecimento técnico avançado do sistema (para driblar falhas sistêmicas), algo dominado por poucos atendentes do call-center da LATAM, sobretudo os que servem à linha especial dos clientes Black e Black Signature. Coincidência ou não, dos amigos que fizeram a emissão pelo Call-Center, a maioria possui status Black Signature.

Como cliente LATAM Pass Gold, busquei o caminho mais rápido, fácil e seguro: emiti através de uma loja LATAM Travel altamente qualificada, já que nem todas as lojas dominam a técnica para realizar esse resgate. É um investimento que compensa demais!

Portanto, ainda que seja difícil, essa é uma emissão plenamente factível e, na visão deste editor, o melhor uso que se pode dar aos pontos LATAM Pass.

  • Emissão alternativa: São Paulo – Joanesburgo, via Londres, voando British Airways:

Como o LATAM Pass é parceiro da British Airways, em tese, é possível emitir essa viagem para voar com a aérea britânica, conectando em Londres, desde que haja disponibilidade em saver award na British. Para a Classe Executiva, como falamos no Guia Básico do ExpertFlyer, é preciso que haja vaga na Classe Tarifária “U”.

O LATAM Pass não está mostrando resultados para a British Airways, então não sebemos se efetivamente o sistema irar encontrar essas disponibilidades, bem como se tarifará da mesma forma que está fazendo para a Qatar Airways, por 84 mil pontos.

De todo modo, a British Airways apresenta disponibilidade award na classe “U”, em algumas datas para a rota, como mostra o Expert Flyer:

Aliás, o site da American Airlines, indicado para buscar disponibilidade em parceiros oneworld – embora a LATAM tenho saído, manteve acordos bilaterais com os principais integrantes da aliança, inclusive Qatar Airways e British Airways – reflete a disponibildade mostrada acima no ExpertFlyer.

O valor em milhas mostrado na pesquisa acima deve ser desconsiderado, porque seria o valor cobrado para a emissão com o AAdvantage. O que nos importa, pra tentar emitir com pontos LATAM Pass, é saber que há efetivamente a disponibilidade mostrada no ExpertFlyer.

Caso o call-center e/ou a loja LATAM Travel consiga tarifar pelo mesmo valor de 84 mil milhas, também seria uma bela emissão, já que as aeronaves escaladas para a rota pela British Airways, são os modernos A350-1000, equipado com a nova e excelente Classe Executiva Club Suite, no trecho GRU-LHR, e o icônico Airbus A380, na rota LHR-JNB.


Como otimizar essa emissão?

Embora essa seja uma emissão em que se usa a menor quantidade de milhas/pontos para voar do Brasil para a África, encontrar mecanismos de gerar esses pontos a baixo custo, é fundamental para tornar o resgate ainda mais atrativo.

Como já comentamos em matérias anteriores, os clubes de pontos e programas de fidelidades nacionais têm um valor padrão para o milheiro de milhas/pontos, que é de R$70,00. Considerando esse valor, o custo não seria tão bom, já que 84 mil pontos LATAM Pass, custariam 5.880 + taxas.

  • Compra de pontos LATAM Pass com desconto

O que de fato torna essa emissão interessante, é a compra e/ou geração dos pontos LATAM Pass com descontos consideráveis em relação ao valor padrão.

A propósito, quem acompanha o Passageiro de Primeira assiduamente, sabe que nos últimos anos tem sido relativamente comum, promoções em que o programa vende pontos com até de 70% de desconto sobre o valor de tabela (70 reais/milheiro), o que reduz esse valor para R$21,00/milheiro, como mostra a imagem abaixo, da última promoção assim realizada, em novembro passado.

Com milheiro a R$21, o valor do bilhete fica excepcional, já que os custos pra comprar esses 84 mil pontos LATAM Pass, passa para R$1.764,00, mais barato que uma passagem em classe econômica, sem dúvida.

Aliás, no presente momento está ativa uma promoção em que é possível comprar esses pontos com 65% de desconto (assinante clube), o que traz o valor do milheiro para R$24,50, o que também torna o custo dessa emissão excelente.

Como mostra acima, a promoção vai até o próximo dia 17/03. Assim, comprando os 84 mil pontos a 24,50 o milheiro, o bilhete custará R$2.058,00, o que é muito bom.

  • Bumerangue Livelo – LATAM Pass

E essa valor ainda pode ser melhor, na prática, caso você tenha aproveitado uma das promoções bumerangue realizadas entre Livelo e LATAM Pass, como a que teve agora em janeiro. Na promoção, quem fosse membro dos Clubes LATAM Pass e Livelo, concomitantemente, recebia 40% de bônus sobre os pontos transferidos da Livelo pro LATAM Pass, e ao final, o bumerangue devolvia 40% dos pontos de volta para a Livelo.

Assim, mandando 100.000 pontos Livelo, você teria 140.000 pontos no LATAM Pass. Após o retorno de 40.000 pontos na Livelo, você só teria usado, efetivamente, 60.000 pontos. Na prática, isso representou um bônus real de 133,33%.

Considerando que a Livelo vende com frequência, concomitantemente a essas campanhas, pontos com 40% de desconto, é possível comprar o milheiro a R$42.

Para gerar os 84 mil pontos LATAM Pass para essa emissão, você precisaria comprar 60 mil pontos Livelo, que custariam, a 42 o milheiro, R$2.520,00.

Essa já seria um valor excepcional pro resgate, mas leve em consideração que você ainda teria 40% dos pontos de volta na Livelo, ou seja, você somente teria usado, efetivamente, 36 mil pontos Livelo, que precificados a R$42 o milheiro, teriam o custo de R$1.512,00, o que é um valor inacreditável, muito mais barato que uma emissão em classe econômica.

Para se que você tenha uma noção comparativa, veja o valor pago da passagem mostrada acima, que custou 84 mil pontos LATAM Pass.

A passagem custa incríveis R$21.567,78, o que é uma brutal diferença em relação ao custo em milhas.

Vale notar, inclusive, que a Qatar está cobrando a odiável taxa de combustível na passagem paga, no valor de R$1.733,73, o que não é cobrado na emissão com o LATAM Pass.

Apenas essa taxa é maior que o custo total da emissão mostrada no último exemplo, já que as taxas cobradas pelo LATAM Pass, são apenas os R$113,92, da taxa de embarque.

Como disse antes, é de longe a maior potência que se pode dar aos pontos LATAM Pass.


Quais companhias posso voar?

  • Qatar Airways- Classe Executiva

Como mencionamos no post, essa excepcional tarifa em pontos LATAM Pass, está sendo mostrada on-line apenas para voar na Classe Executiva da Qatar Airways.

Disso não podemos reclamar, porque a Qsuite, cabine de Classe Executiva que equipa os aviões que cumprem a rota GRU-DOH, é eleita anualmente a melhor Classe Executiva do planeta desde o seu lançamento, em fins de 2017.

Quando do lançamento do produto, em 2017, a Qatar Airways deu o conceito de “First in Business”. E quem já teve oportunidade de apreciar o produto, sabe que a Qatar conseguiu atingir o seu objetivo de fazer com que o passageiro de executiva tenha o mesmo conforto, requinte e privacidade da Primeira Classe, inclusive com serviço de alto padrão. A cabine tem layout é 1-2-1, com portas deslizantes que permitem uma privacidade ímpar.

Fora isso, as poltronas centrais permitem alguns arranjos especiais, como as ímpares, cujos assentos são aproximados. Removendo-se a divisória, transformam-se numa bela suíte com cama de casal, perfeito para casal viajando junto (como pude comprovar pessoalmente).

Além disso, combinando esses assentos centrais ímpares, com os pares vizinhos, é possível criar um inacreditável ambiente privado para 4 passageiros que viagem juntos, com o recolhimento das divisórias entre as cabines, como mostra a imagem abaixo.

Logo após o lançamento, Fábio viajou nela em janeiro de 2018 e fez um ótimo review da Qsuite aqui no Passageiro de Primeira.

Já o segundo trecho, entre Doha e o destino final na África, normalmente é operado por Airbus A350-900 (poucos equipados com Qsuite) ou Boeing 787-Dreamliner (sem Qsuite).

Apesar disso, o padrão da Classe Executiva também é excelente e as cabines são no layout 1-2-1, com ótimo bom gosto, requinte e luxo. A propósito, voei entre Phuket e Doha num A350-900 (sem Qsuite) e posso atestar que é uma excelente cabine. Você também pode conferir o review do Fábio voando nessa cabine clicando aqui.

Apesar de não ter a mesma privacidade e conforto da Qsuite, o A350-900 possui uma bela cabine de Classe Executiva.

  • British Airways – Classe Executiva

Conforme comentamos acima, em tese é possível que você também consiga emitir bilhetes para essa viagem usando pontos LATAM Pass, para voar com a British Airways, dado que a parceria das empresas foi mantida, mesmo após a saída da LATAM da aliança global oneworld.

A despeito disso, não podemos garantir o sucesso da emissão ou o valor que o sistema precificará os dois trechos, como tratamos acima.

Entretanto, vamos mostrar quais seriam as cabines que você voaria nos hipotéticos trechos GRU-LHR e LHR-JNB.

Na rota GRU-LHR, como já havíamos publicado aqui no PP, a British vai operar com o A350-1000, equipado com a nova Classe Executiva Club Suite. Aliás, Lorenzo fez um excelente review dessa cabine, logo que foi lançada.

Esse é um produto muito superior à antiga Classe Executiva Club World até então oferecida pela British Airways. Além do layout 1-2-1, a cabine conta com portas deslizantes e um padrão de acabamento muito superior, conferindo mais luxo e privacidade.

No segundo trecho que simulamos antes, entre LHR e JNB, a aeronave é equipada com a Cabine Executiva antiga (Club World). Em compensação, a modelo de aeronave é o fascinante Airbus A380, íncone da aviação comercial.

club world antiga classe executiva da British

Portanto, acaso você opte por voar via Londres com a British, e consiga a emissão no call-center ou lojas LATAM Pass, essas são as cabines que voará.


Fatores a considerar

  • Dificuldade de emissão: Embora esse seja um dos melhores sweet spots do mercado da aviação, atualmente, por permitir dois longos voos na excepcional Classe Executiva da Qatar Airways, por apenas 84 mil pontos LATAM Pass, esteja ciente das dificuldades para realizar a emissão. Como mencionamos, embora o site do LATAM Pass mostre as disponibilidades, um erro sistêmico impede finalizar a reserva on-line. Acaso você não tenha status Black ou superior, com acesso ao atendimento especial, mais qualificado, a emissão via call center tem-se mostrado bastante sofrível. Por outro lado, em algumas lojas LATAM Travel, há pelo menos um funcionário qualificado que consegue realizar esse resgate. Por esse caminho, aliás, tive sucesso em duas emissões, recentemente;
  • Mudança constante de tabela: Outro ponto que registramos ao longo do post, e aqui reforçamos, é que o programa, infelizmente, não tem mostrado estabilidade, relativamente às tabelas de emissões com parceiros. Apenas de 2020 pra cá, as tabelas já sofreram três modificações. Portanto, se você ficou interessado na emissão, sugiro não esperar muito;
  • Tarifação mais benéfica que a regra: Repetimos aqui o que já dissemos no corpo da matéria, de que a alteração do regulamento do programa LATAM Pass, vigente a partir de janeiro de 2019, passou a prever a soma dos trechos intermediários da viagem. Assim, acaso essa regra estivesse sendo estritamente observada, o resgate não estaria sendo tarifado por 84 mil pontos. Esperamos que continue assim, mas esteja ciente de que eventual mudança não implicará descumprimento das regras pela empresa;
  • Baixa disponibilidade: No período pré-crise sanitária, encontrar disponibilidade para emitir o trecho GRU-DOH, através de programas parceiros (não apenas com pontos LATAM Pass), era algo raro, especialmente para mais de um passageiro. Com a drástica redução da demanda aérea causada pela pandemia, ficou muito mais fácil encontrar vagas. Acreditamos, contudo, que depois que a situação normalizar, a tendência é que as disponibilidades voltem a ser escassas. O contraponto é que a Qatar Airways passou a operar um segundo voo na rota, três dias por semana, o que acaba melhorando a oferta e impactando positivamente nas chances de resgate com pontos;
  • Situação financeira delicada do grupo LATAM: Considerando que o grupo LATAM ingressou com Pedido de Recuperação Judicial perante o judiciário americano em maio de 2020, como estamos acompanhando desde então,  eventual insucesso nos planos de recuperação terá, inevitavelmente, reflexos sobre o programa LATAM Pass. Entretanto, saber que o Catar fez investimentos pesados na companhia, dá-nos um bom alento de que as chances de recuperação sejam altas, já que o Sheik é conhecido pela perspicácia nos negócios, de modo que não faria sentido rasgar mais de um bilhão de dólares, acaso não acreditasse firmemente na capacidade de reerguimento da empresa;
  • África está aceitado brasileiros: Alguns destinos africanos já reabriram e continuam abertos para brasileiros, como África do Sul e Tanzania. Acaso esteja disposto a viajar na situação atual, possivelmente terá facilidade para emitir bilhetes para esses destinos. Aliás, no momento em que este post está sendo publicado, este editor estaria próximo a pousar em Doha, no voo QR 780, para fazer conexão com destino à Joanesburgo. Entretanto, em comum acordo com a esposa, acabou-se cancelando a viagem, dada a compreensão de que esse não seria o melhor momento para sair do Brasil (e correr o risco de não conseguir voltar).

Comentário

Esse é mais um bom exemplo das dezenas de boas oportunidades de emissões que temos a explorar no nosso microcosmos de milhas e pontos, como falamos no post inicial dessa série semanal.

Esteja certo que teremos incontáveis encontros nas próximas sextas-feiras, pois há muitas emissões interessantes a mostrar.

Como dito no início da série, optamos por abordar apenas uma boa emissão por semana, mas oferecendo todas as informações que você precisa saber para tirar proveito da oportunidade, inclusive todos os pros e contras que se aplicam a essa emissão.

E você, já conseguiu aproveitar essa excelente emissão do programa LATAM Pass, para voar na fantástica cabine Qsuite?

Clique sobre os links, para conhecer melhor sobre o programa LATAM Pass, ou para fazer um tour virtual na prestigiada Qsuite.

Baixe o app Passageiro de Primeira

google-play
app-store

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas VIP, hotéis, cartão de crédito e promoções.