fbpx

Resgates de Primeira – Passagem de Bruxelas para o Cairo na Primeira Classe da Emirates com pontos da Qantas

Notícias

Por Raimundo Junior

Como você tem acompanhado, estamos mostrando nessa terceira fase da série Resgates de Primeira, boas oportunidades de resgates para voar em Primeira Classe usando milhas e pontos. O que temos no cardápio hoje é: Resgates de Primeira – Passagem de Bruxelas para o Cairo na Primeira Classe da Emirates, usando Qantas Points.


O Resgate de Primeira

Rota: Bruxelas – Dubai – Cairo
Programa: Qantas Frequent Flyer

Para quem não vem acompanhando, nas primeiras fases da série Resgates de Primeira, mostramos ótimos resgates para voar em Classe Executiva para todos os continentes.

Nessa terceira fase, estamos mostrando Resgates de Primeira para voar em Primeira Classe, item cada da vez mais raro no mundo da aviação, especialmente para viajar utilizando milhas e pontos.

No Brasil, não temos qualquer programa de fidelidade que permita acessar o acervo da Primeira Classe da Emirates para voar com milhas, tampouco há programas de bancos ou companhias aéreas que permitam enviar pontos para o Skywards ou Qantas Frequent Flyer, uma das raras parceiras que continuam emitindo Emirates First.

Entretanto, muitos dos nossos leitores são associados ao programa de fidelidade da rede hoteleira Accor, o All – Accor Live Limitless.

E aí é que está o pulo do gato. Com os pontos no programa de fidelidade da rede hoteleira francesa, pode-se enviá-los para o programa de fidelidade da Qantas, o Qantas Frequent Flyer, e fazer o resgate para voar na Primeira Classe da Emirates, como mostraremos mais adiante.

  • Game Changer e Primeira Classe do A380 na mesma viagem

Essa é uma emissão em que origem e destino estão em segundo plano.

Voar na Primeira Classe da Emirates está no imaginário de todo apaixonado por aviação, e por anos o ápice desse objetivo se materializava na excelente cabine de Primeira Classe do A380, que ao luxo e conforto, somam-se o belo bar a bordo e o banheiro com ducha, para um exótico banho a 40 mil pés de altitude.

Entretanto, cerca de dois anos atrás, a Emirates deu um passo adiante e lançou a nova cabine de Primeira Classe no B777-300, denominada Game Changer, com foco em não deixar dúvidas que seu produto superava as belas cabines de Primeira Classe de Singapore, ANA, Etihad e JAL.

Em razão disso, pensamos num resgate em que você pudesse desfrutar dessas duas cabines: Primeira Classe Game Changer, no B777-300 e Primeira Classe no A380.

E o melhor: como o Qantas Frequent Flyer precifica os resgates em razão da distância voada, buscamos enquadrar os dois voos num limite cuja soma das distancias não mudasse a faixa da tabela de resgates do programa australiano.

  • Emirates First Class Lounge – Aeroporto de Dubai (DXB)

Nosso resgate contempla uma conexão longa, pensada justamente para que você tenha tempo suficiente para conhecer o luxuoso e gigantesco Emirates First Class Lounge de Dubai.

Em 2015, Fábio fez uma ótima avaliação da sala VIP da Primeira Classe da Emirates em Dubai, onde mostrou as principais características desse incrível lounge.

Como bem mencionou Fábio, a sala, em verdade, é um enorme terminal de luxo, ocupando toda a extensão do 4º andar, com diversos ambientes, como restaurantes – buffet e à la carte – bares, charutaria, duty free, sala de descanso e brinquedoteca.

E o mais incrível é que tudo no lounge é duplicado, o que permite que você possa usufruir no lado em que esteja o seu portão de embarque, já que o ambiente é enorme.

Com tantos ambientes para explorar, quando menos esperar, já terá chegado a hora de seguir para o portão de embarque.


Quanto custa essa emissão?

Essa, infelizmente, não é uma emissão barata, mas a opção da triangulação de pontos dos programas nacionais para o Qantas Frequent Flyer, usando o ALL como ponte, é o meio mais palpável e real de usar milhas dos programas brasileiros para voar nessas excepcionais cabines da Primeira Classe da Emirates.

Veja abaixo, a tabela de resgates do programa da Qantas:

Como se vê, são cobrados 107.700 Qantas Points para o resgate da faixa 5 (3601 a 4800 milhas), pra voar em Primeira Classe.

Desse modo, fomos investigar rotas que se enquadrassem nesse limite e nos permitissem experimentar as duas magníficas cabines de Primeira Classe da Emirates, tanto no A380, como a nova Game Changer.

Em agosto de 2019, Lorenzo escreveu um excelente post, com as rotas operadas com a nova Game Changer. É uma ótima referência, embora, infelizmente, os impactos da pandemia tenham trazido algumas modificações. Para as Maldivas, por exemplo, não encontramos a aeronave na escala para os próximos meses.

Aliás, acaso estivesse operando a rota, uma boa alternativa para esse Resgate de Primeira, seria voar no A380 de Munique para Dubai e de lá para as Maldivas na nova Game Changer.

De todo modo, montamos Bruxelas – Dubai – Cairo, porque com isso conseguimos voar as duas cabines e montar um percurso próximo ao limite da 5ª faixa, já que a soma dos trechos resulta 4.705 milhas, como mostra a imagem do Great Circle Mapper, abaixo:

Com isso, o custo dos voos será de 22,89 pontos por milha voada, muito próximo à máxima eficiência que se obteria para a faixa 5, de 22,43 pontos por milha, acaso a viagem somasse exatas 4800 milhas.


Como fazer essa emissão?

  • Encontrando disponibilidade

Como sabemos, o Qantas Frequent Flyer tem acervo award acessível nas pesquisas online, tanto para voos próprios quanto para parceiros. O presente resgate, inclusive, tem tratamento 100% online, desde a pesquisa até a emissão.

  • Realizando a emissão

Realizada a pesquisa e encontrado o resultado, basta selecionar os voos preferidos e seguir para finalização, tudo online.

Como você vê, na nossa escolha acima, você terá mais de seis horas e meia para curtir a nova Emirates First Game Changer no trecho entre Bruxelas e Dubai, além de quase 4h para desfrutar da Primeira Classe no A380, no voo entre Dubai e Cairo.


Como otimizar essa emissão?

O gargalo dessa emissão, que é excelente, está na dificuldade de gerar Qantas Point. Para quem tem acesso apenas aos cartões de crédito e programas nacionais, como mencionei, a única forma é triangulando através do ALL – Accor Live Limitless.

  • Transferência de pontos para o ALL

Falaremos brevemente sobre as formas de gerar pontos ALL, porque temos um post completo, em que tratamos especificamente sobre “As melhores maneiras de gerar pontos no ALL – Accor Live Limitless”, o qual pedimos a gentileza de você conferir.

Resumidamente, podemos dizer que as melhores oportunidades estão nas transferências da Livelo, com taxa fixa de 2,5:1, Smiles, com taxa de 5:1 – com promoções esporádicas de bônus de 20% a 25%, como ocorreu recentemente – e TudoAzul, que apesar da salgada taxa fixa, tem realizado algumas promoções, como a que está realizando até o próximo domingo, na razão de 5:1. Por fim, o LATAM Pass transfere para o ALL, com a taxa de 5,6:1, e não tem feito qualquer promoção há algum tempo.

O segredo para tornar viável esse resgate, está nos mecanismos utilizados para gerar esses pontos a baixo custo, porque seria impensável um volume de milhas/pontos como os requeridos para essa emissão, tomando por base os valores de tabela cobrados pelos programas.

  • Transferência de pontos do ALL para Qantas Frequent Flyer

O programa ALL – Accor Live Limitless tem convênio com diversos programas aéreos, inclusive com o próprio Skywards, da Emirates.

Entretanto, para enviar pontos do ALL para o Skywards, há uma desvalorização de 50%, ou seja, você vai acumular apenas 2.000 milhas Skywards para cada 4.000 pontos ALL transferidos. Definitivamente, não é uma boa opção.

Já para o Qantas Frequent Flyer, a taxa de é 1:1, já que a cada bloco de 2.000 pontos ALL, você receberá 2.000 Qantas Point.

Assim, para somar os 107.700 pontos exigidos para o resgate, você precisará transferir o mesmo quantitativo da sua conta ALL – Accor Live Limitless.

  • Custo otimizado

Agora que já falamos que a ratio de conversão é de 1:1 entre ALL e Qantas Frequent Flyer, vamos fazer um custo médio da geração desses 107.700 pontos, utilizando as melhores opções dos programas nacionais.

Vamos considerar a geração dos pontos ALL de três fontes, considerando as promoções em vigentes e/ou ocorridas nos últims 12 meses: a) Compra de pontos TudoAzul com desconto + transferência com taxa 5:1; b) Compra de pontos Livelo com 50% de desconto; c) Transferências bonificadas de pontos de cartão de crédito.

a) TudoAzul > ALL: nos últimos 12 meses, tivemos algumas promoções em que foi permitido comprar pontos Tudo Azul com até 70% de desconto. Nesse caso, o custo do ponto é de R$0,021. Ocorre que, pagando com um cartão de crédito Azul Itaucard, há um desconto adicional de 10%, o que derruba esse valor para R$0,0189.

Nesse cenário, para gerar os 107.700 pontos ALL, transferindo do TudoAzul, que até domingo está utilizando a taxa de conversão de 5:1, precisaríamos de  540 mil pontos TudoAzul. Com o custo do ponto a R$0,0189, isso resultaria em R$10.177;

b) Livelo > ALL: para gerar os 107.700 pontos ALL, mandando da Livelo na taxa de 2,5:1, serão necessários 270 pontos Livelo. Vamos quantificar esses pontos pelo valor das melhores promoções ocorridas nos últimos 12 meses, em que o programa vendeu pontos com 50% de desconto, ao custo de R$0,035, cada ponto. Para os 270 mil pontos, você precisaria investir R$9.450.

c) Transferência de Cartão de Crédito para TudoAzul (ou Smiles): Usaremos o TudoAzul como referência para gerar os 107.700 pontos, em virtude da promoção de transferência bonificada que vigorou até 23:59h de ontem, em que era concedido bônus de 100% para os assinantes dos Clubes TudoAzul (até 120%, para quem assina o Clube 20 mil a mais de um ano). Mesmo considerando o patamar básico de 100% de bônus, bastaria mandar 270 mil pontos do cartão de crédito, que o saldo estaria completo. Esses pontos, naturalmente, consideraremos tecnicamente gratuitos, porque foram gerados pelo uso regular do cartão.

Em verdade, o que se vê é que dá pra tirar fácil uma média simples dos custos das três formas de geração de pontos acima (10.177 (compra de pontos TudoAzul) + 9.450 (compra de pontos Livelo) + 0,00 (pontos de compras/aplicativos grátis), dividindo o resultado por três). Nesse caso, teríamos um custo médio dessa emissão de R$6.542, o que seria bem razoável.

Portanto, ao final, os 107.700 pontos ALL, convertidos nos 107.700 pontos Qantas Frequent Flyer requeridos para o resgate, terão o custo de cerca de R$6,5 mil.

Não é um resgate barato, como dissemos ao começo, mas é infinitamente mais em conta que o custo da passagem pagante.

Como você percebe, o custo desses voos, para bilhete pagante, seria de R$35.064. Apesar do alto custo para gerar os pontos, ainda é amplamente vantajosa a emissão award.


Quais companhias posso voar?

Das companhias parceiras do programa Qantas Frequent Flyer que operam a rota, em tese seria possível emitir para voar na Primeira Classe da British Airways e da Qatar Airways.

A Qatar Airways, como sabemos, não está operando com o A380, única aeronave da frota equipada com Primeira Classe. Em função disso, o resgate não será possível para tal cabine.

A British Airways, por seu turno, opera tantos no trecho Bruxelas – Londres, quanto Londres – Cairo, em aviões de corredor único, não equipados com Primeira Classe.

Ademais, não faria sentido gastar os raros pontos Qantas Frequent Flyer para emitir Qatar ou British, porque ambas permitem o uso de outros programas mais acessíveis aos brasileiros, como LATAM Pass, Iberia Plus/Executive Club e AAdvantage.

Portanto, esse resgate é pensado para voar na Primeira Classe da Emirates, aproveitando as suas duas melhores cabines, como mencionamos antes.

A nova Primeira Classe Game Changer, cabine que equipa os novos B777-300ER, além de outros itens inovadores de luxo e conforto, tem controle individual de temperatura e iluminação, portas que vão do chão até o teto e janelas virtuais com projeções ao vivo do exterior em alta definição. Como argumenta a Emirates, esse é “Seu quarto de hotel no céu”.

Nesse resgate, o trecho Bruxelas para Dubai é operado em avião com essa nova cabine.

Apesar de ter perdido um pouco do brilho com o lançamento da Game Changer, a Primeira Classe da Emirates no A380 é uma das melhores e mais luxuosas cabines de Primeira Classe que equipam o superjumbo. Arriscaria dizer que apenas as novas cabines de Primeira Classe da Singapore e da ANA a superam, das companhias que operam Primeira Classe no A380.

Portanto, apesar de ter deixado de ser o produto mais desejado da Emirates, a Primeira Classe do A380 ainda é uma cabine excepcional. No voo entre Dubai e Cairo, essa é a aeronave prevista.

Assim, embora de custo elevado, esse Resgate de Primeira vai permitir uma experiência de viagem inesquecível.


Fatores a considerar

  • Facilidade de emissão: como mencionamos no início, o programa Qantas Frequent Flyer tem uma boa plataforma de emissão de passagens online;
  • Tabela fixa: esse é um ponto bastante positivo do programa da Qantas. O ponto a lamentar, é que desde a primeira postagem de Fábio ensinando a resgatar a Primeira Classe da Emirates, usando milhas dos programas nacionais, já houve dois reajustes dessa tabela. Na época (2018), esse resgate custava 90 mil pontos (quase 20% de reajuste até a atual tabela);
  • Europa continua fechada para viajantes vindos do Brasil: Embora o resgate simule uma viagem entre Bruxelas e Cairo, com conexão em Dubai, recorde que os países do Espaço Schegen continuam fechados para viajantes vindos do Brasil em viagens de turismo, sem perspectiva de reabertura recente;
  • Resgate exclusivo: depois que a Emirates cortou o acesso ao acervo da Primeira Classe à maioria dos parceiros, esse resgate tornou-se ainda mais exclusivo, porque afora o seu programa próprio (Skywards), o Qantas Frequent Flyer é um dos raros programas que continuou emitindo a Primeira Classe da companhia árabe;
  • Custos simulados baseados em compra promocional de pontos e envio de pontuação gratuita de cartão de crédito com bônus: como ficou registrado na matéria, quando simulamos os custos dessa emissão, precificando as formas de geração dos pontos, levamos em consideração os valores da compra de pontos Livelo com 50% de desconto, e assinatura do Clube TudoAzul com 50% de desconto + 10% de desconto pelo pagamento com cartão de crédito Azul Itaucard, além de parte da pontuação gratuita, transferida com bônus.

Comentário

Esse é mais um bom exemplo das dezenas de boas oportunidades de emissões que temos a explorar no nosso microcosmos de milhas e pontos, como falamos no primeiro post dessa série semanal.

Esteja certo que teremos incontáveis encontros nas próximas sextas-feiras, pois há muitas emissões interessantes a mostrar.

Como dito no início da série, optamos por abordar apenas uma boa emissão por semana, mas oferecendo todas as informações que você precisa saber para tirar proveito da oportunidade, inclusive todos os pros e contras que se aplicam a essa emissão.

Consideramos esse resgate fantástico, apesar do alto custo de geração dos pontos. Entretanto, usar pontos de programas de fidelidade nacionais para o resgate, é algo animador.

E você, já conseguiu voar na nova Primeira Classe da Emirates?


Confira os Resgates de Primeira publicados!

Primeira fase

Segunda fase

Terceira fase

Hotéis com Desconto + Selos
Hotéis com Desconto + Selos
5% de desconto + selos no Rewards em estadias até 31 de março de 2022!
Hotéis com Desconto
Hotéis com Desconto
10% de desconto em estadias até 31 de janeiro de 2022!
Seguro Viagem com Desconto
Seguro Viagem com Desconto
Desconto especial no seu Seguro Viagem!
Compras com Desconto
Compras com Desconto
5% de desconto em itens vendidos e entregues pelo Magalu!
Clube de Milhas
Clube de Milhas
Receba 1.000 milhas por mês + 7.000 milhas bônus na hora!
Gerencie suas Milhas
Gerencie suas Milhas
6 meses grátis do AwardWallet Plus para novos usuários!
Ver todos os cupons

Baixe o app Passageiro de Primeira

google-play
app-store

10 anos! O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas VIP, hotéis, cartão de crédito e promoções.