fbpx

Emitindo uma Volta ao Mundo com milhas de quatro programas diferentes – Leitor de Primeira

Leitor de Primeira Notícias

Por Equipe | Passageiro de Primeira

No quadro #LeitorDePrimeira de hoje vamos compartilhar a história do Marcos, que transformou uma viagem para Europa com sua noiva em uma Volta ao Mundo, utilizando pontos e milhas de quatro programas de fidelidade diferentes! Vale a pena leitura, ele compartilhou com detalhes cada uma das emissões feitas.


Relato de Primeira

Olá leitores do Passageiro de Primeira!

Meu nome é Marcos e vou compartilhar com vocês como fiz para emitir uma viagem de volta ao mundo utilizando 4 diferentes programas de fidelidade.

Farei a viagem na companhia da minha noiva. Como conseguimos tirar férias juntos, mesmo trabalhando em locais diferentes, pudemos comprar as passagens com uma boa antecedência, o que fez com que as disponibilidades de assentos fossem boas nos programas que usamos.

O mais curioso dessa viagem, é que diferente da maioria das pessoas, dar uma volta ao mundo não estava em nossos planos, embora fosse algo que gostaríamos de fazer (e os posts com sugestões e relatos de leitores do Passageiro de Primeira com certeza fomentavam esse desejo), foi algo que vimos ir sendo possível ao longo dos meses.

Como trabalho atendendo clientes de todo o Brasil e não sou eu quem escolhe com qual empresa vou viajar (as vezes me dão umas opções para escolher), não posso me dar ao luxo de priorizar um programa de fidelidade específico e acabo tendo meus pontos bem espalhados nos programas nacionais.

Meus principais cartões de crédito são o Visa Infinite vinculado à Multiplus no Itaú e o TPC junto ao Bradesco, além de ser assinante do Clube Livelo 20.000 pontos naquela época, o que me fez ter uma quantidade razoável de pontos principalmente nesses dois programas.

Resumo da Volta ao Mundo

  • Rio de Janeiro x Madrid (Executiva)
  • Madrid x Munique (Econômica)
  • Munique x Doha (Executiva)
  • Doha x Phuket (Executiva)
  • Phuket x Bangkok (Econômica)
  • Bangkok x Singapura (Econômica)
  • Singapura x Auckland (Econômica)
  • Auckland x Santiago (Econômica)
  • Santiago x Rio de Janeiro (Executiva)

Relato das emissões

  • RIO DE JANEIRO x MADRID

Programa: Iberia Plus

Nosso primeiro voo emitido veio com a saudosa promoção da Iberia de presentear cada passagem comprada com 9.000 avios na conta Iberia Plus. Soube da promoção através do Passageiro de Primeira e como muitos fizeram, comprei as 10 passagens Madrid x Santander que jamais iria voar por aproximadamente 100 reais cada para garantir os 90.000 avios (máximo permitido). Então, em outubro de 2018, assim que abriu disponibilidade para emissão de passagens para voar em outubro de 2019, fizemos a emissão de 2 passagens em executiva saindo do Rio de Janeiro com destino à Madrid para o dia 02/10/2019. Tudo feito online de forma bem intuitiva e sem problemas. Foram 42.500 avios + 25,75 euros de taxas por pessoa.

  • MADRID x MUNIQUE

Programa: Multiplus

Como eu disse no começo, fazer uma viagem de volta ao mundo não estava em nossos planos no início. Emitimos a primeira passagem para Madrid sem nem saber onde realmente iríamos, apenas para garantir a entrada na Europa. Pesquisando, vimos a possibilidade de irmos na Oktoberfest em Munique, então decidimos emitir esse segundo trecho. Se fosse hoje, eu não teria feito essa emissão com a Multiplus, já que custou 20.000 pontos no programa + R$ 83,18 em taxas por pessoa. Não é difícil encontrar uma emissão melhor, mas era onde eu tinha muitos pontos e eu mesmo um principiante nesse mundo. Embora o site da Multiplus esteja longe de ser aquilo que desejamos com relação a praticidade, nessa emissão foi tudo de primeira e emiti as passagens sem problemas.

  • MUNIQUE x DOHA

Programa: Smiles

23/11/2018 estou lendo no Passageiro de Primeira a notícia de que a Qatar Airways anteciparia o início das operações com a Qsuite no Brasil. Bateu aquele pensamento, será que a Qatar voa entre Munique e Doha com a Qsuite? Após um pouco de pesquisa, descobri que sim! A Qatar voa nessa rota com a Qsuite nos voos QR58 e QR60. Visto isso, comecei a pesquisar as opções que a Smiles dava e achei por 47.500 milhas + R$242,77 de taxas por pessoa. Achei excelente para 5h30 de voo e espero aproveitar bem tudo que a Qsuite oferece.

  • DOHA – PHUKET

Programa: Smiles

Foi aqui que a ideia de fazer uma volta ao mundo começou a rondar meus pensamentos, até então a ideia era voltar de Doha para a Europa e depois Brasil, já estava ótimo, nunca tínhamos ido pra outros lugares além de Europa e América do Sul, o Oriente Médio já seria uma baita experiência. Mas, por que não, né? Eu tinha aproveitado a promoção de transferência de bônus da Livelo para a Smiles da Black Friday de 2018, com 100% de bônus e ainda tinha bastante milhas disponíveis na Smiles. Consideramos Hong Kong, Bangkok e Singapura em Executiva ou Perth em Primeira Classe, mas acabamos decidindo por Phuket, na Tailândia para conhecer as famosas ilhas que ficam próximas. Pesquisando na Smiles também achei excelentes as condições para emitir o trecho em Executiva, 50.000 milhas + R$ 92,65 em taxas por pessoa para quase 7 horas de voo. Dessa vez não será a Qsuite, mas continua valendo por ser Qatar.

  • PHUKET – BANGKOK

Pagante

Resolvemos dar uma estendida na nossa passagem pela Tailândia e incluir Bangkok no itinerário. Esse foi o único trecho que resolvemos pagar pelas passagens. Já meio arrependido pela emissão do trecho Madrid x Munique com a Multiplus e sem ver boas opções com os programas de fidelidade, o melhor foi comprar mesmo e achamos um bom preço, já que custou R$ 146,62 por pessoa em classe econômica da Thai Airways. Aproveito para deixar um agradecimento ao Dérek, já que acompanhei a volta ao mundo que ele fez e anotei várias dicas de Bangkok.

  • BANGKOK – SINGAPURA

Programa: LifeMiles

Estava tudo saindo às mil maravilhas, ótimas disponibilidades, bons preços, nada de falhas nos sites dos programas, até que…

Nosso planejamento era fazer a emissão de Bangkok x Auckland voando Qantas com pontos Multiplus, mas não estava conseguindo encontrar disponibilidade para o trecho no site do programa. Está aí o maior risco de se fazer as emissões de forma pingada, uma de cada vez em dias diferentes. Comecei a pensar em como faria para voltar tudo de novo naquela altura do campeonato. Estava decidido a emitir Bangkok x Hong Kong com a Korean Air e depois Hong Kong x Londres x Rio de Janeiro com a British Airways. Também não conseguia disponibilidade para Seoul x Auckland ou Hong Kong x Auckland pela Multiplus para seguir na volta ao mundo.

Até que vi que a Multiplus mostrava disponibilidade para o trecho Singapura x Auckland. Recorri então ao programa LifeMiles para emitir o trecho Bangkok x Singapura já que sendo um programa da Avianca, seria possível resgatar uma passagem para voar com a Singapore ou a Thai Airways em um voo direto. Infelizmente para mim, a promoção em que 1 ponto Livelo era igual a 1 milha LifeMiles já havia acabado e tive de transferir os pontos com o deságio de 1,3 = 1. Como tinha enviado praticamente todos meus pontos Livelo na promoção de 100% de bônus para a Smiles, não foi possível emitir a passagem em executiva, embora o voo seja curto (2h25).

Também não considerei comprar pontos Livelo para fazer a emissão em executiva pois, além de não ter nenhuma promoção naquele momento que desse mais de 30% de desconto na compra dos pontos, a viagem começava a ficar apertada para nosso orçamento. Por fim, emiti o trecho para voar com a Singapore Airlines por 9.000 milhas e 48 USD de taxas por pessoa.

  • SINGAPURA X AUCKLAND

Programa: Multiplus

Com a passagem para Singapura definida, fui novamente ao site da Multiplus para emitir o trecho Singapura x Auckland voando com a Qantas. Esse voo teria uma conexão em Sydney e propositalmente escolhi uma passagem que trazia uma conexão de 12h20 lá. Não inclui Estados Unidos e Austrália em nosso roteiro de volta ao mundo, porque não fazia parte dos nossos planos fazer esse tipo de viagem e não tínhamos visto para esses lugares, o que traria um custo que apertaria mais ainda nosso orçamento, além do tempo gasto nessa viagem, já que estávamos de férias e tínhamos no máximo 30 dias para completar nosso itinerário.

Pesquisando, descobri que também era preciso um visto para fazer trânsito na Austrália, mas que esse tipo de visto era emitido de forma online, sem custos e permitia uma permanência de até 72 horas no país, por isso, emitimos o trecho com a conexão de mais de 12 horas em Sydney para dar uma conhecida nas principais atrações da cidade.

Infelizmente o site da Multiplus não mostrou disponibilidade de fazer o trecho em Executiva da Qantas e precisei emitir em classe econômica mesmo, mas acho que considerando o tempo de voo de 8h40 entre Singapura e Sydney, 12h20 de conexão e mais 3 horas de voo de Sydney para Auckland, saímos no lucro conseguindo emitir essa passagem por 40.000 pontos + R$ 441,72 de taxas por pessoa.

  • AUCKLAND – SANTIAGO

Programa: Multiplus

Faltava pouco para completar as emissões e garantir uma viagem de volta ao mundo. O próximo passo era emitir Auckland x Santiago com pontos Multiplus e voando LATAM. Disponibilidade verificada no site, mas na hora de emitir as passagens enfim me deparei com o site da Multiplus não carregando a pagina seguinte e apresentando mensagem de erro.

Resolvi então ligar para a Central e tentar a emissão por lá e pra minha surpresa a atendente não só não consegue fazer essa emissão como não consegue visualizar disponibilidade do trecho que eu via na minha frente na tela do meu computador. Usando da experiencia dos relatos tanto do Fábio como de alguns leitores de que enviando um print da tela em que eu enxergava a disponibilidade no site era possível que eles honrassem, pedi a atendente um e-mail para que eu pudesse enviar o print da tela, mas a mesma disse que não adiantava, porque se não aparece para ela devia ser um erro do site que não atualizou a disponibilidade.

Resolvi desligar e tentar uma nova chamada com um novo atendente. Antes disso, como num reflexo, tentei fazer a compra pelo site da Multiplus novamente e para minha surpresa não só a disponibilidade continuava lá como dessa vez o site prosseguiu para a tela com as informações de quantidade total de pontos e taxas necessárias, ou seja, o mesmo voo que a atendente disse não existir mais, estava ali e consegui prosseguir até fazer a emissão online. Tirando toda essa tensão e novos pensamentos depressivos de ser obrigado a voltar todo caminho percorrido e não completar a volta ao mundo, já que Japão e EUA eram inviáveis devido aos custos e tempo para envolvê-los no itinerário, consegui enfim a emissão do trecho Auckland x Santiago em classe econômica por 77.400 pontos + R$ 85,16 de taxas por pessoa.

Agora, minhas preces estão voltadas à nossa senhora do upgrade para conseguir usar meus cupons como Platinum na LATAM para conseguir upgrade para executiva. Para esse trecho seriam necessários 4 cupons por pessoa e sendo Platinum eu teria 6 cupons compartilhados entre mim e minha noiva, o que não seria suficiente, mas como já vi relatos de pessoas com status Gold (2 cupons) em filas de voos do Brasil para Europa (3 cupons necessários), a esperança é a última que morre.

  • SANTIAGO – RIO DE JANEIRO

Programa: Smiles

Fechando os trechos para completar a viagem de volta ao mundo, ficou faltando emitir minha volta para o Brasil. Eu queria muito experimentar a executiva da Emirates e como não tinha milhas suficientes na Smiles para o trecho, usei o recurso do Viaje Fácil para completar a emissão em uma data futura mas com a garantia da reserva. Tudo perfeito, fiz a emissão, mas aí veio o perrengue final. Na época, o voo que tinha disponibilidade era Santiago x Guarulhos, e foi esse o que emiti, reservando depois um voo de Guarulhos para o Rio de Janeiro com pontos TudoAzul. Acontece que a Emirates suspendeu essa rota e eu precisei cancelar o bilhete. Como havia emitido pelo Viaje Facil, consegui reembolso das milhas e das taxas sem multa, já que o voo foi cancelado e eu não tinha culpa em não conseguir completar as milhas da emissão. Após todo o reembolso fiz uma nova emissão, dessa vez de Santiago para o Rio de Janeiro, o que é até melhor pra mim, tirando o fato de que o TudoAzul me cobrou R$ 700,00 para cancelar ou fazer qualquer alteração no bilhete de Guarulhos para o Rio de Janeiro, que havia me custado 4.000 pontos + R$ 30,94 de taxas por pessoa, ou seja… no-show neles! No fim, o trecho Santiago x Rio de Janeiro em classe executiva ficou por 70.000 milhas + R$ 97,16 de taxas por pessoa.

Bom, essa foi minha saga para emitir uma viagem de volta ao mundo combinando diferentes programas de fidelidade, espero que tenham gostado do relato e dos desafios que foi emitir alguns trechos.

Embarcamos dia 02/10 e estamos muito ansiosos para essa experiência. Caso queiram acompanhar nossa viagem e pegar dicas dos locais que vamos visitar, deixo aqui nosso instagram caso queiram nos seguir lá, @marcospa9 e @carolmarquescm.

Grande abraço a todos e meu agradecimento especial à Equipe do PP pelos ensinamentos nesse mundo das milhas.


Comentário

Que emissão fantástica Marcos! Soube aproveitar seus pontos e milhas de diferentes programas, buscou extrair boas emissões de cada um deles e conseguiu viabilizar uma Volta ao Mundo!

Parabéns pelo empenho em suas pesquisas e persistência para conseguir realizar todas essas emissões. Que venham muitas outras viagens pela frente!


☞ confira relatos já publicados:

Se você quer ter sua história aqui, siga as instruções deste post.

Newsletter

O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas vip, hotéis, cartão de crédito e promoções.