fbpx

Especial – Retrospectiva 2020

Notícias

Por Equipe | Passageiro de Primeira

A tarefa de tentar fazer uma retrospectiva desse ano tão peculiar quanto foi 2020, é ao mesmo desafiadora, árdua e instigante. Reunimos nessa matéria especial assuntos que foram publicados aqui no Passageiro de Primeira durante todo ano passado, confira!


Considerações iniciais

Tentaremos listar os principais fatos relevantes ocorridos no período, sem deixar de citar os destaques negativos, mas buscando dar um viés positivo à nossa análise, não por insensibilidade com aqueles que amargaram perdas e incertezas, mas por entender que a hora da virada está próxima, que é tempo de juntar o que sobrou desse amargo 2020, levantar a cabeça e alimentar as esperanças de um 2021 de muita superação e conquistas.

Buscaremos, assim, mostrar que, apesar de tantas dores, incertezas e frustrações vivenciadas em 2020, é possível garimpar notícias muito positivas nesse nosso universo de voos e viagens.

De fato, apesar do baque abissal do segundo trimestre de 2020, tivemos algumas promoções impensáveis em tempos normais, que provavelmente foram impulsionadas pelas dificuldades geradas às empresas pelos reflexos econômicos da crise sanitária.

As considerações foram feitas em função da análise de todas as postagens que fizemos no Passageiro de Primeira em 2020.

Para que você possa optar por ler apenas as partes que sejam do seu interesse, vamos fazer uma análise resumido do ano, que dividimos em quatro períodos:

  1. De altas expectativas à apreensão;
  2. Fase crítica da COVID-19 (março a maio);
  3. Junho, o mês da virada;
  4. Readaptação e retomada.

Ressaltamos que foram listados os principais destaques de 2020, com links para as matérias respectivas, publicadas aqui no Passageiro de Primeira.


1) De altas expectativas à apreensão

Pelo ritmo que começou 2020, dava para apostar que seria um ano muito promissor no mundo das milhas, da aviação e do turismo em geral.

  • Fabricantes de aeronaves:

Em relação aos fabricantes de aeronaves, nossas postagens mostravam, no início do ano, a consistente expansão da Airbus, que havia ultrapassado a Boeing e se tornado a maior fabricante de aeronaves do mundo, inclusive com o anúncio do aumento de investimentos em sua planta nos Estados Unidos.

A Boeing, por seu lado, mesmo tendo retraído em decorrência dos graves acidentes aéreos envolvendo o 737-MAX, mostrava boa situação financeira, o que lhe permitiu doar 1 milhão de dólares australianos para ajudar no combate aos incêndios na Austrália. Aliás, também foi nesse período que mostramos que a Boeing havia completado com sucesso o primeiro voo com o 777X e que o CADE aprovou a parceria da Embrear com a Boeing.

  • Companhias aéreas:

Relativamente às companhias aéreas, mostramos a boa saúde financeira da Delta, anunciando que distribuiria 1,6 bilhão de dólares aos seus funcionários, a título de participação nos lucros, a autorização da ANAC para que a Virgin Atlantic operasse voos de/para o Brasil, dentre outras matérias do gênero.

  • Bancos e cartões de crédito:

No que se refere a bancos e cartões de crédito, o começo do ano foi animador, com bancos lançando algumas boas campanhas, a exemplo  do Santander, que ofertou bônus de emissão de até 50.000 milhas AAdvantage, para quem se habilitasse ao co-branded com a American Airlines, digno dos invejados sign-up bônus dos cartões americanos.

  • Programas de fidelidade/clubes de pontos:

Relativamente aos programas de fidelidade/clubes de pontos, mostramos o programa de recompensas da CEF oferecendo incríveis 159% de bônus para as transferências para a Smiles e para o programa TAP Miles&Go. A Livelo, por sua vez, fez promoção de transferência para o programa TAP Miles&Go, dando bônus de até 110% + 20% de milesback nas emissões para voar com a TAP, o que potencializava bastante as milhas transferidas. Além disso, a Livelo também realizou a promoção de compra de pontos com 40% de desconto para os assinantes do clube, repetindo o percentual de desconto frequentemente oferecido em 2019.

  • Compras bonificadas no varejo:

Em relação às oportunidades de acumular pontos em compras no varejo, merece destacar as campanhas feitas pela Livelo de 10×1 com Centauro, Vitorinox e Loyalty Luxury, pelo LATAM Pass de até 26×1 (assinante Clube 10 mil + LATAM Pass Itaucard) com Netshoes e pelo TudoAzul de 10×1 com Casas Bahia.

  • Promoções em compras e emissões de passagens:

No quesito compra e emissão de passagens, tivemos a ótima promoção da LATAM, com passagens para Miami, na Classe Executiva, partindo do Nordeste, com tarifas a partir de R$ 3,518,00, assim como ótimas oportunidades de resgate de passagens-prêmio, com o LATAM Pass ofertado viagens nacionais a partir de 1.500 pontos, além de passagens em Classe Executiva para Miami, a contar de 33.400 pontos.

  • Destaques negativos:

Os primeiros dessabores de 2020, relativamente a pontos e milhas, ficaram por conta do Mercado Pago, que reduziu os limites para pagamento de boletos sem taxa, além da primeira alteração da taxa de transferência do TudoAzul para o All – Accor Live Limitless em 2020, que passou de 3:1 para 4:1 (clube).

  • A apreensão com a COVID-19. Sinal de alerta:

A partir do final de janeiro, começaram a surgir as primeiras notícias acerca do impacto do Covid-19 sobre o setor aéreo, embora ainda restrito à China, com diversas companhias divulgando o cancelamento de voos para aquele País.

Com o agravamento da situação, mostramos que a OMS decretou Emergência Internacional de Saúde no final de janeiro.

A propósito, o PP acabou se vendo no centro da crise, quando ainda restrita à Ásia, porque Gabriel Marinho, que estava realizando sua volta ao mundo, encontrava-se na Ásia quando a OMS decretou a emergência sanitária internacional por causa da Covid-19.

Aos poucos, a crise começou a extrapolar as fronteiras da China, como mostramos na matéria publicada em meados de fevereiro, sobre a drástica redução dos participantes da Maratona de Tóquio, que foi realizada com apenas 176 atletas de elite, dos 38 mil inscritos para a prova, o fechamento da Disneyland Tokyo, também em decorrência do coronavírus, dentre outros.

A apreensão começava a tomar conta do mercado de aviação global. Aliás, já em fevereiro, a IATA divulgou a primeira estimativa de impacto do coronavírus na aviação, prevendo prejuízos que poderiam chegar a US$29 bi. Essa conta, como hoje sabemos, estava largamente subestimada. Na última estimativa, a IATA atualizou a previsão de prejuízo para US$252 bi, mais de oito vezes a previsão inicial, portanto.

Por fim, tivemos a Decretação de Pandemia, em 11 de março, dada a proliferação da doença para todos os continentes.


2) Fase crítica da COVID-19 (março a maio)

A partir da segunda semana de março de 2020, a situação degradou-se rápida, contínua e drasticamente, causando a paralisação quase total das viagens internacionais e impactando duramente na economia global. O setor de aviação e turismo, evidentemente, foi dos mais afetados.

  • Fabricantes de aeronaves:

Dentre os impactos diretos da crise sobre os fabricantes de aeronaves, a Boeing anunciou a suspensão temporária das suas atividades, como medida preventiva de proteção os trabalhadores aos riscos de infecção pela coronavírus, mesma providência adotada pela Airbus, nas plantas de Espanha, França, Alemanha e Estados Unidos.

  • Companhias aéreas

Esse foi um período de notícias devastadoras para as companhias aéreas, como o anúncio da falência da britânica Flybe, que já vinha enfrentando dificuldades desde antes, o pedido de recuperação judicial feito pela Thai Airways e a divulgação de que a Virgin Atlantic, cujas operações haviam sido autorizadas pela ANAC no primeiro trimestre, tinha desistido de voar para o Brasil.

Com as restrição impostas pela crise, tivemos também diversas suspensões de rotas, como os voos da American Airlines de Dallas e Los Angeles para São Paulo e da Emirates, entre São Paulo e Dubai. Esses são apenas exemplos, porque na fase mais aguda, houve períodos em que toda a malha aérea internacional esteve praticamente paralisada.

Aliás, com a drástica redução de demanda, a LATAM reduziu suas operações em 95%, a GOL passou a operar apenas 50 voos diários (inclusive suspendeu temporariamente as operações em Congonhas e Santos Dumont). A Azul, embora menos impactada que as demais, no ápice da crise chegou a informar que passaria a voar para apenas 25 destinos.

Apesar de tudo, houve nesse período crítico, algumas notícias positivas, como a confirmação de que a Royal Air Maroc havia conseguido cumprir o cronograma programado e entrar oficialmente para a aliança oneworld, a Qatar Aiways doou 100 mil bilhetes para profissionais de saúde de todos os países onde opera, com Iberia e Vueling anunciando medida similar (diferentemente da Qatar, apenas para os profissionais que trabalhavam na Espanha).

  • Bancos e cartões de crédito:

Se há um setor em que as notícias amenizaram um pouco a crise, esse foi o de bancos e cartões de crédito.

Os Cartões Santander que pontuam no Esfera, receberam um incentivo especial entre 26/03 e 30/04 (após prorrogação), oferecendo o dobro de pontos para quem utilizasse o cartão virtual para fazer compras online ou em aplicativos.

Após a decisão do governo de reduzir a zero a cobrança de IOF em operações de crédito por 90 dias, Santander, assim como já tinham anunciado Itaú e Bradesco, resolveu zerar as tarifas para pagamento de boletos com cartão de crédito.

O grande diferencial do Santander, é que os pagamentos feitos com cartões vinculados ao Esfera, tiveram a pontuação creditada como compras normais, o que foi um excelente benefício que o Santander deu aos seus clientes nessa fase difícil.

  • Programas de fidelidade/clubes de pontos:

Relativamente aos programas de fidelidade, merece destaque a decisão do LATAM Pass em reduzir os requisitos de qualificação, para quem buscava atingir status em seu programa de fidelidade, além de prorrogar a validade do status até março de 2022, prorrogação também feita pela Smiles.

Vale destacar, também, a campanha da Smiles, que permitiu comprar milhas a R$0,01, com a utilização de voucher de desconto concedido a quem transferisse pontos para o programa.

  • Compras bonificadas no varejo:

Nesse período, houve poucas campanhas de compras bonificados no varejo, merecendo destacar as campahas da Livelo com a Vitorinox, em que era possível acumular até 15 pontos por real gasto e do LATAM Pass com a Netshoes, em que a pontuação poderia chegar a incríveis 26 pontos por real gasto (assinante do clube 10 mil, pagando com LATAM Pass Itaucard).

  • Destaques negativos:

Tivemos, também, nessa fase, algumas más notícias que repercutiram nas oportunidades de gerar e/ou usar pontos e milhas, como o aumento de 90% na taxa de transferência do LATAM Pass para o ALL – Accor Live Limitless, passando da boa taxa de conversão de 3:1, para 5,68:1, no que foi seguido pela Smiles, que também aumentou a taxa de transferência para o ALL – Accor Live Limitless, de 3,8:1, para 5:1 (clientes clube Smiles).

No quesito geração de pontos e milhas, o RecargaPay deu sua “contribuição negativa”, ao reduzir o limite de pagamentos de boletos com cartão de crédito, de R$1.000 para R$500.

  • Outros destaques negativos:

Nessa fase, vê-se impactos outros no setor de viagens e turismo, como o fechamento dos Parques da Disney e dos Parques da Universal, assim como adiamento das Olimpíada de Tóquio para 2021.

O dólar atingiu 5 reais, pela primeira vez na história e a GOL anunciou a redução de salários e de  jornada de trabalho, como uma das medidas para enfrentar a crise.

A IATA divulgou que o declínio no tráfego de passageiros era o maior desde o 11 de setembro. A notícia que publicamos em meados de maio, mostrava os reflexos dessa redução no nosso mercado doméstico, que encolheu 93,1% em abril. (mês em que o Aeroporto de Brasília, previa a operação de pouco mais de 20 voos diários).

Cabe ainda destacar, no final dessa fase, o pedido de recuperação judicial feito pela Hertz, perante o judiciário dos Estados Unidos e Canadá.

Como visto, a relação de más notícias do período, superam largamente as notícias positivas, o que bem demonstra que esse foi o pior período da pandemia do coronavírus.


Junho, o mês da virada

Não queremos dizer que a pandemia estivesse controlada, tampouco que seus reflexos econômicos e sociais estivessem superados, longe disso. Contudo, é visível, na análise dos números que constam da nossa publicação recente sobre o protagonismo do Brasil, na retomada do setor aéreo, que o mês de junho representou o início de um ciclo virtuoso de recuperação.

A propósito, a análise das notícias por nós publicadas no mês, bem mostra a direção diametralmente oposta ao que noticiamos entre março e maio, com clara predominância de notícias positivas.

  • Companhias aéreas:

Destacamos o anúncio da Qatar Airways, que comemorou os 10 anos de operação para o Brasil, mantendo na rota o moderníssimo A350-1000, que implantou desde o início da pandemia, e continuará, ao menos, até fins de março de 2021.

A lamentar, o anúncio do encerramento, por prazo indeterminado, das operações da LATAM Argentina.

  • Bancos e cartões de crédito:

O Itaú lançou campanha oferecendo bônus de assinatura de até 35.000 pontos em novas adesões ao co-branded LATAM Pass Itaucard.

  • Programas de fidelidade/clubes de pontos:

Merece destacar as campanhas da Livelo, que lançou promoção de 50% de desconto na compra de pontos para clientes Clube Livelo há mais de um ano, e realizou o primeiro bom Bumerangue LATAM x Livelo do ano, com 30% de bônus no LATAM Pass + 35% de volta na Livelo, o que representava um bônus efetivo de 100% na transferência.

Tivemos, também, o anúncio de acordos de codeshare dos programas de fidelidade de Azul e LATAM.

Outro destaque de grande relevância foi a isenção de Taxa de Combustível nas emissões de passagens-prêmio para voar com a Emirates, o que foi uma das grandes notícias para os usuários dos programas TAP Miles&Go e Smiles.

O registro negativo ficou por conta da suspensão temporária das transferências de pontos da Caixa para o TAP Miles&Go.

  • Compras bonificadas no varejo:

Referente à compras bonificadas no varejo, os destaques ficam para as campanhas da Esfera com Centauro e Renner (ambos 10×1) e da Livelo com Victorinox e Wenger (15×1 ) além de Renner (10×1).

Como vemos, houve clara predominância de destaques positivos em junho, o que bem demonstra que o mês marcou o reinício consistente da retomada.

Aliás, nesse período foi anunciado que Dubai reabriria suas fronteiras para visitantes a contar de julho, período em que diversos países europeus também anunciaram que reabririam para o turismo interno no verão, especificamente a contar de junho, o que permitiu uma melhora de performance do setor turístico.


4) Readaptação e retomada

Conforme mencionamos no tópico passado, junho marcou o ponto de virada no setor aéreo e de viagens em geral, o que permitiu que tivéssemos um segundo semestre com consistente e progressiva melhora do quadro, que havia chegado ao fundo do poço entre abril e maio.

O mercado aéreo doméstico mostrou-se mais resiliente do que se previa, e desde então, mês a mês, tem havido uma melhora nos índices de reativação de rotas e de ocupação de voos.

Nesse período, aliás, houve uma oferta sem precedentes de boas promoções em que se permitiu acumular milhas e fazer boas emissões, como mostraremos, resumidamente, a seguir.

  • O panorama do mercado dos fabricantes de aeronaves:

O destaque principal relativamente aos fabricantes de aeronaves, tivemos a anúncio de que a Boeing finalizou os testes com o 737-MAX, o que culminou as recertificações pela FAA e pela ANAC.

A notícia a lamentar foram as especulações sobre a possível preparação da Boeing para encerrar a produção do icônico 747, depois de meio século de muito sucesso de uma das mais admiradas aeronaves a singrar os céus do planeta.

  • Companhias aéreas:

O período foi repleto de novidades relacionados às companhias aéreas. Dentre essas, podemos destacar a notícia de que a Qatar Airways anunciou a doação de 21 mil bilhetes aéreos para professores, em promoção similar à dos profissionais da saúde.

Ainda sobre a Qatar Airways, destacamos que a empresa catari iria iniciar um segundo voo para o Brasil (esse, inclusive, com horário muito mais conveniente que o original).

Tivemos também a boa notícia de que a British Airways vai operar com a nova classe executiva nos voos para São Paulo, o que é um belo upgrade em relação à aeronave que hoje opera a rota.

Merece destaque, também, a notícia de que a brasileira GOL Linhas Aéreas fez história ao se tornar a primeira empresa aérea mundial a voltar a operar voos comerciais com o Boeing 737-MAX, após o processo de recertificação.

De negativo, mostramos que a Aeromexico havia apresentado pedido de recuperação judicial, reflexo das dificuldades dos meses anteriores, a Azul vendeu sua participação acionária na TAP, ao governo português, e que o poder judiciário oficializou a decretação da falência da Avianca Brasil.

  • Bancos e cartões de crédito:

O destaque principal referente a bancos e cartões de crédito, vai para o Santander, que realizou mais uma campanha do Bateu – Ganhou, dessa vez privilegiando o co-branded com a American Airlines, em que deu até 6 milhas AAdvantage por dólar gasto, melhor, inclusive, do que ofereceu aos cartões que pontuam no Esfera, cuja pontuação máxima era 5×1.

Vale destacar, também, o lançamento de alguns cartões com benefícios diferenciados, como o Banco do Brasil Visa Altus e o Azul Infinite, ambos com pontuação especial no lançamento. Os destaques principais vão para o LK ilimitado do BB Visa Altus e para o sigh-up bônus de 20.000 pontos (atualmente aumentado para 75.000 pontos), do Azul Visa Infinite, além de uma série de benefícios adicionais, como direito a upgrade de cabine, bilhete de acompanhante e status diamante no programa TudoAzul, dentre outros.

O co-branded Smiles Visa Infinite teve campanha com isenção da primeira anuidade e sigh-up bônus de 20.000 milhas Smiles.

Vale mencionar a promoção diferenciada no BRB, que ofereceu cartões temático do Flamengo (Nação), com anuidade vitalícia para os 50 mil primeiros pedidos aprovados.

Por fim, não podemos esquecer de citar que o Itaú dobrou os limites de pagamentos e transferências para parte dos usuários do iti.

  • Programas de fidelidade/clubes de pontos:

O período foi fértil em boas oportunidades nos programas de fidelidade, não apenas de companhias aéreas, como também de hotéis, com destaque para o ALL, da Accor e Hoteis.com Rewards.

Como as promoções foram muitas e variadas, vamos mencionar alguns destaques por empresa/programa:

TAP Miles&Go: um dos maiores destaques do segundo semestre, sem dúvida, foi a possibilidade de emissão de resgatar bilhetes one-way pelo TAP Miles&Go, que ainda ofereceu, no lançamento da benesse, 10 mil milhas bônus da primeira emissão nessa modalidade. Também deve ser destacado o bumerangue com a Livelo (até 40% de bônus + 40% de volta), o que representava o ótimo bônus real de 133%. Nas transferências de bônus direto, o topo foi o bônus de 125% com a Livelo. Por fim, uma boa promoção que não pode deixar de ser mencionada, foi a concessão de status Gold no Miles & Go (e Star Alliance), para as novas adesões ao Club Platinum.

LATAM Pass: Merece destaque o Bumerangue com a Livelo (45% de bônus + retorno de 45% para a Livelo), representando uma bonificação real de incríveis 163,33% de bônus (145.000 pontos LATAM, para 55.000 pontos Livelo efetivamente transferidos). Destaque, também, para a ótima notícia de que seria mantida a redução dos requisitos para obtenção de status em 2021.

TudoAzul: Transferência com 80% de bônus + voucher para comprar pontos a 1 centavo. Vale menção, também, o fato de que o TudoAzul passou a permitir a emissão online dos bilhetes award da United.

Smiles: excelente oportunidade de mesclar a promoção da Smiles, de 75% de desconto no Viaje Fácil, com as promoções do Orange Week, para conseguir resgatar passagens GOL quase de graça, reativação de milhas expiradas, com 300% de bônus e assinatura do Clube Smiles, com 12.000 milhas na hora da contratação do Clube 1.000.

Livelo: Além das promoções já mencionadas acima – bumerangue com TAP Miles & Go e LATAM Pass, e transferência bonificada com TAP Miles & Go – merece destaque as diversas promoções feitas pela Livelo, com desconto de 50% na compra de pontos, para clientes do clube há mais de um ano.

Esfera: Dentre as promoções inéditas do segundo semestre de 2020, merece destaque a promoção de compra de pontos Esfera com 50% de desconto, sobretudo para quem usa o programa para aproveitar o convênio para o Iberia Plus. Outra boa promoção foi a realizada em parceria com o PP, em que foi concedido 50% de pontos extras, nos três primeiros meses, aos assinantes do novo Clube Esfera que aderiram ao Clube usando o link do Passageiro de Primeira.

iupp: O período marcou, também, o lançamento do esperado novo programa de recompensas do Itaú, o iupp, nos moldes da Livelo, não se limitando aos clientes do Itaú. A propósito, o programa foi protagonista de uma das mais surpreendentes promoções do período, noticiada em primeira mão pelo Passageiro de Primeira, oferecendo 13 mil pontos para qualquer compra realizada no shopping iupp, independentemente do valor (imaginamos que o shopping iupp nunca tinha recebido tantos pedidos de guadanapo e pipoca! rs). Por fim, tivemos o anúncio de que, a contar de 23 de janeiro de 2021, o iupp se tornaria o principal programa de recompensas do Itaú, substituindo o Programa Sempre Presente, que será extinto na mesma data.

Iberia Plus/British Executive Clube e AAdvantage: Considerando a facilidade de acesso do público brasileiro a esses programas, vale mencionar as ótimas promoções de emissão de bilhetes com 50% de desconto em avios, tanto no Iberia Plus, quanto no British Executive Club. Também merece destaque a melhor promoção de compra de pontos já realizada pelo programa AAdvantage, da American Airlines, em que ofereceu 100% de bônus. Infelizmente, em função do dólar, ainda assim o valor do milheiro era impraticável para nós brasileiros (acima de 100 reais, após somados IOF+spread).

Destaque, também, para as boas campanhas dos programas de fidelidade da rede hoteleira, com destaque para as promoções do programa ALL – Accor Live Limitless, da francesa Accor, que dentre as muitas promoções, podemos citar a que dava 1 diária grátis nas reservas de 2 noites+2000 pontos, a que ofereceu 6 mil pontos nas reservas com 3 diárias consecutivas, além da ótima promoção da Black Friday, com 50% de desconto+café da manhã+2 mil pontos ALL (o que representava, em boa parte dos casos, que o custo era inferior aos 40 euros que valem os 2 mil pontos ALL concedidos).

Outra promoção de sucesso iniciada pela Accor, com o seu programa de fidelidade ALL, foi a Experiência Fairmont, para duas diárias, ao custo de 32 mil pontos ALL, com direito a pensão completa, vinhos e até massagens, no mais luxuoso hotel da rede no Rio de Janeiro.

O programa Hoteis.com Rewards também realizou algumas campanhas que mereceram destaque, como a que ofereceu o acúmulo de uma noite extra ou a que ofereceu noites em dobro, para atingir a qualificação para a fruição de diária grátis.

  • Compras bonificadas no varejo

O segundo semestre de 2020, indubitavelmente, foi um dos mais promissores períodos para acúmulo de pontos e milhas em compras bonificadas de varejo. Vamos relacionar por programas, para facilitar a análise, citando apenas os principais destaques, já que as promoções foram muitas.

Livelo: Entre as excelentes campanhas da Livelo, podemos destacar as que ofereceram 15×1 com Zenlife e Olympikus,  13×1 com Riachuelo,  12×1 com Centauro, Netshoes, Camicado e Zattini, além de 10×1 com Renner e Zak.

Esfera: Tivemos uma surpreendente participação da Esfera nesse período, que parece ter resolvido entrar de vez no jogo, oferecendo alguns dos melhores bônus do ano, para acúmulo dos valiosos pontos esfera. Destacamos: 15×1 com Renner, Centauro e Natura, 13X1 com Camicado, 10X1 com Pontofrio e 8×1 com Extra.

LATAM Pass: Dentre as boas campanhas de compras bonificadas realizadas pelo LATAM Pass, destacamos 20×1 com Movida e Potostore e 16×1 (até 20,8×1, pros assinantes do Clube 10.000), com Centauro e Netshoes.

TudoAzul: Das diversas promoções do programa da Azul, o destaque especial vai para a incrível campanha da Black Friday, concedendo 25×1 com o Pontofrio, além de 10×1 com Casas Bahia, assim como em produtos da Apple no Shopping TudoAzul.

Smiles: Os principais destaques da Smiles, ficam por conta do excepcional 23×1 no Shopping Smiles na compra do Galaxy S20, além do 13×1, no pré-lançamento do Iphone 12, em parceria com Magalu.

Vale mencionar que boa parte das promoções acima mencionada, foram realizadas mais e uma vez, no decorrer do segundo semestre, o que potencializou ainda mais as chances de acúmulo turbinado de pontos.

  • Destaques negativos:

Dentre as notícias negativas do período, destacamos a drástica piora da taxa de conversão TudoAzul – ALL, com aumento 100%, sem prévio aviso, a Emirates suspendendo, sem prazo de retorno, a operação com o A380 para o Brasil, além da exigência de teste negativo de PCR para os brasileiros poderem retornar ao país.


Comentário

Apesar de 2020 ter sido, muito provavelmente, o ano mais duro vivenciado por gerações, para o universo do acúmulo de pontos e milhas, foi um tempo de muitas oportunidades.

Agora, com o mundo começando a administrar as vacinas contra a Covid-19, começamos a ter melhor previsibilidade para organizar viagens, de modo a usufruir os muitos pontos e milhas acumulados no decorrer de 2020.

E você, aproveitou alguma das muitas promoções que noticiamos em 2020?

Baixe o app Passageiro de Primeira

google-play
app-store

10 anos! O maior portal de Programas de Fidelidade do Brasil.
Tudo sobre milhas e pontos, avaliação de voos, salas VIP, hotéis, cartão de crédito e promoções.